Terapia de regressão e vidas passadas: entenda mais sobre o assunto!

9min. de leitura

Também conhecida como terapia de vidas passadas (TVP), a terapia de regressão ainda é cercada de muito preconceito. Mesmo sendo um método terapêutico que se mostra bastante eficaz em diversos tratamentos, o assunto ainda desperta dúvidas na maioria das pessoas.



Por esse motivo, reunimos, neste post, informações importantes que vão ajudá-lo a entender melhor a terapia de regressão. Além de saber o que ela é e para que serve, vamos desvendar os principais mitos sobre a prática para que você tenha a oportunidade de aprender mais sobre o assunto.

Ficou interessado? Então, continue a leitura!

Entenda o que é a terapia de regressão

Esse tipo de terapia está relacionado ao retorno às memórias, uma volta no espaço e no tempo com o objetivo de despertar cargas emocionais adormecidas — que podem levar a problemas como ansiedade, fobias, inseguranças e até mesmo transtornos graves, como depressão e síndrome do pânico — e ressignificá-las.


Essas lembranças podem ser de um passado recente ou não. Inclusive, há casos em que o indivíduo tem recordações da experiência no útero e até mesmo de vidas passadas.

É importante destacar que a técnica não é reconhecida pelo Conselho Federal de Psicologia e que não há evidência científica que comprove sua eficácia. No entanto, há instituições sérias que formam profissionais para trabalharem com esse método.

Além disso, há muitos casos, inclusive de famosos, que utilizaram a terapia de regressão e relatam curas para situações como gagueira e fobias diversas.



Como funciona?

Na TVP, o indivíduo é levado a lembrar, por meio de técnicas de indução e visualizações, de acontecimentos que geram muita carga emocional. A intenção é que, com a ajuda do terapeuta, o paciente consiga descobrir em seu subconsciente o que está causando os bloqueios na vida presente.

Quando o paciente entra em relaxamento profundo, ele experimenta um estado alterado de consciência. No entanto, isso não significa que ele não esteja no controle do que está acontecendo. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o indivíduo estará o tempo todo consciente.

A intenção do relaxamento profundo é apenas facilitar o trabalho do terapeuta, que guiará o processo por meio de sugestões para chegar até os eventos traumáticos que podem estar provocando os problemas atuais.


Basicamente, o processo ocorre em três fases:

  • entrevista e anamnese: fase em que o terapeuta traça um histórico do paciente;
  • regressão propriamente dita: feita por meio da abordagem adotada pelo facilitador (meditação, indução etc); e
  • análise das informações adquiridas: resumo dos resultados e esclarecimentos para que as lembranças que vieram à tona não causem mais prejuízos emocionais ao paciente.

Vale ressaltar que na terapia de regressão podem ser usados outros métodos além de indução e visualizações. Alguns terapeutas utilizam relaxamento guiado, meditações etc. O que realmente importa é que o facilitador do processo tenha clareza sobre o objetivo a ser alcançado e utilize a abordagem mais adequada.


Para que serve?

Como muita gente ainda tem pouca informação sobre o assunto, é comum encontrar profissionais pouco preparados oferecendo a técnica para mera satisfação da curiosidade. Com isso, muita gente procura a terapia para conhecer experiências anteriores, e não para tratar problemas realmente sérios.

A terapia de regressão deve ser utilizada apenas para eliminar problemas que estão acarretando desconforto na vida do paciente. Além disso, pode ser usada para complementar outros tratamentos, como no caso de doenças psicossomáticas e:

  • insônia;
  • fobias;
  • vícios;
  • baixa autoestima;
  • falta de confiança;
  • depressão;
  • traumas;
  • estresse;
  • distúrbios alimentares.

Veja alguns mitos sobre a terapia de regressão espiritual

A seguir, veja os mitos mais comuns sobre a TVP, que muitas vezes são reforçados pela falta de informação sobre o assunto:

Só pode ser feita por meio de hipnose

É verdade que a hipnose é uma das técnicas mais eficazes em sessões de regressão. No entanto, ela não é a única. Muitos terapeutas de vidas passadas utilizam técnicas indutivas e relaxamento profundo para ter acesso ao passado do paciente.

A técnica a ser utilizada nas sessões vai depender do método de trabalho do terapeuta. Por isso, é sempre bom conversar com ele antes de iniciar o processo. No entanto, seja por hipnose, visualizações ou indução, é seguro acessar as lembranças armazenadas no subconsciente, desde que feito com profissional preparado.


É necessário acreditar em vidas passadas para ter sucesso

Esse é outro equívoco que faz muita gente torcer o nariz para a TVP. Você não precisa acreditar em vidas passadas ou ser de determinada religião para ter sucesso com um tratamento desse tipo.

O principal objetivo da terapia é encontrar soluções para os problemas do presente. E, como as causas desses problemas na maioria das vezes está no inconsciente do indivíduo, acessar essas memórias traz à tona essas causas, possibilitando trabalhá-las.

Sendo assim, não importa se a pessoa beneficiada acredita ou não em vidas passadas. Ela apenas precisa estar focada no tratamento e, para isso, é fundamental que o terapeuta oriente o paciente independentemente de suas crenças.


Há o risco de não voltar de uma regressão

Esse é outro mito que está muito associado ao fato de algumas pessoas acreditarem que durante a regressão a pessoa perde a consciência. Uma vez que o paciente tem total controle da situação, ou seja, sabe o que se passa o tempo todo, não há esse risco.

Além disso, a terapia de regressão não oferece risco nenhum à saúde. Basicamente, o paciente entra em relaxamento profundo — por meio de técnicas indutivas, visualizações etc — e retorna ao passado, ou seja, às suas memórias antigas.


O indivíduo pode passar por situações constrangedoras

Esse mito surgiu por causa dos casos de hipnose apresentados no cinema e shows de televisão. Como muitas pessoas associam a regressão à hipnose, acabam achando que vão passar por situações constrangedoras também.

Contudo, em uma terapia, o tratamento é conduzido com o objetivo de ajudar o paciente, e não induzi-lo a ter uma experiência vexatória. Sem contar que, ao contrário do que acontece nos shows de televisão, o indivíduo hipnotizado está o tempo todo consciente e tem controle da situação.

Como você pode notar, a terapia de regressão é uma ferramenta a mais no tratamento de traumas, fobias e outros distúrbios psicológicos. No entanto, para aproveitá-la, é preciso escolher bem o profissional que conduzirá o processo e não esquecer que esse procedimento não substitui, em hipótese alguma, um tratamento médico.

Você curtiu saber mais sobre a terapia de regressão? Então, que tal continuar aprendendo? A seguir, entenda o que são regressões a vidas passadas e por que você deve se importar!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Rock Content

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.