5min. de leitura

Todo mundo é forte, mas é no momento da dor que descobrimos isso…

Quando um problema surgir, que ele o derrube, mas que você se levante. Que ele o deixe em cinzas, mas que você ressurja como uma Fênix. Que ele o mergulhe nas mais profundas escuridões do seu ser, mas que você possa emergir disso, mais forte, mais capaz e mais belo.


Quando a gente não quer olhar para si a vida nos leva para dentro.

Não é só o Universo de fora que existe. O nosso emocional é um Universo particular. Se acreditamos que para além da terra o universo externo é infinito, é porque ainda não temos noção do tamanho do universo que habita em nós.

Somos deseducados emocionalmente. Ainda não exploramos todos nossos potenciais, nossos talentos, não conhecemos direito os nossos sentimentos e, muitas vezes, mal sabemos dizer ou explicar o que sentimos.


Temos forças latentes em nós que precisam emergir. Porém, costumamos só usar essa força que temos quando a vida nos obriga. Todo mundo é forte, mas é no momento da dor que descobrimos isso.

Todos nós já passamos por momentos difíceis, por fortes desilusões, por situações que não esperávamos e que nos trouxeram muitas dores. Mas sempre, sempre tivemos capacidade para lidar com elas e sempre teremos.

Cada situação difícil é sempre a vida querendo nos apresentar a nossas próprias forças.

Claro que quando a dor chega a nossa primeira tendência é revidar, chorar, amaldiçoar a vida e querer encontrar culpados para a nossa situação. No entanto não adianta, quando algo acontece conosco é porque ali há uma lição que precisamos aprender.


Aprender com aquilo que nos causa dor não é fácil. É muito mais fácil se revoltar e fazer-se de vítima. Não que os outros possam não ter sua parcela de responsabilidade com o nosso sofrimento. Mas será que já nos perguntamos porque a vida permitiu que essas pessoas chegassem até nós?

Também não adianta se culpar pelo que passou. Ninguém é perfeito e é normal atrairmos situações muito difíceis para nós. O melhor então é assumir a responsabilidade de que aquilo nos era necessário, de alguma forma, e aprender com isso.

A revolta, o choro, a tristeza, podem ajudar a aliviar em um primeiro momento. Depois é necessário secar as lágrimas, levantar do chão, absorver as lições do momento, sorrir e seguir.

Às vezes, esse processo é demorado. Não importa o tempo, ele precisa ser feito. Faça tudo isso no seu tempo, mas faça!

Quando um problema surgir, que ele o derrube, mas que você se levante. Que ele o deixe em cinzas, mas que você ressurja como uma Fênix. Que ele o mergulhe nas mais profundas escuridões do seu ser, mas que você possa emergir disso, mais forte, mais capaz e mais belo.

A gente se fere com as situações por nossa ainda imatura forma de ver. Mas lembre-se sempre: nenhum problema serve para nos ferir e sim para nos fazer crescer.

Então, quando passar por uma situação difícil, acalme-se, respire fundo, mergulhe em si, encare-se, mude o que é preciso, desenvolva seus pontos frágeis e volte à superfície da vida.

Procure fazer essa análise interior todos os dias, fortalecendo a si mesmo e buscando melhorar, sem que a vida precise mandar estímulos tão fortes (problemas) para fortalecê-lo.

Aquele que aprende a nadar nas profundezas do seu ser não tem mais medo de se afogar em meio aos desafios da vida!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: charlieblacker / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.