4min. de leitura

Um dia você cansa de sofrer, de chorar, de se culpar. Você simplesmente aceita. E é aí que tudo muda…

Um dia você cansa de sofrer, de chorar, de se culpar, e chega à conclusão de que você não precisa entender o que aconteceu.


Amadurecer dói, e é muito importante que a gente entenda isso o quanto antes, e que compreenda que existe uma relação muito próxima entre as perdas e o amadurecimento. E nós vamos perder, um amor, um familiar, um emprego, vamos nos perder de nós mesmos, mas se soubermos lidar estas perdas, com certeza seremos eternamente recompensados.

Particularmente, posso dizer que o meu primeiro contato com a perda, foi no meu aniversário de 30 anos. Ali me vi perdendo o cordão umbilical que ainda me ligava a minha mãe. É como se a vida começasse a me cobrar decisões mais sensatas, como se a vida me dissesse: “Agora você precisa crescer!”, e me senti perdendo o colo da mamãe.

O meu mais recente contato com a perda foi um tanto mais doloroso: na minha separação, hoje fazendo quase dois anos.

O fim do meu relacionamento me pegou desprevenida, despreparada, num momento em que eu achava que finalmente parte da minha vida estava “ajeitada”, mas eu estava redondamente enganada!


A vida tem dessas coisas, quando você acha que tudo está no seu devido lugar, ela vem e desarruma tudo, para lhe mostrar que você pode e deve recomeçar.

Foram meses e meses tentando entender onde eu errei, tentando colocar a cabeça e o coração no lugar certo, foram centenas de dias cinzentos, e muitas e muitas vezes que eu nem sabia mais quem eu era.

Mas um dia você cansa de sofrer, de chorar, de se culpar, e chega à conclusão de que você não precisa entender o que aconteceu, você só precisa aceitar a perda.


É a partir desse momento que tudo muda. Você começa a aceitar o que vem junto com a sua perda, o temido amadurecimento.

Ele a levará a lugares dentro de si mesma que antes eram desconhecidos, ele exigirá ser ouvido, e fará questão de se mostrar presente.

E quando você se der conta, descobrirá a força que existe aí dentro, descobrirá dons que desconhecia, descobrirá um novo brilho no olhar, quando finalmente se olhar no espelho e ver, refletido ali, alguém que está renascendo.

Isso tudo me trouxe até aqui, até este momento, até estas linhas, até estas palavras. A vida me trouxe a perda de alguém que eu amava, mas também me devolveu para mim mesma e de presente me deu as palavras. Desde então, as palavras simplesmente surgem, a necessidade de expressá-las é muito grande e eu escrevo, tudo flui, e meu mundo fica melhor.

Amadurecer não é nada fácil. A decisão de crescer é tão difícil quanto a de se expor através das palavras, e demorei muito tempo para chegar até este momento, em que finalmente decido que é isso que preciso me expor, expor as feridas, as lágrimas, e também as alegrias.

E por tudo isso, graças a todas as perdas, graças a todas as vezes que me perdi de mim mesma, hoje sei que estou no caminho certo. Minhas palavras são meu maior presente, e eu escrevo.


Direitos autorais da imagem de capa: David Mullen/Unsplash.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.