Reflexão

Tratar o seu filho com respeito, mesmo quando ele erra, não é “estragá-lo”, é criá-lo com carinho!

A forma como tratamos os nossos filhos, quando eles erram, diz muito sobre a educação que oferecemos para eles.



Entre muitos pais e mães, existe a firme opinião de que os filhos devem ser tratados com rispidez, frieza e controle, para que possam crescer “com limites” e ser adultos responsáveis e de bons princípios.

Essas pessoas costumam ter atitudes muito bem definidas, quando se trata de educar as crianças. Algumas das suas reações mais tradicionais são gritos, palmadas, castigos severos, humilhações públicas, entre outras.

Embora cada pai e mãe crie os seus filhos da maneira que lhe parece adequada, existem algumas coisas que precisam ser levadas em consideração. Assim como os adultos, as crianças também merecem respeito e cuidado. Elas não possuem conhecimento de mundo e noção de certo e errado como nós.


Embora possam aprender um pouco a cada dia, ainda estão em um nível muito diferente, e precisam ser orientadas com responsabilidade emocional, para que se tornem pessoas emocionalmente saudáveis, que saibam se comportar e tratar todos como desejarem ser tratadas.

É claro que, em determinados momentos, precisamos oferecer algum tipo de punição, para que não se tornem mimadas, mas até mesmo essas atitudes precisam ser dosadas, para não provocar efeito oposto ao esperado. Criar um filho é uma das missões de maior responsabilidade de um ser humano, para exercê-la da melhor forma possível, temos de levar em conta não apenas aquilo que nós pensamos, mas também o que é melhor para ele.

Certamente, uma criança que cresce em um ambiente emocionalmente saudável, com pessoas amorosas, que reconhecem os seus problemas e as ajudam a resolvê-los, tem muito mais oportunidades de ter um futuro bem-sucedido e cheio de felicidade do que aquela que nunca recebeu um gesto de gentileza das pessoas mais importantes de sua vida.

Então, pense um pouco sobre que tipo de criação você tem oferecido aos seus filhos, e lembre-se que eles merecem o melhor de você. Tratar o seu filho com amor, respeito e acolhimento, mesmo quando ele agir de maneira errada, não necessariamente é uma forma de mimá-lo ou “estragá-lo”, mas sim de criá-lo com carinho e a certeza de que sempre terá um ponto de paz e equilíbrio.


Trocar algumas broncas por conversas sinceras e educativas fará a diferença ao mostrar-lhe que nem tudo se resolve aos gritos ou na violência, e que muitas vezes o diálogo é a melhor solução. Você é a referência para o seu filho enquanto ele cresce. Certifique-se de que suas atitudes o guiem para ser um bom ser humano no futuro.

Teste de agilidade visual: quantos pássaros você consegue achar em apenas 2 segundos?

Artigo Anterior

“Apenas mulheres sem classe mantêm cabelos longos após os 40”, declarou Carolina Herrera

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.