publicidade

Vencendo o medo e se tornando uma pessoa de coragem!

Quando as pessoas me perguntam como superar o medo, a primeira pergunta que eu faço é: “Como você sabe que está com medo? Como você sabe que aquilo que sente é medo?” Na verdade, não tenho certeza se aquilo que sente é medo. E se não fosse medo, o que seria? Talvez alguém responda que sabe que está com medo pelas sensações instaladas no próprio corpo. Então ainda repetirei a pergunta: –”Como você sabe que isto é medo?”



Para que serve o medo, afinal? Para que ele existe em todos os seres que ainda permanecem na face da Terra? É normal ter medo ou é mais desejável não ter?

Em sua forma mais saudável, ele tem função protetora e nos pede para prestarmos atenção. É um sinal de alerta que, ativado diante de um perigo real, permite que nos adaptemos à situação, fugindo, lutando ou paralisando, dependendo muito de suas percepções e experiências a cerca da vida.

vencendo-o-medo-capa-e-foto-o1

Existem diversos tipos de medo, por exemplo: pessoas que temem o escuro, outros de altura, outros falar em público, dentro outros.


Para cada pessoa o medo se manifestará de uma forma, sempre dependendo de como a pessoa representa o medo para si (as perguntas no começo deste artigo o ajudarão a compreender melhor). Se seu medo é, por exemplo falar em público, ele pode estar associado a vergonha, exposição, medo de errar e do que os outros vão pensar de você.

Entenda, o medo é uma percepção:


Identifique o medo que sente em relação a alguma experiência (medo de dirigir, de sair sozinho, falar em público e assim por diante). O medo poderá surgir através de uma imagem (lembrança ou imaginação), som (música, ou voz), sensação (calafrio, frio na barriga).

Se seu medo está relacionado a uma imagem, quando fecha seus olhos qual o tamanho dessa imagem? Quais cores, e brilho? Como se fosse uma folha de papel sulfite, dobre essa imagem para que ela fique pela metade, depois dobre mais uma vez para ficar metade, da metade, e vai dobrando a imagem até ficar tão pequena, que não conseguirá mais dobra-la. E quando isso acontecer, pegue essa imagem e jogue fora. Observe suas sensações, respiração, sentimentos, etc. Abra os olhos e observe as horas (esse procedimento é para que possa quebrar o estado, você pode contar até 10, ou esticar todo o seu corpo), depois repita esse mesmo procedimento por 5 vezes.

Se seu medo estiver associado a um som, observe esse som. Se é uma voz dizendo: “ você não vai conseguir”, “ você não é bom o suficiente”, “ todos vão rir muito de você” ou frases parecidas com essas, com os olhos fechados “converse” com essa voz fazendo as seguintes perguntas: “Isso é verdade? ”, “ Você pode afirmar com certeza absoluta que isso é verdade?”, “Quem eu seria se não tivesse esse medo?”. E após responder essas perguntas anote tudo o que sua voz interior diz a você e que está formulado no negativo, inverta as frases para o positivo, exemplo: Eu vou conseguir, eu sou bom o suficiente, todos vão me aplaudir. E após esse exercício, lembre-se de 3 itens em sua vida que deram certo e anote como foi o processo de cada um.

Enfrente seu medo

Como se aprende a nadar? Nadando. E a dirigir? Dirigindo. E com o medo, como se faz? Primeiro se sente, depois enfrente-o. Enfrente seu medo, olhe nos olhos de seu medo e diga: Eu sou capaz de vencê-lo!
Muitas vezes o que mais tememos é apenas fruto de nossa imaginação, nossas crenças sobre a vida, percepções e valores. A maioria dos medos não chegam a se tornar realidade, ficam apenas em nossa cabeça.

vencendo-o-medo-foto-02

Dependerá de esforço e determinação durante algum tempo, mas podemos aprender a dominar o medo, ao invés de sermos dominados por ele.
O medo é que tem que nos servir, e não você que deve servir ele.

Sucesso e realizações em sua vida.

Um abraço com carinho,

Queli

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.