6min. de leitura

Um grande amor merece mais que uma segunda chance, merece a certeza que você dele jamais irá desistir!

Uma segunda chance…

Todo mundo já ouviu a famosa frase: figurinha repetida não completa álbum!


Quase sempre quem terminou uma relação que ficou mal resolvida ou ainda ama, já foi aconselhado a não dar uma segunda chance, não tentar de novo.

Muitas vezes um grande amor chega na nossa vida, bagunça nossas certezas e estruturas, mas ao mesmo tempo nos apavora, nos bloqueia, acaba fazendo a gente se defender, se poupar, se resguardar da entrega, com medo que aquele amor todo que sentimos possa não ser correspondido, e então, é melhor não se jogar tanto.

Nesse medo, nessa precaução para não sofrer, não nos entregamos. Sem a entrega, não vivemos esse amor todo, com toda sua força e plenitude. Além disso, muitas vezes essa grande amor chega numa hora ruim, como mudança de trabalho, estresse na família, projetos que nos tiram do nosso próprio eixo e que sem perceber afetam nossa inteireza e nos fazem reféns de nós mesmos. Escolhemos muitas vezes o pior caminho para trilhar.

E, vivendo isso tudo, a gente se perde da gente mesmo, não é inteiro com quem ama, não dá o nosso melhor, não é doce, não é paciente, não tolera a diferença, quer que o outro pense como a gente e ao pensar diferente, o conflito pode se instalar. Mesmo com tanto amor, tudo parece conspirar contra, então é melhor terminar.


Para fugir das brigas, do conflito, de um olhar mais autocrítico sobre nós mesmos, findar a relação acaba sendo mais fácil. Nos primeiros dias experimentamos o alívio, um tempo depois, a gente encontra um vazio enorme no peito, de um grande amor que estava ali e não está mais. A saudade é doída, a gente se estranha só, os momentos felizes invadem nossa mente todos os dias e aí a gente percebe que a vida fica ainda mais difícil quando fica longe de um grande amor.

Como retomar e consertar o cristal que se quebrou? Quem vence a barreira do orgulho? Aquele que pede pra voltar e até mesmo implora, será que é quem sente mais a falta? Quem se dói menos está feliz? Será que agora vai dar certo? Como perdoar certos erros?


Não importa tanto a pergunta, mas o amor é a melhor resposta, já li em diversos posts na internet. Há também uma famosa frase de Frida Kahlo: “onde não puderes amar, não te demoras”. O oposto também merece ser expressado: onde puder amar, demora-te, insista, volte e retome! O amor é construção, não fica pronto de uma hora para outra.

Mais que uma segunda chance, um grande amor merece todas as tentativas, merece a gente ter a certeza de que se entregou por inteiro, que viveu tudo, que foi pleno e deu o melhor da gente.

Um grande amor não merece ser interrompido em seu ápice pela imaturidade das diferenças, pela falta de coragem da entrega, pela insegurança que sabota, pela agressividade do mundo lá fora que faz a gente maltratar quem a gente ama. Aliás, um grande amor não merece ser interrompido nunca, na verdade um grande amor vive uma pausa, apenas para que tenhamos a certeza de que ele é o grande amor que buscávamos! E, que fugir dele, deixar ele partir sem lutar, sem tentar de novo, pode ser o grande erro de nossas vidas.

Não podemos comparar o amor a um objeto. O cristal que se quebra não tem conserto, só mesmo comprando um novo para colocar no lugar. O amor é um sentimento, não é um objeto quebrável, que não podemos consertar. O amor é a expressão mais genuína de nossa condição humana imperfeitamente perfeita. O erro que nos ensina o acerto, as múltiplas tentativas de quem quer atingir a perfeição, nossa vontade de não desistir de nossos sonhos mais verdadeiros, vencer obstáculos para conseguir chegar aonde queremos, melhorar um pouco mais a cada dia para viver melhor ao lado de quem se ama.

O amor é isso, o sentimento que mais nos representa, o mais humano em nós. Erra querendo acertar, vai embora querendo ficar, luta até conseguir chegar aonde quer, melhora na vivência de quem se entrega e tenta de novo, até ter a certeza que deu seu máximo para viver a experiência mais sublime que a vida pode nos permitir: amar e ser amado, em plenitude.

Figurinha repetida não completa álbum. Mas um grande amor também não se substitui por outro. A vida pode nos trazer diversas paixões, mas poucos grandes amores.

Um grande amor merece mais que uma segunda chance, merece a certeza que você dele jamais irá desistir, porque te dará todos os dias a convicção de que sua vida não fará sentido algum se você não estiver ali.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.