Três passos para curar os nossos relacionamentos

Ser feliz é o sentido da vida e é o que todos nós merecemos. Os seus relacionamentos são a expressão da sua alma.

O primeiro passo é voltar-se para dentro e reorganizar-se de maneira que aquela conexão interna seja reestabelecida. Feito isso brotará naturalmente um estado de plenitude, calma e tranquilidade interior. Este equilíbrio interno é o mais potente gerador de força e energia de transformação. Ele é a chave que abrirá as portas para soltar aquilo que o sustenta na condição de escravo de si mesmo.

Você é escravo de tudo aquilo que tenta negar ou excluir. Aceite que você tem inveja, ciúmes, mágoas, aceite os seus erros e reconheça que, para curar as suas relações, você deve curar a si mesmo primeiro. Perdoe-se! Entenda que você fez o melhor que você podia com a consciência que você tinha. Você só consegue mudar aquilo que aceita. A compreensão antecede o perdão.

O segundo passo é tomar uma decisão essencial: deixar de ser vítima! Eu sei que a sua criança interior adora aquele “mi-mi-mi” clássico…o que fizeram comigo, eu me sinto traído, roubado, injustiçado, excluído, e mais uma lista gigante de coisas que o impedem de prosperar e manifestar uma vida abundante de relacionamentos saudáveis.

Sair da condição de vítima vai lhe devolver o poder que você deu para quem você permitiu que atuasse como vilão.

Os “vilões” atuaram na sua vida na medida exata da sua permissão. O seu crescimento pessoal está profundamente relacionado em perguntar-se onde você estava enquanto tudo isso acontecia? Entenda que a vítima é tão dependente do vilão quanto o vilão da vítima. Mesmo se você viveu uma situação extrema de sofrimento e injustiça. Solte! Escolha perdoar não porque o outro merece, mas porque você merece ser feliz e livre!

Desejar ser feliz e livre lhe permite criar um propósito, e é exatamente isto que o levará ao terceiro passo. Estabeleça para você um propósito e uma estratégia para que ele se manifeste. Ser feliz é o sentido da vida e é o que todos nós merecemos. As suas relações são a expressão da sua alma.

No momento que você entende isso, você libera os outros para viverem o seu próprio destino e as suas escolhas. Ainda que eles tenham escolhas difíceis e prefiram continuar em seus eternos papeis de vítima, apegados a dor e ao sofrimento.

Contente-se em mudar a si mesmo. Altere os seus padrões mentais de dor para gratidão pelo que é, pelo que tem. Isto é suficiente.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo:123RF/Imagens.



Deixe seu comentário