ColunistasReflexãoSucesso

Uma única verdade sobre o sucesso:

Qual seu objetivo de vida? E o que você está fazendo para alcançá-lo? Quais são as suas metas, sonhos, planos?



O que é sucesso para você?

A coisa mais comum é escutar frases como “eu quero um carro melhor”, “preciso de uma promoção no trabalho”, “preciso de mais dinheiro”, e por aí vai, em rodas de conversas entre amigos. Mas, o que é um carro melhor para você? O que você tem que fazer para obter exatamente esse tipo de carro? Você tem dado o seu melhor e se preparado para ser promovido? Quanto de dinheiro você quer ter? O que vai fazer com esse dinheiro?

Oitenta por cento da população está condicionada a apenas dizer e pensar no que quer, mas não pensar nos caminhos a serem trilhados e em seu planejamento para obter o que quer. Pensar em como seria é uma ótima experiência, mas, e se você puder realizar tudo o que almeja? Não seria ainda mais satisfatório?


uma única verdade

No dia a dia cansamos de esbarrar em livros de auto ajuda, segredos e dicas de pessoas bem sucedidas, passo a passo milagrosos, e “n” números de meios para nos ajudar. Mas, sabe qual é o “x” da questão de todos eles? Depois que você lê um livro de auto ajuda, por exemplo, você fica motivado e encantado com tudo aquilo, por no máximo, um mês. O problema não está no livro, na matéria, na palestra. O problema está em você!

O problema é que você só sabe reclamar, nunca agradece pelo que tem e, quando almeja algo diferente, não tem disposição para lutar e prefere ficar sonhando acordado. Adianta querer ser promovido sendo que você não tem qualificação profissional necessária e não é um excelente funcionário? Perceba que, a porcentagem de pessoas extraordinárias é mínima. E elas sempre fracassaram antes de chegar ao topo. Fracassaram inúmeras vezes porque tentaram, e não porque não prestavam para aquilo que estavam fazendo.

O que é sucesso para você? Dinheiro? Fama? Poder? Família? Saúde?


Se você não colocar na sua cabeça o que quer e focar no caminho a percorrer para conseguir o que você almeja, esquece, não vai conseguir, vai se sentir motivado apenas uma semana e depois, vai olhar dos lados e dizer “depois eu termino”, “depois eu começo”, “pra mim não serve”, “eu não sou capaz”. E como fazer isso? Como mudar a forma de pensar e agir? Como ser uma pessoa mais confiante, mais positiva, mais calma e até mesmo mais prestativa?

Você pode começar com um ato simples, de colocar, por exemplo, em post it, o que você precisa fazer, pensar, lembrar, realizar, sonhar, enfim, o que não pode esquecer e o que precisa fixar em sua mente. Deixe espalhados pela casa, nos lugares em que você vai dar de cara e não passar despercebido. Depois, para ter uma meta de vida mais elaborada e focada, você pode pegar um caderno ou agenda, e, para cada folha, escrever um foco. Profissional, emocional, saúde, família. Em cada um desses tópicos, você escreve tudo o que almeja. Depois que fizer isso, se questione “como eu devo fazer?”, “por onde começar?”, “o que não devo fazer?”, “é isso mesmo que eu quero?”, “quando eu conseguir, o que devo fazer?”; essas são questões bases para ter um plano de conquista, mas você pode formular seus próprios questionamentos. A partir do momento em que você coloca no papel, lê todos os dias, formula e reformula, as ideias irão se fixando em sua mente, por fim, você mesmo vai mudando seus hábitos.

Quanto ao fracasso, ninguém nunca nos ensinou como lidar com ele, mas, o fracasso não é algo ruim, se você for uma pessoa positiva. Deu errado? Foi porque você tentou e, o simples fato de tentar já te coloca em uma porcentagem bem pequena de pessoas que não se encaixam na maioria. Mas, lembre-se sempre de que não adianta recomeçar, tem que ver onde errou para não fazer de novo. Então, sabe aquelas folhas de caderno que você vai separar suas metas? Deixe uma para o FRACASSO. Escreva todos os seus fracassos, desde um relacionamento que não deu certo, um negócio que tentou abrir e não virou, uma vaga de emprego que desejou muito e não conseguiu. Depois, siga a mesma linha dos questionamentos, “porque fracassei?”, “o que eu poderia ter feito melhor?”, “o que preciso lembrar-me de não fazer novamente?”.

Não sabemos qual é a verdadeira realidade depois da morte, então, e se não houver outra vida, será que você está vivendo plenamente ou só está sobrevivendo? Pense nisso!


Kaena

Sentir ciúmes não faz parte do amor!

Artigo Anterior

Tempos de silêncio e de paz…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.