Comportamento

Vitória: crianças de 1 ano conseguem fazer transplante de coração após meses de espera!

vitoria Criancas de 1 ano conseguem fazem transplantes de coracao apos meses de espera

A espera angustiante de novos órgãos terminou para as famílias das três crianças. Uma notícia a ser celebrada!



Três crianças de diferentes estados receberam uma nova oportunidade de vida depois de meses de espera graças à doação de órgãos.

Vicente Marestoni, Beatriz Fuentes da Silva e Larissa Pontes Ferro, com pouco mais de 1 ano de idade, aguardaram por meses pelas cirurgias que lhes dariam novos corações, e receberam essa grande oportunidade com poucos dias de diferença, no mês de fevereiro.

Segundo matéria do G1, os transplantes das crianças foram realizados no Instituto do Coração, em São Paulo. O primeiro a ser agraciado com esse grande presente foi Vicente, de 1 ano e 5 meses.


Ele é de Mato Grosso, mas vivia num hospital particular de São Paulo, desde setembro de 2020, onde fazia tratamento contra a cardiopatia.

Vicente nasceu com transposição das grandes artérias, uma cardiopatia que acontece quando as artérias aorta e pulmonar estão em posições invertidas. Ele também nasceu com apenas uma artéria coronária – o normal são duas.

Por sete meses, Vicente aguardou um doador compatível e, durante seis meses, usou o Berlin Heart, um dispositivo que funciona como coração artificial. Karina Marestoni, mãe de Vicente, disse ao G1 que avistou uma luz no fim do túnel após a cirurgia, que aconteceu no último dia 4, e durou cerca de 11 horas.

No dia 9 de fevereiro, Beatriz foi agraciada com um novo coração. A menina, de 1 ano e 2 meses, esteve no aguardo do transplante por 11 meses. Ela é de Cuiabá (MT) e foi para São Paulo no dia 8, com a promessa de colocar o Berlin Heart, mas logo no dia seguinte, a família recebeu a notícia de que havia um doador disponível.


A mãe da menina, Paula Fuentes, disse que o transplante representa uma segunda chance de vida para a filha.

A última criança a receber o novo órgão foi Larissa, de 1 ano e 8 meses. Após 11 meses na fila de espera, sua cirurgia foi realizada na última quinta-feira (11). Por nove meses, a menina usou o Berlin Heart.

Milena Pontes, mãe de Larissa, afirmou que o transplante da filha representa a tão esperada volta para casa e união com a família, além de muita alegria para a menina, que ainda tem muita vida para ser vivida.

De acordo com dados apurados pela Central de Transplantes de SP, 2020 teve o maior número de doadores da história, mas as cirurgias diminuíram por conta da pandemia de covid-19.


Nossa expectativa é que esse número volte a subir o mais rapidamente possível e que mais pessoas realizem o sonho de uma nova vida através de transplantes de órgãos!

Compartilhe o texto em suas redes sociais!

Justiça decide em favor de filha que se recusa a cuidar de pai que a agrediu e abandonou na infância

Artigo Anterior

Cãozinho percorre mais de 25 km para encontrar família que o ajudou. História de resiliência!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.