Família

Uma mãe dá à luz lindas gêmeas aos 50 anos, depois de tentar por 11 anos

CapaUma mae da a luz a lindas gemeas aos 50 anos depois de ter tentado por 11 anos
Comente!

Ao fim de muitas tentativas, ela finalmente conseguiu realizar o grande desejo.

A maioria das crianças do sexo feminino, quando menores, são instruídas a desenvolver o desejo de serem mães. Algumas acabam realizando o desejo antes da hora, outras analisam a possibilidade com bastante calma e programam o nascimento do primogênito.

Com o passar dos anos, algumas mulheres viram o sonho desaparecer por vários fatores, alguns genéticos, como a impossibilidade de gerar filhos, outras por problema de saúde, por conta de algum problema no útero e no sangue, por exemplo, já outras por falta de um parceiro confiável e dedicado a se comprometer com a criação de uma criança.

Antigamente a figura paterna era essencial para a “fabricação” do bebê, mas graças aos pesquisadores e médicos do mundo todo, a fertilização in vitro ajuda mulheres que não desejam um parceiro para dividir a criação do filho ou aquelas que escolheram apenas o momento certo para engravidar por conta da vida profissional corrida ou do desejo tardio de ser mãe.

A fertilização in vitro é basicamente um procedimento médico em que o profissional recolhe espermatozoides masculinos e gametas femininos para que a fecundação seja realizada em um ambiente controlado, dentro de um laboratório, e somente depois é transferido para o útero da genitora. O sucesso do procedimento em mulheres com menos de 35 anos é quase certo, dificilmente resultando em erro.

Foi graças a esse procedimento que a inglesa Manda Epton, de 50 anos, realizou o grande sonho de ser mãe. Depois de 11 anos tentando e tendo muitas falhas, ela conseguiu gerar gêmeas. O tratamento não foi nada fácil nem barato — a mãe das gêmeas precisou desembolsar cerca de £ 40.000 libras (aproximadamente R$ 300 mil).

2Uma mae da a luz a lindas gemeas aos 50 anos depois de ter tentado por 11 anos

Reprodução Facebook / Manda Epton

Em entrevista para o jornal norte-americano New York Post, Manda conta ter passado por 23 tratamentos de fertilização e três abortos espontâneos durante todo o processo. Passando por várias tentativas até chegar ao êxito, Manda Epton revela ter ficado assustada com os valores que estava gastando e, em certo momento, recomendaram-lhe procurar um psicólogo, pois ela deveria aceitar o fato de que era impossível ser mãe aos 43 anos. Mas isso apenas a motivou a não desistir do seu sonho.

Depois das falhas com as tentativas de fertilização nos Estados Unidos, onde mora atualmente, ela procurou, por recomendação de um colega próximo, uma clínica especializada nesse tipo de procedimento, localizada na África do Sul.

A mãe das pequenas Chloe e Freya descreve o início da gravidez, quando ela se sentia muito enjoada e fraca, precisando até tomar algumas injeções para ajudar no fortalecimento do seu organismo.

Segundo pesquisas, a chance de engravidar de forma natural ou laboratorial depois dos 45 anos são muito baixas, menos de 1% para ser exato, isso ocorre por conta da falta de óvulos presentes no corpo feminino e do envelhecimento de alguns que restaram, mas basta encontrar um óvulo e um espermatozoide que estejam dispostos a mudar esses números para ter uma tentativa de sucesso, como no caso da inglesa.

3Uma mae da a luz a lindas gemeas aos 50 anos depois de ter tentado por 11 anos

Reprodução Facebook / Manda Epton

Ser mãe aos 50 anos, em pleno século 21, com tantas modernidades e tecnologias que incentivam a criação das pequenas gêmeas, Manda deixa claro que prefere se jogar nas brincadeiras com as garotas e evita ao máximo apresentá-las aos celulares ou tablets.

Trabalhando atualmente como freelancer e dona de uma pequena empresa onde fabrica edredons orgânicos, ela agradece a oportunidade de ser uma mulher experiente, podendo aplicar suas vivências no desenvolvimento pessoal das meninas.

Comente!

Árvores ou caravelas? O que você enxerga primeiro diz quão ingênuo você é!

Artigo Anterior

Mari do Prexecão lamenta exposição de Caio Castro: “Podia ter falado no direct”

Próximo artigo