5min. de leitura

Trabalha com o público? Já pensou ser lembrado da mesma forma como trata as pessoas?

Profissionais como balconistas, atendentes de telemarketing, plantonistas, enfermeiros, funcionários públicos são geralmente mal vistos.


Faz parte de nossa cultura imaginá-los como pessoas indesejáveis, chatas, atrasadas, de mal com a vida, folgados e até inferiores.

Se o médico do posto de saúde ou plantonista o atendeu rapidamente e não resolveu o seu problema em cinco minutos ele é um incompetente, e a culpa do seu mal-estar passa a ser dele. Você sai bufando e pisando duro.

Se você foi autuado por estacionar em local proibido (só um pouquinho…) ou por dirigir acima da velocidade permitida a culpa é do governo que é um ladrão e rouba seu dinheiro. Aí você vai protocolar um pedido de reclamação e culpa todo mundo, inclusive o atendente.

Por outro lado, para quem atende ao público a questão a ser resolvida pode ser muito simples e clara, mas para o outro é um problemão! Então, vai bem o atendimento com muita clareza e simplicidade; você como funcionário com certeza será bem lembrado e receberá boas energias. Ok, todos temos nossos dias ruins, entretanto, vale a pena manter o autocontrole, e tratar a todos respeitosamente.


Outro tipo de situação: você ri ou conta uma piada, por exemplo, com o tema de gente esquecida, que confunde as coisas, relacionada com o Mal de Alzheimer, entretanto, o seu colega ao lado tem um ente querido nesse estado. Eu vivi uma situação dessa e ficava muito chateada com as piadas, porque somente quem passa sabe o que isso significa. Qual é o sentimento que eu tinha quando me lembrava do colega? Alguém insensível, rude, grosseiro.

Quando uma pessoa é grossa com você, ou tira uma com a sua cara, o que você sente? Desprazer em estar na companhia dela. Simples. Não convém bater boca ou responder, talvez seja justamente essa a desculpa que ela precisa para justificar a grosseria. Não acredito no ditado: “Quem cala consente.” Acredito sim que “O silêncio vale ouro”, afinal você não é o que promete ou fala, você está muito mais ligado às atitudes que toma, pois elas mostram o que vai no seu coração.


Por exemplo: você somente irá me considerar como uma boa autora a partir do momento em que ler um artigo ou livro meu e considerar o material bom, e não a partir do momento que eu falar ou o convencer que sou boa. Isso significa que o blábláblá não adianta, inclusive o meu.

Você tem algum desafeto? Ou alguém que você não engole de jeito nenhum?

Alguém com quem é obrigado a conviver?

Eu já tive problemas com um superior e passei por situações humilhantes. Normalmente a antipatia é iniciada por tratamento de desdém ou sarcasmo; cada um tem seu calo. Quando isso acontece, simplesmente me afasto, sem maiores esclarecimentos ou explicações, pois acredito sem necessidade. E pode ser que o outro nem perceba. Aí você deve ter pensado agora: “Nossa, como você é antissocial!”. “Jesus disse para amarmos nossos inimigos!”. Ok, eu concordo, mas como posso me sentir bem ao lado de alguém que me trata mal, ou me calunia pelas costas? Ou alguém que simplesmente é maldoso?  Isso não tem nada a ver com amar o próximo, ou fazer o social, isso é ser bobo e falso. Lembre que você não precisa provar nada a ninguém porque o que vale é o seu interno que reflete na sua conduta sincera.

As diferenças entre as pessoas existem e são salutares, mas, algumas vezes, o melhor é cada um ficar no seu canto, com respeito. Nesse caso, é mais provável que seja lembrado como um colega distante, e até um bicho antissocial, mas não como um inimigo.

Caso você tenha sido enganado ou desrespeitado por alguém, não precisa ser amigo da pessoa, afinal um dos requisitos básicos para a amizade é a confiança e o respeito. Não se engane. Entendo que o “amar o inimigo” significa desejar o bem para o próximo e não guardar rancor. Isso pode ser feito à distância.

Por tudo isso, e independente da posição, vale a pena o esforço do autocontrole para ser lembrado muito mais como amigo do que como inimigo!

Um beijo e até semana que vem!

Simoni Venturini

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: stylephotographs / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.