Animais

Uma vida de traumas fez com que cãozinho só olhasse para a parede, mas ele ganhou nova chance!

Abandonado pelos antigos donos, Romeo só conseguia olhar para a parede; seu sofrimento era muito grande e comoveu muitas pessoas.



Para você, os animais devem ser tratados como humanos ou você acredita que é preciso existirem alguns limites? Independentemente do grupo de pessoas ao qual pertença, sempre há uma forma de conviver com seu bichinho de estimação tratando-o de maneira respeitosa, sendo gentil e oferecendo amor, além dos cuidados básicos.

Não é preciso ser expert na causa animal para saber que o abandono animal, praticado por inúmeras pessoas, é crime no Brasil, de acordo com a Lei Federal n. 14.064/20. Cães e gatos acabam expostos a todo tipo de sofrimento, passando fome, frio, sujeitos a maus-tratos, brigas e atropelamentos.

Alguns “cuidadores” pensam que, para minimizar essa questão do abandono, basta deixar os pets em um abrigo, assim poderão ser adotados por famílias que os queiram.


Mas vale ressaltar que a maioria dos abrigos de animais estão superlotados, além de funcionarem de forma voluntária, dependendo de doações da sociedade para manter-se. Sem falar que nem todos os animais conseguem uma família, por isso estão fadados a viver até o fim de suas vidas ali.

Por isso, nunca pegue um animal, se existe a mais remota possibilidade de colocá-lo em um abrigo, eles não são descartáveis e merecem ser respeitados em sua integralidade. O que aconteceu com Romeo ilustra bem o que estamos abordando aqui, ele foi abandonado por sua antiga família, aos 4 anos de idade. Seus donos decidiram se mudar e não quiseram levá-lo junto.

Reprodução Facebook/ Second Chance Rescue NYC Dogs

Pensando que seria uma ótima ideia deixá-lo em um abrigo, eles não imaginaram que aquilo provocaria um profundo sofrimento no animal, que não compreendeu o que estava acontecendo. Romeo chegou ao canil e, assim que percebeu que estava sozinho, foi perdendo a vontade de viver. O Second Chance Rescue NYC Dogs, que o acolheu, percebeu que ele só olhava para a parede.


Reprodução Facebook/ Second Chance Rescue NYC Dogs

Reprodução Facebook/ Second Chance Rescue NYC Dogs

Durante 48 horas, ele se recusou a se mexer, ficando com a cabeça encostada na borda do canil, sem comer ou beber água, tamanho sofrimento que estava passando. Os voluntários logo perceberam que aquele lugar, sem contato humano, faria mal para ele, e tentaram encontrar um lar, mesmo que temporário, para que Romeo pudesse melhorar.

Kelcy Kimmerer, uma das voluntárias do local, explicou que o cãozinho era gentil e amigável, e precisava estar perto de pessoas para se sentir mais feliz. O abrigo conseguiu um lar temporário, onde Romeo ficou por poucos meses, depois acabou voltando, mas foi questão de tempo até que conseguisse uma família amorosa e que realmente o quisesse.


Considerando-o um animal que expressa toda sua gratidão, Karen, sua nova dona, conta que ele parece agradecer-lhe todos os dias por ter sido adotado. Muito feliz e esperto, Romeo também tem uma irmã canina chamada Porscha, que divide os dias com ele. Felizmente, a ação da ONG, que percebeu as necessidades do cãozinho, fez com que ele fosse finalmente adotado.

As pessoas destes 3 signos não sabem lidar com dinheiro. São os mais gastadores!

Artigo Anterior

Depois de ir à falência e dormir em barraca improvisada, homem supera dificuldades e vira empresário

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.