Vídeo: confiram por que essa bela animação ganhou 27 prêmios internacionais

2min. de leitura

Por Rita de Sousa



Falar dessa animação é tarefa difícil, quase banal. Talvez por isso Po Chou Chi, o jovem diretor, natural de Taiwan, radicado em Los Angeles, não usou nenhuma palavra em Lighthouse (em português, “Farol”).

Cheio de sutilezas e simbolismos, o filme trata delicadamente da relação entre pai e filho, do crescimento, de amor e respeito. Mostra, em pouco mais de 7 minutos, o crescimento, o aprendizado, a partida, o retorno e o envelhecimento. E o fim, que é também começo.

O Farol é a casa, o lar, o porto seguro, o sinalizador de que está tudo certo, o abraço do pai. Os barcos a um só tempo simbolizam as conquistas, mas também as indas e vindas. Cartas são escritas, o pai espera, as estações mudam, e o inverno chega.


Tudo embalado, como a cereja do bolo, pelo delicado piano de Chien Yu Huang.

Po Chou Chi criou esta belíssima obra de arte na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), onde está atualmente fazendo seu mestrado em Belas Artes, o MFA, e ganhou com este curta 27 prêmios internacionais e participou de 50 festivais de cinema.

O reconhecimento não é uma novidade para ele: seu primeiro trabalho, o filme de animação 3D, A Gaveta da Memória (The Drawer of Memory), de 2006, já tinha levado diversos prêmios e sido aclamado em diversos países como Alemanha, Japão, China, EUA, Coreia e França.


O Farol, como não podia deixar de ser, foi dedicado aos pais de Po Chou Chi.

E a preciosa dica veio da muito querida amiga do blog Maria Regina Ribeiro Fortes.

 

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 28/12/2013 às 15:16






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.