7min. de leitura

Tire todas as suas dúvidas sobre reiki em animais

Você já deve ter ouvido falar de reiki, uma técnica de cura pelas energias canalizadas pelas mãos, não é mesmo?



Mas o que pouca gente sabe é que possível aplicar o reiki em animais.

Isso porque, apesar de ser um método criado no início do século passado, foi há pouco tempo que as pessoas adaptaram os seus ensinamentos para os bichinhos.

Ficou interessado nessa prática? Então continue por aqui, porque vamos ensinar você tudo sobre a técnica, os benefícios e, até mesmo, as posições do reiki. Lembrando sempre que é preciso ter respeito aos bichinhos em qualquer atividade que envolva o fluxo de energia.


Reiki em animais

O reiki foi criado pelo japonês Mikao Usui como forma de realinhar os canais de energia para curar doenças que afligem o corpo físico e emocional. Por meio do universo holístico, a técnica utiliza a canalização da energia com o objetivo de desbloquear fluxos energéticos, equilibrar os chakras do corpo e promover a harmonia física e emocional.

Posicionando as mãos em locais estratégicos do corpo ou com o uso dos símbolos do reiki, a energia é captada e transmitida para o receptor. Ao captar a energia do Universo, o praticante é capaz de transmiti-la aos seres vivos. Por isso que o tratamento de reiki em animais não é nenhuma surpresa para os amantes da prática. Porém até os consultórios de veterinária estão adotando essa prática como meio de aliviar os efeitos colaterais de remédios, diminuir as dores e reduzir o estresse dos animais.

Benefícios do reiki em animais

Em geral, a prática por si só já traz mais harmonia e equilíbrio para o dia a dia, uma vez que a transmissão de energia é um ato de amor e cuidado. No entanto, essa prática aplicada em animais auxilia em tratamentos de saúde, pois fortalece o sistema imunológico e também contribui para:


  • Melhorar comportamentos agressivos.
  • Diminuir os picos de estresse e ansiedade.
  • Reduzir dores crônicas.
  • Aliviar os efeitos colaterais de tratamentos severos.
  • Auxiliar na cicatrização.
  • Prevenir doenças físicas e mentais.
  • E promover o bem-estar.

Apesar dos inúmeros benefícios, o tratamento só trará resultados se o praticante confiar no poder das energias e deixar a técnica agir livremente. Porém, como estamos falando de animais, a comunicação é subjetiva, por isso, recomenda-se o uso da intuição durante todo o processo.

Como aplicar o reiki

Se você tem dúvidas de como aplicar esse método no seu amigo do peito, lembre-se que ele também é ser vivo que capta sua energia. Por isso, mantenha-se sempre calmo e sereno. Em seguida, tranquilize-o, posicionando suas mãos próximas ao pescoço, na base das orelhas do bicho. Dessa maneira, ele estará mais relaxado e o seu corpo aberto para deixar a energia fluir livremente.

Posições

Quanto às posições de reiki em animais, você poderá utilizar a sequência que segue com as pessoas, focar nos chacras ou realizar o reiji-ho, um dos pilares do reiki, no qual o reikiano coloca sua intenção, agradece e aplica o tratamento.

Esse processo pode também trabalhar um ponto específico, conforme a necessidade do corpo físico e emocional de quem recebe a energia. Ou seja, se o seu cãozinho sofre de artrose, o reikiano canalizará as energias para as articulações dele.

Porém, caso você observe que o animal experimenta um quadro depressivo, a solução será equilibrar seus chakras para trazer a harmonia de volta à vida dele. A duração do reiki será definida pelo próprio animal, por isso é muito importante uso a intuição para compreender os sentimentos do bicho. Entretanto recomenda-se aplicá-lo de 20 a 30 minutos, pois é o tempo ideal para absorver a energia de que necessita.

Embora essa seja uma terapia energética relativamente simples, é preciso tomar cuidados básicos em se tratando de animais. Por isso preparamos algumas dicas essenciais para essa prática:

Dica 1: permissão

Engana-se quem pensa que os animais não sabem o que o reiki significa. Pelo contrário, eles compreendem muito bem que receberão uma energia para ajudá-los. Por isso é muito importante pedir a permissão deles antes do processo. Dessa maneira, você não só respeita a vontade dos animais, como também inicia o tratamento deles com mais abertura.


Dica 2: contato

Os cachorros arredios e medrosos não gostam do contato visual, já os gatos se conectam com os humanos através dos olhos. Sendo assim, aprenda como iniciar o contato com cada animal antes da prática, pois é essa abordagem respeitosa que vai ditar o fluxo energético de todo o processo do reiki.


Dica 3: adaptação

O animal não para quieto? Não tem problema! Como estamos falando de tratamento de animais, as situações são imprevisíveis. Por isso você precisa se adaptar e utilizar os aprendizados do reiki a distância para executar a prática com sucesso. De qualquer maneira, o animal receberá a energia necessária, uma vez que sua intenção estiver colocada e a energia mentalizada.


Dica 4: tamanho

Tamanho é documento no mundo animal, ou seja, é preciso levar em conta o porte do bicho na hora de realizar o reiki, isso porque, se o animal for pequeno, como uma tartaruga ou um hamster, basta posicionar suas mãos próximas do animal para canalizar a energia.

E no caso de bois e cavalos? Além de o tempo utilizado ser mais longo, as posições serão mais variadas. Muitas vezes, será necessária a utilização do reiki a distância. E, apesar de o reiki em animais trazer resultados comprovados, é recomendável sempre realizar uma consulta veterinária antes de executar a prática energética.

Dessa maneira, caso os sintomas prevaleçam, procure orientação profissional.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Monika Wisniewska/123RF Imagens.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.