publicidade

Um dia de gratidão vale mais do que mil dias na amargura

Existem apenas duas maneiras de se viver. A primeira é reclamando de tudo, a segunda, como se tudo fosse um milagre. Escolha a sua. Escolha a gratidão!

As coisas passam a ser tão automáticas em nosso cotidiano que, às vezes, nem percebemos o quão importantes são e, consequentemente, deixamos de ser gratos. Mas o mundo é repleto de milagres incorporados sutilmente ao nosso dia a dia. Desde o abrir dos olhos ao amanhecer até, novamente, deitarmos nossas cabeças no travesseiro à noite.



Tem dias que a gente tem que acordar muito cedo e isso nos deixa irritados e, por isso, deixamos de reparar que temos uma cama confortável para dormir todos os dias e um emprego que nos dá sustento.

Então, levantamos, tomamos o café fresquinho e delicioso para tirar a preguiça e nem nos damos conta do prazer desse momento porque temos em mente apenas no dia cheio que temos pela frente.

E logo que saímos de casa o carro estraga.  Esbravejamos, gritamos despautérios, esquecendo o privilégio que é ter um automóvel. Então, chutamos o pneu do carro enraivecidos, sem lembrar que a roda foi uma das maiores invenções do homem. Não conseguimos ser gratos porque somos tomados pela raiva quando não pensamos em como era a vida quadrada. Aliás, graças à roda temos outras opções de condução quando falta um carro: ônibus, trem, táxi e até a perigosa motocicleta, entre tantos outros funcionamentos que se aplicam o girar.

Mesmo assim, bufando e estressados, chegamos ao trabalho exatamente quando falta luz. Acreditamos que estamos em um dia amaldiçoado, quando nem percebemos a dádiva que é o descobrimento da energia elétrica.

Você já se perguntou como as pessoas viviam sem luz? Isso significa um dia a dia sem geladeira, sem televisão, sem micro-ondas ou qualquer eletrodoméstico.

A luz volta no escritório, mas o computador não liga. A vontade é de jogá-lo na parede se não levarmos em consideração que há alguns anos atrás ele não existia. Nem o celular e nem o telefone fixo. Ficaríamos mais tranquilos se entendêssemos que antigamente nosso único meio de comunicação era a carta que levava dias para chegar até o destinatário. Já imaginou uma mensagem do WhatsApp levando 7 dias para ser visualizada? Ou chegar a um destino sem o aplicativo de mapas? Pois é…


Mas saímos para uma caminhada e reclamos da chuva que fertiliza a terra e nos traz o alimento mais saudável. Dela também depende a energia elétrica recém citada e a água tão essencial para a humanidade.

Mas o principal problema do mundo é que, ao esquecemos o guarda-chuva, vamos molhar o paletó ou estragar a escova. Então, a gente sente muita raiva, ao invés de gratidão.

De qualquer forma, insistimos em ir até a lanchonete para enganar o estômago, mas um enjoo não nos deixa comer. Temos vontade de chorar sem perceber a perfeita funcionalidade do nosso corpo. Sem ser grato pela possibilidade de ver, ouvir, falar. Por ter um organismo que nos dá o prazer do toque, do gosto, do sexo e que funciona perfeitamente cumprindo suas principais funções de forma autônoma. Como respirar e bater o coração.


Chegamos em casa exaustos dos problemas que não existiriam se estivéssemos no início do século passado. Colocamos furiosamente o telefone sem bateria para carregar e reclamamos porque vai demorar. Então, pinta uma mensagem de alguém desmarcando o compromisso. A gente urra e esquece o tanto de coisas boas que aquela pessoa já fez por nós. Briga com o pai, com a mãe, com o filho por bobagem sem agradecer a dádiva de ter uma família que nos apoia. Reclamamos que nosso amor não vem nos visitar hoje, quando passar os outros 6 dias da semana juntos é maravilhoso.

E assim vamos seguindo. Sem reconhecer os esforços do universo, sem entender o quanto a vida nos é generosa. E, principalmente, que, gratidão diária cria bênçãos diárias.

Existem apenas duas maneiras de se viver. A primeira é reclamando de tudo, a segunda, como se tudo fosse um milagre. Escolha a sua. Obrigado!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: grinvalds / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.