Uma mensagem para quando você mesmo impede sua bênção de chegar



Você está permitindo?

Quando nos sentindo sozinhos, sem rumo, é a hora de confiar em nossos instintos (no Universo) e de honrar e ser leal aos nossos valores, nossos pactos, propósitos e objetivos.

Já estou vendo bandeirinhas penduradas para as “festas-de-São-João”, mas confesso que eu ainda estou no clima da Páscoa. Ela é, com certeza, minha data anual favorita, superando Natal, ano novo e meu próprio aniversário! Para mim, a Páscoa não é um evento, é um processo, que começa no Egito e se desdobra dia após dia, trazendo revelações, milagres e liberdade. Ela não termina no Mar Vermelho, nem no recebimento da Bíblia, mas flui até a Terra Prometida. Estamos quase lá!

Todos nós temos nosso próprio Egito (vícios, medos, etc.), nossa própria Bíblia (valores, regras pessoais, código de conduta) e nossa própria Terra Prometida (sonho, objetivo). É triste que muitas pessoas a tenham abandonado ainda no começo do ano, talvez em algum momento entre os fogos de artifícios e as alegorias das escolas de samba. No momento em que dobramos a esquina do meio do ano, elas ainda estão vivendo as mesmas situações, com as mesmas pessoas, com os mesmos problemas e os mesmos desejos de mudança!

Quando Moisés escreveu a Bíblia, ele usou a palavra midbar (deserto), de davar (palavra). Aliás, o nome original do livro “Deuteronômio” é “devarim” (palavras). Isto é relevante porque nos leva para um nível de conhecimento mais profundo sobre nós mesmos e nossos próprios Egitos, desertos e Canaãs. Estar no deserto é ter a oportunidade de testar nosso davar, nossa Bíblia pessoal.

Em outras palavras, quando passamos um sufoco e nos sentindo sozinhos, sem rumo, é a hora de confiar em nossos instintos (no Universo) e de honrar e ser leal aos nossos valores, nossos pactos, propósitos e objetivos.

Onde você quer chegar? Quais eram seus sonhos quando você começou?

O trajeto real do Egito até Canaã é de pouco mais de 7 dias de caminhada. Li e reli este trecho Bíblico inúmeras vezes e em nenhuma delas me fez algum sentido os 40 anos do povo no deserto. Mas agora faz: a falta de propósito, o esquecimento e o não ouvir, faz com que pessoas rodem em círculos sem sair do lugar (por anos)!

A época do ano na qual estamos agora se equivale à porção bíblica onde os israelitas chegam às margens da Terra Prometida. Deus falou algo para Moisés, antes de entrarem.

Espiritualidade é a arte de ouvir. Deus, o Universo, o Eu Superior, os arcanjos, os anjos, estão todos lhe falando, ajudando e instruindo o tempo todo! Você nunca está sozinho ou abandonado!

A meditação é linda porque nos permite retirar nosso foco do caos e transferi-lo para a paz. Amuletos, exercícios e ferramentas podem ser importantes, mas há momentos nos quais tudo e só o que você precisa fazer é parar, respirar fundo e se perguntar: e a agora? BUM! A resposta aparece!

Mas você precisa parar e ouvir! Eu notei que faz parte da nossa cultura deixar a TV ligada, mesmo quando não se vai assistir, só para que não haja silêncio no ambiente.



É um grande desperdício que as pessoas não queiram ouvir o silêncio porque ele está cheio de respostas!

É quando está silêncio lá fora que você ouve o que está acontecendo aqui dentro. Em muitas destas vezes, a mensagem interior diz claramente para você fazer algo, ligar para alguém, abrir o e-mail… o que vai ajudá-lo a chegar à Terra Prometida, mas você está com medo do deserto, e prefere ouvir qualquer-coisa para se distrair. É em horas como esta que as pessoas se veem tentadas a voltar ao Egito, à velha vida, à mesmice.

Moisés segue as instruções e envia homens para espiar a Terra Prometida, antes de finalmente entrar. 40 dias depois, eles voltam, dizendo que a terra é exatamente como prometida, mas que os habitantes são muito fortes, são filhos dos gigantes! Eles se viram como gafanhotos perto dos gigantes, e, segundo eles, os gigantes os viram como gafanhotos. Ou seja, não tinha como enfrentá-los, eles iriam morrer e, ó-meu-deus, deveríamos voltar para o Egito!

Dois destes homens trouxeram uma visão mais otimista sobre aquela situação. Dois deles disseram que era para eles entrarem todos de uma vez e tomar posse, que era possível vencer.

Deus era com eles, e não havia como fracassar!

A maioria se via tão incapaz de realizar aquela tarefa, que, não só que eles se viram como fracos insetos, como também presumiram que os habitantes os viram como assim; mais do que isso, eles os viram como gigantes (eu não consigo deixar de pensar que, quando Davi viu um gigante, ele escreveu um salmo e passou por cima dele!)

Quando você se vê como um vencedor, as pessoas também o veem como vencedor. Quando você se vê como um inseto mendigando atenção, as pessoas vão pisar em você! Não fique no caminho para ser pisoteado!

E se você não pudesse falhar? O que você faria? Como você agiria?

Quando Jesus reuniu os pães e peixes, ele tinha tanta convicção de que daria certo, que os ergueu aos céus e agradeceu. Parafraseando o ditado: o pouco com Deus é tudo! Não importa que as chances de dar certo sejam pequenas, acredite em você, confie nos seus instintos, ouça, conecte-se a algo maior, e agradeça.

Agradeça porque não tem como dar errado! Continue marchando! Só pare quando a terra que mana leite e mel for denominada a sua casa e propriedade! Já deu certo!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: thodonal/123RF Imagens.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.