4min. de leitura

Um mundo melhor já existe. Só precisamos aprender a vibrar em sintonia com ele

O que poderia aprimorar em você para contribuir para um mundo melhor? 


Sabemos que estamos vencendo o próprio egoísmo quando conseguimos enxergar nas mensagens de reflexão uma oportunidade para nosso aprimoramento moral e não para o do outro.

Quem nunca leu um texto ou assistiu a uma adorável palestra ou um ótimo sermão de um padre ou pastor e pensou: “Fulano(a) que deveria estar aqui lendo/ouvindo essas palavras, pois tem tudo a ver com ele(a)”?

Estamos constantemente querendo que o outro se modifique e, muitas vezes, acreditamos que não temos mais nada para modificar em nosso comportamento e melhorar.

Preferimos olhar para aqueles que consideramos “piores” do que nós, os mal-educados de plantão, por exemplo, que ainda jogam lixo na rua, dentre outras coisas mais graves, do que para aqueles que são mais sábios e mais generosos do que nós. Talvez porque ainda tememos nossa pequenez. Talvez porque seja difícil entender o significado do aprendizado constante. Mas não devemos ter medo de conviver com pessoas que consideramos “superiores”. Não devemos ter receio de compartilhar coisas boas que outras pessoas fizeram ou fazem. Muito pelo contrário, devemos nos inspirar nelas.


Há tantas pessoas públicas das áreas das ciências médicas, humanas, exatas, artísticas, etc., que podemos seguir nas redes sociais e aprender constantemente com seus estudos e exemplos!

Pessoas que publicam maravilhosos estudos científicos e não apenas opiniões próprias. Estudos sérios que levam décadas para serem concluídos, através de muita dedicação e esforço de toda uma equipe com o mesmo propósito, que é o de tornar o mundo um lugar melhor para se viver.

Mudar a nós mesmos pode não ser tarefa fácil, porém, mais difícil que isso, é termos consciência sobre o que precisamos melhorar para convivermos melhor com os outros. Fácil é saber o que os outros precisam melhorar. Fácil é apontar o dedo enquanto continuamos mergulhados no egoísmo inconsciente.


Não precisamos deixar de apontar os erros dos mais próximos, quando desejamos realmente ajudar, mas devemos fazer isso com sensibilidade, o que torna um gesto de generosidade.

O problema é apontar com agressividade, sem perceber que quando reclamamos de alguém apenas para alimentar uma falsa superioridade, transparecemos, na verdade, nossas próprias fraquezas.

Mesmo nesses gestos de generosidade num relacionamento, por exemplo, o ideal é que, para cada defeito, apontemos também três qualidades pelo menos. Assim programamos nossa mente a enxergar o que há de melhor nos outros e não o que há de pior. Esse simples gesto pode salvar muitos relacionamentos e, principalmente, nos salvar da energia ruim das nossas próprias reclamações.

O que poderia aprimorar em você para contribuir para um mundo melhor? Faça essa reflexão e deixe que os outros a façam quando chegar a hora de despertarem.

O aprimoramento moral é individual. Um mundo melhor já existe. Só precisamos aprender a vibrar em sintonia com ele. 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.