ColunistasBem-Estar e Saúde

Transtorno do pânico e agorafobia!

TRANSTORNO DO PÂNICO E AGORAFOBIA capa e dnetro

É um transtorno de ansiedade que afeta 3,55% da população. Pessoas com síndrome do pânico apresentam crises inesperadas de medo e desespero.



São crises imprevisíveis e que em muitos dos casos acabam desencadeando Agorafobia. Ou seja, medo de sentir medo, de ter uma nova crise, de passar mal e não receber socorro, de sentir medo e perder o controle. Desta forma, inúmeras situações passam a ser evitadas.

As crises de pânico são abruptas. Bastam 30 segundos para que a pessoa comece a ter a sensação de que pode morrer de ataque cardíaco, desmaiar e achar que está ficando maluca.

Durante as crises ocorre sensação de falta de ar, sufocamento, taquicardia, suor excessivo, tonteira, dentre outros sintomas bastante desagradáveis. Em muitos casos a pessoa sai em busca de socorro. É comum procurarem emergência de hospitais e cardiologistas.


É uma sensação horrível devido à rapidez com que tudo acontece. Ocorre sofrimento durante as crises e mais ainda no intervalo entre elas, já que não se sabe quando será a próxima.

Em geral, a primeira crise acontece entre 15 e 20 anos e é desencadeada sem nenhum motivo aparente.

É um transtorno em que aos poucos a pessoa vai perdendo sua autonomia e mobilidade, já que muitos locais começam a ser evitados, ou a pessoa passa a não querer andar desacompanhada na rua e até mesmo não querendo ficar só em casa. Os locais onde as crises vão ocorrendo começam a ser evitados.

Principalmente locais como: elevadores, pontes, túneis, aviões, congestionamentos, salas de espera, metrô, aglomerações são evitados pela crença de que sua fuga e “socorro” ficariam dificultados nesses locais.


O tratamento mais indicado e eficiente para esses casos é medicação prescrita por psiquiatra e terapia cognitivo comportamental (TCC) com psicólogo.

Necessário se faz ressaltar que a família deve ser conscientizada de que ocorre grande sofrimento nesses casos (durante e entre as crises de pânico). Não é besteira, nem fraqueza. A pessoa sente-se extremamente incapaz de lidar com certas situações e carece de ajuda especializada.

Ser terapeuta…

Artigo Anterior

Terapia holística e vibracional…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.