ColunistasAmorPais e Filhos

Um pedacinho de Deus na terra

um pedacinho

De tantos sabores e cores



Assim que nasci conheci o maior dos amores

Se mãe tivesse um cheirinho, seria de lavanda, camomila e uma gotinha exagerada de mel


Se tivesse uma melodia seria uma bossa nova com toques de piano

Mãe é poesia, contos e canção de ninar

Não existe melhor remédio que sua oração a me guiar


Tá para existir coisa mais gostosa do que aquele colinho

E o melhor conselho sobre seguir, sempre o melhor caminho

um pedacinho2


Quando criança não temia o monstro malvado do armário, quando estava em seus braços

Quando adulta não temo nenhum obstáculo, por saber que independente do resultado sempre vou ter o seu melhor abraço

Amo cada pedacinho seu, desde o seu olhar de felicidade quando conquisto alguma vitória


Desde as suas gargalhadas quando lembra das minhas peripécias guardada em sua memória

Mãe você me ensinou a falar, a ler e andar

Sem você e seus ensinamentos não entenderia a lição do verbo amar


Bom mesmo é se eu tivesse a fórmula para que todas as mães fossem eternas

Ninguém temeria em perder esse pedacinho de Deus na terra


Mãe é só uma, sempre disse o ditado

Com ela não existe amor parcelado e nem disfarçado

É amor ao “tantão” e aos bocados


Infelizmente nem todo mundo nasce para ser mãe e entender essa função na terra

Porque mãe de verdade não vive mais em metade

Ela vive em função da cria dela


Deus é tão maravilhoso aos filhos seus

Que até antes de nascermos ele criou o melhor dos “presentes” e nos deu

Sobre o relacionamento que chegou ao fim…

Artigo Anterior

A prova dos nove da convivência

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.