10min. de leitura

Trabalhar muito não te tornará produtivo ou rico, aprenda a priorizar!

“Não basta estar ocupado (…). As formigas também estão. A pergunta é: com o que você se ocupa.”



Se ser rica, milionária ou qualquer coisa do gênero é o seu objetivo, e eu lhe pergunto: quantas pessoas você conhece que se matam de trabalhar e nunca ficam ricas?

A maioria das pessoas passa décadas trabalhando. Em geral, os adultos passam a maior parte da sua vida numa variação de quarenta horas semanais e poucos ficam realmente ricos e o pior, a maioria está presa na armadilha da síndrome da ocupação e não estão sendo realmente produtivos.

Se o trabalho fosse a estratégia mais importante para produtividade e a riqueza, todos nós seríamos ricos. Porém não é isso que vivenciamos na prática: a imensa maioria das pessoas está sem dinheiro ou, na melhor das hipóteses, tem uma vida financeira razoável. Ainda tem mais: a maioria está sem dinheiro, sem saúde, com baixa qualidade de vida e produzindo muito pouco.


Por que isso acontece?

Você já percebeu que eu amo frases de impacto, né? Então, para responder a essa pergunta, eu quero lhe trazer uma frase: “Não basta estar ocupado (…). As formigas também estão. A pergunta é: com o que você se ocupa.”

Quando observamos o dia a dia da mulher advogada, não é difícil perceber que passa boa parte do dia correndo de um lado para o outro feito barata tonta. E não é para menos, só de imaginar a quantidade de coisas que precisamos fazer, seja no campo pessoal ou no profissional, já bate o cansaço ou desânimo: é audiência, prazo recursal, atendimento de clientes, reuniões, buscar as crianças no colégio, fazer as tarefas, ver as compras no supermercado, ler o artigo da especialização, ufa!

Olhar para sua vida e perceber que você passa a maior parte do tempo ocupada, trabalhando muito e mesmo assim longe de gerar os resultados financeiros que busca e merece é realmente frustrante e desanimador.


E é aqui que mora o perigo! A exemplo da frase acima, as mulheres advogadas vivem ocupadas, trabalhando como a coitada da formiga, mas o importante aqui é identificar com o que você se ocupa.

Se produtividade tem a ver com sistematizar e gerenciar melhor sua vida, gerando impacto no trabalho e criando espaço para outras áreas da vida, faz sentido que, nesse contexto, a prosperidade venha visitar você.

Como eu disse antes, a maioria dos adultos trabalha em torno de 40 horas semanais, mas eu me arrisco a dizer que os profissionais da advocacia, em especial as advogadas, trabalham muito mais que essas 40 horas semanais e ainda assim não são prósperas ou produtivas.

Todo mundo trabalha. Fato!

Mas trabalhar está longe de ser a estratégia mais eficiente ou mesmo inteligente para você se tornar próspera e alcançar a alta performance. Longe disso! É a maneira como você usa seu tempo, dinheiro, energia e talento que determina seu nível de produtividade e consequentemente, sua riqueza ou, em outra palavras, sua prosperidade e abundância financeira.

Por outro lado, não estou dizendo que você não tenha que trabalhar ou até mesmo trabalhar pouco, algo quase impossível não só no universo da mulher advogada como de qualquer outra mulher que esteja vivenciando os inúmeros papéis que temos perante a sociedade.

O trabalho é crucial, afinal não dá para ficar esperando o dinheiro cair do céu. O que quero dizer aqui é que você precisa trabalhar de maneira estratégica. A questão aqui está em multiplicar, não em somar. Colocar mais tempo ao seu dia é o mesmo que colocar mais dinheiro na poupança, ou seja, é só somar. É conseguir os resultados que você busca em menos tempo e com menos esforço, o que tem a ver com fazer coisas importantes com eficiência e consistência.

Em outras palavras, é trabalhar de forma inteligente, estratégica e não apenas trabalhar duro. Se todo mundo tem as mesmas 24 horas num dia, a gestão pessoal aliada à gestão de carreira nos mostra como tirar o maior proveito delas, e isso é desenvolver produtividade.

Com um planejamento estratégico de carreira, você não só aumenta sua produtividade, como reduz o tempo para alcançar os resultados almejados e ainda com qualidade de vida, e isso também faz parte da gestão pessoal. Você faz a carreira crescer enquanto cuida das áreas da vida que são importantes para você.

