ColunistasReflexão

“viva tudo o que há para viver… e perdoe sempre!’’

Pedro Bial disse: morrer é ridículo. Sempre que morre alguém próximo, aquele que encontramos outro dia, somos tomados de um sentimento estranho, um misto de pavor e incredulidade. A verdade é que a morte inesperada nos assusta. É disso que trata Bial em seu texto poético e realista.



Só pensa na morte quem está num hospital, sofrendo de uma doença grave, às portas de uma cirurgia. Mesmo assim, debaixo de muita coragem. Eu vi minha mãe entrar numa sala de cirurgia e não sair viva. Nunca vou esquecer a cena. Os quatro filhos a acompanhavam pelo corredor,  a maca parou para nos despedirmos. Eu disse apenas: “Quando você sair, será vida nova!”. Era uma simples cirurgia do coração. Uma morte inesperada, improvável.  Mas certamente cogitada por quem se deita numa maca para abrir o peito.

viva-tudo-o-que-capa-e-foto-01

Essa é uma questão que me intriga bastante: como é saber que se vai morrer? Foi o que me perguntei durante o falecimento de meu pai. Por cinco dias ele aguardou pacientemente a morte num leito de hospital. Após uma doença grave, já não havia esperanças de tratamento. A recomendação médica foi morrer, aos poucos, com pequenas ajudas para evitar o sofrimento.


Ele sabia de tudo. Embora não mais falasse, nos fitava a demonstrar o que se passava em sua mente: “Ainda estou aqui”. Ao final, um último olhar lúcido de adeus.  Desde então  penso como será saber-se vizinho da morte. Talvez seja a grande oportunidade para fazer o balanço da vida, acalmar o coração, despedir-se mesmo que mentalmente, agradecer, preparar-se para o que vier. Não deve ser fácil morrer de supetão, como descreve Bial, com tantos compromissos, planos, esperanças, situações por resolver, contas a pagar.

Morrer encerra tudo. É o cúmulo da inutilidade da vida. Rei morto, rei posto. C’est fini. A Inês é morta.

Sinceramente, acho melhor se preparar para isso. Ser pego de surpresa, como num acidente, deve ser traumático demais para quem morre. Imagine se você deixou dívidas para os filhos, se está escondendo uma traição da esposa, se passou a perna no sócio, se mentiu para não ir ao trabalho? Já pensou sair desta vida deixando para trás algum malfeito? Já imaginou falarem mal de você no velório? Que vergonha….

Por essas e outras é melhor morrer com antecedência. Ter tempo de pedir desculpas, retribuir as ajudas, fazer as pazes, rever os amigos, pagar as contas, visitar quem está longe. Saber a data da morte deve ser muito bom. Imagina poder dar a volta ao mundo, comer e beber tudo que se gosta, ouvir as músicas preferidas, ler todos os livros da lista, fazer muito carinho em todos que amamos, brincar e rir à vontade, sair da vida feliz e satisfeito.


Mas como a morte é o único momento do qual não temos certeza de quando será, para morrer bem é preciso começar a morrer agora. Ou melhor, viver como se fôssemos morrer amanhã. Muita gente fala isso de uma forma meio romântica, do tipo “viver o agora”. Eu penso que é mais do que viver o momento presente. É viver para morrer com o dever cumprido.

Creio que a melhor vida é aquela em que se morre com dignidade, com respeito por sua história, sem medo de críticas porque se  viveu com coerência. Temos que viver,sim, pensando que vamos morrer, e quando esse dia chegar, queremos estar com a consciência limpa.

Morrer em paz é uma construção que se faz em vida. Morrer com desejos aplacados, medos enfrentados, mágoas perdoadas é uma benção a que muito poucos se dão o direito. Para isso, é preciso pensar na morte de cabeça erguida, sabendo que ela virá a qualquer momento, e que para vivenciá-la da forma mais plena e consciente possível, é necessário preparar-se durante todos os minutos em que estivermos vivos.

viva-tudo-o-que-foto-02


Como diz o Bial em seu texto: “Por isso viva tudo que há para viver.  Não se apegue às coisas pequenas e inúteis da vida… Perdoe… Sempre!!! “.

Porque se amanhã for seu dia de morrer, que você esteja pronto. Que a sua história de vida possa ser contada com orgulho e que você deixe somente boas lembranças.

Saber dizer não é dizer sim para a autoestima!

Artigo Anterior

Você chegou irradiando sua paz e me envolveu no seu caloroso abraço…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.