publicidade

Um impressionante curta mostra como tiramos a criatividade das crianças e como isso muda suas vidas

“Se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a sua vida acreditando que é estúpido.”

As crianças já nascem com o dom da criatividade, que torna o mundo ao seu redor mais colorido e feliz. Essa habilidade tão especial guia seus passos e permite que desenvolvam suas suas mentes, emoções e busquem sempre melhores realidades de vida não apenas para si mesmas, mas para todos os seus amados.



No entanto, por mais que seja uma das qualidades mais especiais e capacitantes que podemos desenvolver, porque nos permite evoluir constantemente e nos aproximar de nossos objetivos e sonhos, a criatividade é muitas vezes subestimada e não incentivada o suficiente, dentro e fora de casa, e por isso está cada vez mais escassa.

A função da criatividade em nossas vidas é muito ampla, além de nos permitir formular ideias com mais consistência, nos motiva a pensar fora da caixa, ultrapassar limites internos e externos, fortalece a conexão com nossa intuição e instintos, incentiva a autenticidade e nos permite enxergar a vida com um novo olhar, muito mais amplo.

A falta de incentivo à criatividade em nossa sociedade atual prejudica não apenas as crianças, que não aprendem a pensar por conta própria, apenas absorvem teorias e pensamentos que já existem, mas também a sociedade como um todo, porque a falta de reflexão e independência de pensamentos nos mantém presos a uma vida que nem sempre nos agrada.


Com o tempo, as crianças que vivem nesta realidade passam por uma fase denominada “amputação do eu”, em que deixam de lado seus sonhos e apenas se conformam com o que é imposto pela sociedade, porque acreditam que apenas assim serão amadas e aceitas, e cada vez mais se distanciam da autenticidade e da verdadeira felicidade.

Quando ouvem dos adultos ao seu redor, especialmente seus pais, frases como “essa não é a resposta certa”, “brincar é uma perda de tempo” ou “isso não tem lógica”, elas se entristecem e perdem sua alegria, poder de imaginação e cor, suas vidas ficam sem graça e tristes.

Aprendendo a valorizar as características especiais de cada criança

Todas as crianças possuem características particulares e almas únicas e especiais. Não podemos generalizar um perfil ideal e julgar aquelas que não se encaixam. Como diz o ditado:


Se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a sua vida acreditando que é estúpido.

Devemos guiar as crianças em suas descobertas pela vida, não limitar a sua capacidade de criar o próprio mundo, da maneira que preferirem. Impor comportamentos e pensamentos apenas as limitará, mas estar ao seu lado ajudará a crescerem mais confiantes e saudáveis.

O curta que apresentamos abaixo promove uma profunda reflexão em nosso papel quando se trata da criatividade de nossas crianças, enquanto pais e educadores. Mostra como nós cortamos esse dom natural das crianças e como isso acaba por prejudicar suas vidas.

Foi dirigido por Daniel Martínez Lara e co-dirigido por Rafa Cano Méndez, e ganhou o Prêmio Goya de Melhor Curta-Metragem de Animação.

O que você achou? Esperamos que tenha promovido uma reflexão saudável em sua mente e o incentivado e capacitar as crianças em sua vida, sempre pensando em seu bem e felicidade.

Se gostou, deixe um comentário abaixo e compartilhe com seus amigos pais e mestres!


Imagem de capa retirada do vídeo

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.