Notícias

Ex-faxineiro vende método que o ajudou a ser aprovado em Medicina na UFSC

Bruno adaptou seu material, chamado de flash cards, criados para revisar os conteúdos que caem nas provas de vestibular.



Passar no vestibular e entrar em uma faculdade é o sonho de milhões de pessoas, de todas as idades, que veem no estudo a oportunidade de uma profissão para mudar suas realidades.

Considerada, na maioria das vezes, elitista, a universidade é capaz de transformar gerações e comunidades inteiras, mas nem sempre recebe quem mais precisa.

O jovem Bruno Eulálio Santos, de 21 anos, que há um ano foi aprovado em Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), começou a vender o método que garantiu que ingressasse no curso. Os flash cards foram renovados, e têm o objetivo de revisar as matérias que caem nas provas, de acordo com ele.


Em 2019, enquanto trabalhava como faxineiro, sentiu a necessidade de revisar os conteúdos fora de casa, e entrou nos cartões a melhor maneira de conciliar a carga horária da limpeza como jovem aprendiz em um hospital particular em Balneário Camboriú, com a realização do sonho.

Em entrevista para o G1, o acadêmico lembra que foi uma época muito difícil, mas que levava os cards para o hospital, e revisava sempre que encontrava uma folga. O ponto de ônibus e a condução eram os lugares onde ele mais conseguia fazer as revisões, que, segundo o jovem, são a chave para não esquecer um assunto.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

O sistema de cards foi lançado há uma semana e, até o dia 26, ele já havia vendido 27 pacotes. Adaptando o método original dos flash cards à realidade brasileira, Bruno decidiu não apenas usar palavras-chave ou fórmulas para decorar as informações, mas uma sequência de perguntas capazes de abranger início, meio e fim de uma matéria.


O método é dividido em 36 semanas de revisão de 11 disciplinas diferentes, sendo que cada uma possui uma cor diferente. O pacote ainda traz os cartões brancos, onde o estudante pode personalizar seu próprio método, escrevendo os temas que mais sente necessidade de relembrar.

Além do jovem, a namorada e irmã também participam do empreendimento, e foram elas que transformaram o sistema na estética que possui atualmente. Bruno conta que elas auxiliam em tudo, além de dar apoio, atendimento, ajudar na montagem e ainda cuidar das redes sociais do projeto.

Para quem acha que agora que ele foi aprovado na universidade deixou de usar o método, se engana. Bruno usa os mesmos cartões para os estudos no curso de medicina da UFSC, aplicando principalmente nas disciplinas onde sente mais dificuldade. Quando percebe que a matéria é mais complexa e precisa de mais revisões, como anatomia, ele conta que faz uso do esquema.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.


Como as aulas da faculdade não estão sendo presenciais, por conta da atual crise sanitária, o rapaz aproveita o tempo disponível para investir no negócio, além de trabalhar dando aula para vestibulandos. Ele deseja, ainda, expandir o empreendimento, para que chegue também dentro das universidades.

“Olha eu de pé”, diz mulher que pulou do 1º andar de prédio para não ser estuprada

Artigo Anterior

“A lesão foi única, certeira e fatal. Ele agonizou por pouco tempo e depois já veio a óbito”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.