Ninguém atinge grandes resultados tendo baixa performance! Para ser uma advogada de alta performance, a produtividade tem que fazer parte da sua vida diariamente.

E produtividade é isso: sistematizar e gerenciar melhor a própria vida para gerar mais impacto no trabalho, liberando espaço na agenda para as coisas mais importantes. É sobre trabalhar de forma inteligente (e não apenas dar duro).

Não é à toa que o mercado disputa a peso de ouro os profissionais que trabalham de maneira estratégica e desenvolveram a habilidade da produtividade: eles geram valor e apresentam resultados com frequência.

Se você sabe gerenciar seu tempo e prioridades, desenvolveu seu planejamento de carreira, entrega tudo com qualidade e no prazo, gerando bons resultados para seus clientes e escritório, como você acha que as pessoas, o mercado, as grandes bancas, seus clientes e concorrentes vão ver você?

Quando você gera valor e entrega seus resultados, você se destaca, é valorizada, avança na carreira e de maneira estratégica gera reconhecimento e autoridade. Você toma para si uma fatia do mercado que está ávida por alguém que gere resultados de valor e aí sim você alcança um patamar profissional que a fará trabalhar na medida certa para gerar riqueza, se assim quiser, prosperidade e abundância, e ainda ser bem-sucedida em todas as áreas da sua vida.

E como você faz isso?

É claro que não pretendo esgotar o assunto num artigo, isso seria material suficiente para escrever, no mínimo, um livro. Então, dentre o que considero os quatro principais passos para fazer gestão da carreira, poderíamos falar de construção e fortalecimento da sua marca pessoal ou de utilização do marketing jurídico, eu trouxe para você algumas dicas sobre como desenvolver um plano de carreira estratégico e objetivo.

Ao desenvolver um plano de carreira, além de salientar o mercado que deseja atuar, isso irá auxiliá-lo no posicionamento estratégico que vai influenciar a forma como o mercado enxerga você.

Faz parte do planejamento de carreira também estabelecer metas e objetivos neurologicamente corretos em relação à carreira, de acordo com o direcionamento que você deu a partir da consolidação da especialidade. Se você nunca ouvir sobre estabelecer metas e objetivos neurologicamente corretos, veja esse artigo em que trago um passo a passo sobre isso.

Ser clínico-geral hoje em dia não ajuda alguém a ter sucesso mais rápido, nem mesmo ter uma boa e fiel cartela de clientes, aumentar o faturamento ou mesmo gerar prosperidade e abundância. É o direcionamento da carreira que o coloca nessa esteira de realização.

Aqui você precisa responder a perguntas do tipo:

1. Quem eu quero ser nos próximos 3, 5 ou 10 anos?

2. Onde eu quero estar? Por conta própria? Em algum grande escritório?

3. Como conciliar minha paixão, conhecimento, habilidades e as possibilidades do mercado?

4. Qual o tamanho do meu mercado? Existem muitas pessoas que poderiam se beneficiar do meu conhecimento e atuação?

5. Quais as oportunidades que esse nicho/mercado oferece?

6. O que não está sendo feito nessa área? Como meu conhecimento, dons e talentos seriam um diferencial nesse mercado?

Ao responder a essas perguntas e traçar as suas metas e objetivos pessoais e profissionais de maneira certa, você já estará, no mínimo, 50% à frente não só da sua versão anterior, como também desse mar de profissionais da advocacia que chegam ao mercado sem saber por onde começar e passam uma vida inteira trabalhando mais de 40 horas semanais, sem chegar nem perto de gerar os resultados que podem gerar e de viver a vida que gostariam de viver.

Lembre-se de priorizar aquilo que é realmente importante para você e sua vida. Priorizar é fazer escolhas sábias e está completamente inserido no contexto de pessoas produtivas, que trabalham de maneira estratégica.

Gerenciar tempo nada mais é que gerenciar escolhas e isso, em última análise, é gerenciar a vida!

E se esse artigo fez algum sentido para você, compartilhe comigo o que se abriu para você, marque as amigas que tomaram o caminho mais lento, e assim seguimos juntas, crescendo e nos apoiando mutuamente.

Vejo você no próximo artigo!

Com carinho.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Andrew Neel/Unsplash.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.