Pessoas inspiradoras

“Vencendo a desnutrição”: nutricionista que luta contra a fome já ajudou mais 7 milhões de pessoas

Há quase três décadas, essa nutricionista luta para que a população não passe fome e se alimente de forma adequada. Sua batalha envolve educar e instrumentalizar a população carente.



Na pandemia, a fome tem-se tornado uma realidade cada vez mais próxima. Basta sair pelas ruas da cidade para compreender que existem muito mais pessoas em situação de rua do que antes, crianças, jovens, adultos e idosos. A pobreza não tem idade. As crises que o Brasil (e outros países) enfrentam, sejam elas sanitárias, sociais e/ou econômicas, deixam a população mais vulnerável ainda pior.

O momento atual ressalta o que sempre existiu em nossa sociedade: a desigualdade social. A nutricionista Telma Maria percebe isso, e busca resolver a situação há quase três décadas!

Com uma visão científica e acadêmica da pobreza e da fome, a profissional visitava com frequência casas de famílias carentes, coletando o máximo de dados que conseguia.


Telma pesava, media e examinava essas pessoas, perguntando-se o que poderia fazer por elas. Toda essa coleta de dados revelava que essas famílias eram ainda mais invisíveis, como se elas fossem reduzidas a simples números.

Ela percebeu que precisava enxergar além do trabalho, precisava humanizar aquelas famílias e seus esforços precisavam ir além de uma ajuda pontual.

A nutricionista precisava ir além, encontrar a raiz daqueles problemas e tentar garantir a saúde de toda a comunidade. Ela fundou o Projeto Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN), em Maceió (Alagoas), para melhorar a qualidade da comida que chegava ao prato da população. Mais de um milhão de 800 mil refeições já foram servidas a mais de 372 mil pessoas.

Direitos autorais: reprodução Facebook/CREN.


O impacto indireto de suas iniciativas já alcançaram mais de 7,5 milhões de pessoas, capacitando pais e profissionais, e atendendo-os em longo prazo, não pontualmente. Por isso, a nutricionista aposta em uma ação que modifique os hábitos alimentares, que racionalize as compras e seja capaz de empoderar a população a ponto de conseguir que essas mudanças sejam profundas.

Telma explica que acha doloroso mães precisarem passar pelo sofrimento provocado pela incerteza de seus filhos terem ou não uma refeição decente.

Atualmente, mais de 20 milhões de crianças e adolescentes sofrem com algum grau de desnutrição e má alimentação no Brasil, e devemos lembrar que a qualidade das refeições acompanha quem tem mais dinheiro, por isso a quantidade de industrializados que as famílias mais carentes consomem é gigantesca.

Direitos autorais: reprodução Facebook/CREN.


Quando tirou seu projeto do papel, a nutricionista logo percebeu que não bastava melhorar a quantidade e a qualidade das refeições porque, além de saúde, as crianças e jovens precisavam ter educação e conhecimento sobre o assunto. Telma decidiu investir numa estrutura com médicos, assistentes sociais, psicólogos, pedagogos e professores, ajudando não só as crianças, mas também as famílias.

Os pais aprendem a comprar os melhores alimentos, descobrem os sabores, os valores nutricionais e como utilizar a comida para melhorar a saúde.

São quase 30 anos de esforço e dedicação, e o sonho de Telma não se resume ao seu estado, ela quer acabar com a desnutrição no Brasil, acreditando que em um país tão rico não cabe miséria e fome.

Direitos autorais: reprodução Facebook/CREN.


Torcemos para que Telma realize seu grande sonho! O que acha deste caso?

Comente abaixo e compartilhe este texto nas suas redes sociais!

Luis Felipe Manvailer é condenado a 31 anos de prisão pelo assassinato de Tatiane Spitzner

Artigo Anterior

Ensine seu filho sobre autonomia e, no futuro, ele não dependerá de você!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.