Comportamento

“Tenho direito de ser mãe”, afirma Bruna Surfistinha, depois de comentários negativos sobre gravidez

Raquel Pacheco foi atacada nas redes sociais e conta que até as filhas, que nem sequer nasceram, receberam comentários negativos e pejorativos.



Grávida de gêmeas idênticas, Raquel Pacheco, conhecida como Bruna Surfistinha, conta um pouco sobre o atual momento de sua vida, que chegou aos 36 anos. Desde a infância, ela sonha em ser mãe, mas preferiu esperar o momento certo para que isso acontecesse, adiando o sonho até sentir que estava em um bom relacionamento e num momento de vida igual.

Em entrevista ao Universa UOL, a celebridade conta que foi garota de programa de 2002 a 2005 e se tornou famosa quando colocou sua história em um blog. Sua vida acabou virando um livro e um filme. Tudo sempre colaborou para que a decisão de ter filhos ficasse para outro momento.

Depois da vida como garota de programa, Raquel foi casada por 10 anos, de 2005 a 2015, mas nunca sentiu que formaria uma família ali, principalmente porque estava num período muito conturbado.


Mesmo com o fim do casamento, a vontade de ser mãe nunca desapareceu, e agora, noiva de Xico Santos, ator e artista plástico, ela anunciou nas redes sociais que está esperando gêmeas idênticas.

Ela conheceu o atual companheiro no meio das gravações de um programa de sexo em que foi entrevistada, no ano passado.

O que era para ser apenas um encontro casual, acabou se tornando um relacionamento forte e cheio de significado, e em apenas três meses, eles já estavam grávidos, pois com dois meses de relacionamento, já estavam falando sobre o futuro.

A antiga profissão de Raquel nunca foi um problema para Xico, que sempre soube do seu passado. No fim de janeiro deste ano, Raquel confirmou que estava grávida e contou a notícia em primeira mão para Maria Alice, sua sogra. Ela diz que sente muita falta de falar com a mãe adotiva, já que desde que saiu de casa elas nunca mais tiveram contato. Também não conheceu sua mãe biológica.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@bsurfistinhaoficial.

Raquel tem recebido muitos comentários negativos de pessoas que duvidam da qualidade de sua maternidade por conta do seu passado. Para ela, isso não faz diferença, e explica que já conviveu com muitas garotas de programa que eram ótimas mães e que está no seu direito, como qualquer outra pessoa.

Mesmo tendo deixado a profissão há 16 anos, ela continua sendo julgada. Como as mães precisam passar para a sociedade uma imagem pura, santificada e que nunca cometeu erros, as pessoas ficam presas ao seu passado, confundindo a profissão com a maternidade.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@bsurfistinhaoficial.

Raquel explica que a maioria dos indivíduos têm preconceito quando sabem do seu passado, exceto sua atual sogra, que jamais questionou sua maternidade, se seria boa mãe ou não, mesmo sendo evangélica. Assim que descobriu a gravidez, ela optou por não falar para a imprensa, até mesmo por isso, acabou iniciando o pré-natal um pouco depois do indicado, já que tinha muito medo que o obstetra vazasse a informação.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@bsurfistinhaoficial.

Quando estava com três meses e meio de gestação, começou a sentir dor na barriga, por isso foi ao hospital, onde recebeu não apenas o diagnóstico de infecção urinária, mas também descobriu que estava esperando gêmeas.


O nervosismo por ter duas filhas foi instantâneo, mas o sentimento passou completamente quando ela ouviu pela primeira vez os corações das filhas. Raquel não pretende esconder o passado das filhas, pelo contrário, espera ter uma relação aberta e cheia de diálogo com as meninas.

Como sabe que seu maior erro foi ter fugido de casa aos 17 anos, ela espera conseguir atender às demandas das meninas para que isso não aconteça com elas, principalmente porque sabe de todas as dificuldades que passou naquela época.

Ela e Xico já escolheram os nomes das filhas: Elis, em homenagem à cantora Elis Regina, e Maria, para homenagear todas as Marias que já passaram pelas suas vidas. Mesmo tendo recebido ataques nas redes sociais, Raquel revela que não sente medo de fazer parte da comunidade escolar ou ir às festas infantis.

Seu maior sonho é que as filhas pudessem nascer em um mundo ideal, onde nunca passassem por nenhum sofrimento ou preconceito, o que deseja também para as filhas de todas as mulheres grávidas desta geração. Ela conta que vai criar Elis e Maria para serem mulheres fortes e “militudas”.


Veterinário aposentado, de 93 anos, constrói cadeiras de rodas e ajuda animais deficientes a andar!

Artigo Anterior

Posto de gasolina contratou, alimentou e encontrou lar para sem-teto que lhe pediu emprego!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.