Notícias

“Treino da sentada”: fisioterapeuta faz sucesso com mentoria para mulheres

treino sent
Comente!

E se fosse possível aprender técnicas para mandar bem na cama? A ‘Conselhos de Afrodite’ está ensinando exatamente isso no TikTok. A fisioterapeuta Andrezza Cochiarella, 27 anos, faz sucesso com seus treinos que ensinam mulheres a… sentar — no sentido menos literal da palavra.

Vale traduzir para quem não entendeu: a fisioterapeuta ensina técnicas de corpo, rebolado, postura e posição para a hora do sexo. E em seus vídeos virais, o foco está no prazer e conforto femininos durante as relações sexuais.

E muita gente está interessada em aprender. Ela, que tem a página há três meses, acumula mais de 900 mil e muitas visualizações: um de seus vídeos foi visto mais de 43 milhões de vezes. Andrezza ensina exercícios para preparar o corpo e criar resistência para a hora H.

Atualmente, ela faz uma pós-graduação em sexualidade e não tem medo algum de abraçar sua sensualidade.

“Sempre gostei de ser sensual, de me vestir como gosto, postar a foto que gosto e sempre ouvi coisas sobre isso e, quando vinha de mulheres, eu pensava: ‘Poxa, ela não estaria falando isso de mim se tivesse a liberdade que eu tenho'”, diz ela, que conta ter tido uma educação cheia de liberdade, o que contribui para ajudar outras mulheres.

Além dos vídeos, Andrezza oferece processos de mentoria com prática e teoria para as mulheres que querem dar aquela turbinada extra na vida sexual. Tudo acontece de forma remota e também ao vivo. Só mulheres são aceitas e a fisioterapeuta faz um trabalho de acolhida das alunas, troca experiências e ajuda cada uma a mudar o caminho da própria história sexual.

“O feedback que estou tendo dessas alunas é muito gratificante, muita gente se descobrindo ou se encontrando”, conta.

Mais do que técnicas de sexo, ela tem um propósito de melhorar a vida sexual e colocar as mulheres no comando do próprio prazer. Em seus vídeos, também aborda temas psicológicos e emocionais que afetam o sexo.

Machismo no caminho

Por conta de seu trabalho, Andrezza conta que recebeu muitas abordagens desagradáveis por parte de alguns homens, o que a fez restringir sua conta de Instagram apenas para mulheres, que são o seu público.

Ela não tolera atitudes invasivas e abusos e denuncia sempre que vê comentários impróprios contra ela ou contra suas alunas e seguidoras.

“Nos meus vídeos, tem gente que vem e pergunta: ‘Está ensinando a sentar, mas sabe ensinar a lavar uma louça, a fazer um feijão?’ Tem gente que prefere dar hate (ódio, tradução livre). Desnecessário. Poderiam estar extraindo alguma coisa”, diz.

Comente!

Vacina contra câncer de mama! Começam testes em mulheres

Artigo Anterior

“Sou uma mulher negra, solteira e com três filhos brancos. O amor não tem cor em minha casa”, diz mãe

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.