Toda vez que você se estressa, libera hormônios que podem detonar o seu coração!

O alto nível de estresse é um fator alarmante e que deve ser administrado com muita responsabilidade para que não se torne um risco para nossas vidas.

Todos nós sabemos que o estresse é um dos principais inimigos de uma vida de qualidade. Quando vivemos uma rotina extremamente cansativa e não temos tempo para nos recuperarmos direito, começamos a sofrer as consequências do estresse, que vão desde o físico até o psicológico, o que pode nos ocasionar diversas condições e até mesmo diminuir nossa expectativa de vida.

A vida adulta é cheia de preocupações e responsabilidades. Trabalho, relacionamentos, vida pessoal, são muitos os fatores que influenciam em nossa saúde mental, mas precisamos encontrar uma maneira de manter um equilíbrio saudável entre tudo isso, senão podemos expor nossos corações a um nível de estresse tão grande que possa lhes causar danos irreversíveis!

A cardiologista Maria Ângela Plácido revelou que as pessoas que possuem muito estresse em sua rotina liberam uma grande quantidade de hormônios que afeta diretamente o organismo, entre eles a adrenalina. “Ela atua aumentando os batimentos cardíacos e a pressão arterial, o que pode culminar em um ataque cardíaco e até levar à morte”, disse, segundo o site Minha Vida.

Mas não para por aí! O cortisol também é um grande vilão da saúde e quando liberado em pessoas que passam por diversas situações estressantes diariamente, e já sofrem de doenças cardiovasculares, pode levar à morte.

Essa foi a conclusão de um estudo realizado por pesquisadores da VU University Medical Center, na Holanda, e outros centros de pesquisa nos EUA e na Itália, e publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

O objetivo principal do estudo foi analisar se existia alguma ligação entre os níveis de cortisol na urina e risco de morte em pessoas idosas. Entre 1998 e 2000, os pesquisadores inscreveram idosos com 65 anos ou mais para participar da pesquisa.

Os participantes forneciam urinadas todos os dias e o nível de cortisol era analisada em cada uma delas. Pessoas que usavam medicações específicas ou tinham determinadas condições médicas que poderiam afetar os níveis de cortisol foram excluídas, o que totalizou 861 idosos.

Todos os participantes foram monitorados por seis anos para contabilizar quantos continuavam vivos. Os pesquisadores, então, analisaram se o nível de cortisol no início do estudo previa a probabilidade de um dos pesquisados morrer durante o período de acompanhamento devido a qualquer causa ou doença cardiovascular.

Durante o período da pesquisa, 183 dos 861 participantes morreram (21,3%). Cerca de 4,7% deles (41 pessoas) morreram por causas cardiovasculares. Além disso, os participantes que tinham níveis mais altos de cortisol tiveram um risco 74% maior de morte durante o acompanhamento.

O nível de cortisol na urina, quando o estudo começou, foi capaz de prever a probabilidade de morte por causas cardiovasculares, mas não por causas não cardiovasculares. Para cada aumento de 48 microgramas nos níveis de cortisol, houve um aumento de 42% no risco de morte por doença cardiovascular durante o acompanhamento, uma porcentagem muito elevada, que levou os pesquisadores a concluírem que “altos níveis de cortisol predizem fortemente a morte cardiovascular entre pessoas com e sem doença cardiovascular preexistente”.

Como se vê, o alto nível de estresse é um fator alarmante e que deve ser administrado com muita responsabilidade para que não se torne um risco para nossas vidas.

Como lidar com estresse de forma saudável

De acordo com Laurie Cameron, fundadora e CEO da consultoria PurposeBlue, focada em programas de liderança baseados em mindfulness que criam resiliência, criatividade e engajamento, uma das grandes maneiras de combater o estresse é através de exercícios de respiração.

Ela sugere dois, um deles se chama “STOP”, um acrônimo que inglês significa parar, respirar, observar e depois prosseguir. “Quando paramos e olhamos para dentro, direcionamos atenção para a nossa experiência interna e temos clareza do que está acontecendo no momento estressante”, explica.

O outro exercício consiste em fazer “três respirações“: a primeira dá atenção ao estresse, a segunda relaxa o corpo e a terceira percebe o que é importante agora. O objetivo é manter as pessoas focadas no que realmente importa.

Ela recomenda dedicar alguns minutos todos os dias para praticar as respirações: “É construindo os ‘músculos’ e a maneira padrão de resposta que terá esse instinto quando estiver em estado de estresse”, diz.

Além dessas dicas, também existem as mais clássicas: exercitar-se todos os dias, trazer a mente para o momento presente, dormir bem e cuidar de todos os hábitos de vida.

Precisamos aprender a lidar com o estresse de uma maneira saudável. Nunca estaremos totalmente livres dele, mas quando sabemos como nos manter controlados em momentos estressantes, deixamos de ser influenciados por ele e preservamos nossa qualidade de vida.


Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação desse material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.


 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Ion Chiosea/123RF Imagens.



Deixe seu comentário