5min. de leitura

Vídeo de 2 minutos mostra com clareza como funciona o ciclo do relacionamento abusivo

Os relacionamentos abusivos têm se tornado um assunto bastante comum nos últimos tempos, tendo em vista que cada vez mais pessoas se encontram presas a esse ciclo negativo e encontram muita dificuldade em se libertar e criar uma realidade de felicidade para si mesmas.


Há muito o que se falar sobre esse tema, e o melhor a fazer é começar explicando como essas relações são formadas.

Tradicionalmente, o abusador é uma pessoa narcisista e egocêntrica; a vítima, empática e com tendências ao apego emocional.

Com seu comportamento manipulador, o abusador usa suas habilidades para prender a vítima na relação, através de comportamentos amorosos, que com o tempo darão lugar à agressividade e egoísmo. A vítima, por sua vez, sente-se apegada e não consegue se libertar, é como se estivesse presa a outra pessoa.

Os relacionamentos abusivos costumam seguir um roteiro pré-definido, que orienta toda a vida do casal até que o vínculo finalmente se rompa, ou pela determinação vítima ou pelo abusador, que descarta a vítima atual para procurar uma nova.


Abaixo estão as principais fases do ciclo do relacionamento abusivo explicadas.

Fase 1: Desentendimentos e tensão

Os desentendimentos são geralmente criados pelo abusador, sobre coisas superficiais ou mesmo sem nenhum motivo aparente. Como consequência, ele corta qualquer tipo de contato com a vítima e frequentemente faz uso do silêncio passivo-agressivo, para que a outra pessoa se sinta confusa e faça tudo em seu alcance para acalmar as coisas e compensá-lo por seu descontentamento sem causa.


Fase 2: Agressividade

Nessa fase, os desentendimentos evoluem para uma realidade de agressividade, em que pode acontecer abusos verbais, emocionais ou até mesmo físicos. Os gritos, ofensas, ameaças, intimidação e vitimização são muito comuns. A vítima se convence de que não vai mais tolerar essa situação, mas no fim acaba cedendo, tão forte é o poder do abusador sobre ela.



Fase 3: Fazer as pazes

Nessa fase, para manter a vítima presa a si, não porque realmente sinta isso, o abusador pede desculpas por seu comportamento. Além disso, também atribui a culpa a vítima por ter criado uma situação negativa e motivado o desentendimento.

Muitas vezes, o abusador também pode negar que tenha agido errado ou dizer que a vítima está exagerando em suas reações. Depois disso, dita um novo rumo para a relação, prometendo que as coisas vão melhorar, da boca para fora.


Fase 4: Tranquilidade

Por um tempo, as coisas ruins que aconteceram na fase 2 são esquecidas e o abusador fica um pouco neutro de seus comportamentos tóxicos. A vítima, assim, acredita que o tempo todo exagerou e que, no fundo, o que aconteceu foi sua culpa.

Ela promete melhorar e lutar para que a relação dê certo. As coisas ficam bem por um tempo até que começa tudo de novo, desde a fase 1.

Um relacionamento abusivo limita nossa felicidade e completude, é algo que devemos evitar a todo custo. Se você sente que está vivendo uma relação como essa, busque maneiras de se libertar. Você nasceu para ser feliz e completo, e não deve se conformar com menos que isso.

Abaixo mostramos um vídeo muito interessante sobre os relacionamentos abusivos, que mostra exatamente todas as fases desse ciclo negativo. O vídeo foi feito pela Day One e traz um apelo muito importante: não confundir o amor com abuso, porque depois da fase lua de mel, a verdade sobre a outra pessoa é revelada.

Preste atenção a cada fase da relação e como as coisas caminham para a dependência e abuso.

Aprenda a identificar os sintomas de relacionamentos abusivos e proteja a si mesmo de pessoas que não têm os melhores interesses no coração.

Busque companhias que façam o façam feliz e completo!






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.