4min. de leitura

A vida é um tabuleiro e vamos nos encaixando ao longo do caminho…

Convenientemente incoerente. – As peças se encaixam quase que perfeitamente, preenchendo os espaços que faltaram. No entanto, olhando a certa distância, é possível ver que a paisagem não é harmoniosa. As peças têm encaixes semelhantes, mas não parecem fazer parte do mesmo jogo.


A vida é um tabuleiro e vamos nos encaixando ao longo do caminho com os acontecimentos e pessoas que constituem as peças de nosso jogo particular e complexo.

Por ‘N’ vezes as peças não parecerão ter encaixe e vamos seguir para a próxima fase deixando aqueles espaços para serem preenchidos mais tarde. Como naquelas provas difíceis onde deixamos as questões mais elaboradas por último.

Então, vez por outra, quando a mente distrai as peças daquelas lacunas antigas surgem. São encaixes perfeitos que preenchem imediatamente os espaços que fomos deixando para trás. É conveniente e confortante, mas observado de uma distância segura, parece incoerente com a paisagem que já se formou.

Como é difícil pensar em remover peças incoerentes, podemos pensar que se encaixou, não tem importância que destoe um pouco! Ou talvez, quem sabe aquelas sejam as peças certas e nós é que estamos no tabuleiro errado?

Talvez seja possível apenas ignorar e seguir adiante assim mesmo.


Dois passos para trás. É preciso sair um pouco do jogo, levitar da própria vida e permitir se observar. Você é uma peça do jogo tentando se encaixar com as demais. As peças que você não conseguiu encontrar parecem estar perdidas no jogo de outras vidas. Aquelas vidas que parecem tão plenamente preenchidas, enquanto a sua tem tantas peças faltando. Enquanto isso outros jogadores o observam com o mesmo raciocínio equivocado.

É possível embaralharmos nossas peças em outros jogos, outras vidas, preenchermos os vazios de forma conveniente, vivermos em outra história ou permitirmos que peças alheias estejam na nossa, até notarmos qualquer incoerência que nos impele a corrigir o jogo. As peças que te faltam são aquelas que você permitiu irem para outro tabuleiro, os espaços que você preenche em outros jogos.

As ausências que você permite deixando ficar no seu tabuleiro peças que não são suas.

É possível chegar até a fase final com peças faltando, ou preencher lacunas com peças convenientemente incoerentes. Mas a vida é esse jogo de muitas fases para um próximo nível. É permitido tudo o que lhe convir, pular fases, deixar lacunas ou preencher lacunas alheias. O jogo é seu! Mas para um próximo nível, você deverá ter executado todas as fases com perfeição ou ficar nesse até que faça isso, mesmo que precise jogar esse jogo repetidamente.


Não sobram peças no seu tabuleiro que possam ser encaixadas em outro. Não faltam peças para você que possam estar perdidas por aí. Tudo é feito sob medida.

Se for convenientemente incoerente, não serve para você e você não serve para essa conveniência. Tenha paciência. Um bom jogo requer a experiência que vem do tempo, dos erros e acertos. É possível consertar-se você não se distanciar demais daquela fase preenchida por conveniências, se voltar para seu jogo deixando de ser conveniente para os demais.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: cepn / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.