A vida é uma festa!

Já vi muitas definições para “vida” e essa eu considero a mais otimista. Um brinde à rainha dos baixinhos, que marcou a infância de muitas pessoas e nos proporcionou sua música com este nome:

A vida é uma festa!

Agora, situemos no hoje, e consideremos que, em meio à crise, vestibulares acirrados, ansiedade, depressão, tufões e furacões… em meio a tudo isso, imaginemos que a vida é sim, uma festa. Uma festa diferente, possivelmente trágica, diga-se de passagem. Tudo bem, fui bastante tendenciosa e escolhi citar aspectos mais complicados para citar. Temos coisas boas também atualmente: as selfies, as pessoas importantes para nós, um monte de coisas que adoramos fazer, inspirações e objetivos que nos motivam.

Vamos imaginar que antes da festa está tudo bem, na barriga de nossa mãe. Lembra que a vida é uma festa? Então abstrai e vem comigo. Quando saímos do quentinho do nosso quarto, é a hora do nosso primeiro choro.

Nós nos arrumamos, começamos a nos acostumar com a ideia de ir à festa. Finalmente saímos, começamos a andar. Chegamos de fato à festa.

Vem uma imagem de crianças correndo, brincando e gritando. Que festa! Até a adolescência, nossa! É muita brincadeira e descoberta, muitas coisas divertidas, na maioria das vezes.

No meio da festa, percebemos que, algumas pessoas se sentem mal, algumas se machucam, outras estão super felizes dançando, outras relaxam porque já cansaram, algumas se vão. É, faz parte.

Ao final da festa, estamos cansados e só queremos descansar. Tem algumas pessoas que ainda permanecem empolgadíssimas, é impressionante. Mas, de modo geral, a energia já se foi e está na hora de dormir. Se a vida for uma festa, aqui é a hora de se despedir dela. Mais que mórbido,– você diria. Imagina, amanhã a festa continua para quem fica. E, se a vida é uma festa, amanhã tem mais.

Faz parte da vida, o fim e o começo. Os dias estão aí para nos lembrar disso, todo dia. O fim pode ser um novo começo. Todo dia, toda festa, relacionamento, carreira, crise e situações diversas.

Há pessoas que escolhem acabar e não ir à outra festa. E há outras, que curtem as mudanças, esses movimentos da vida e estão sempre curtindo ou até mesmo, aprenderam a curtir. Afinal, adianta reclamar? Algumas pessoas não gostam de festa e ficam emburradas o tempo todo.

Mas há vários estilos de festas, não desanime. Continue festejando e permita-se conhecer novas festas, ou seja, buscar em outros lugares, com outras pessoas, docinhos e música. Uma hora você encontra a sua batida perfeita.

É, a Xuxa estava certa. A vida é uma festa. Tim-Tim!



Deixe seu comentário