publicidade

Voando, a menina perdeu o medo de altura

Dizem que quem conhece o céu não se contenta mais em andar com os pés no chão, e parece que a menina entendeu bem isso.



Ela tinha muito medo de altura, por isso mantinha os pés bem fincados ao chão, até o dia em que resolveu confiar nas próprias asas e saltar, e foi aí que percebeu que medo nenhum é maior do que a liberdade de voar até onde o coração escolhe estar. E ela nunca mais parou!

Viram a menina voar cada vez mais alto. Ela agora sabia que podia ir aonde quisesse. Confiava nas suas asas. E a asa, quanto mais voa, mais forte fica. Asa sem uso atrofia, assim como os sonhos, e ela agora tinha os dois, asas e sonhos, que juntos viram realidade. Dizem que quem conhece o céu não se contenta mais em andar com os pés no chão, e parece que a menina entendeu bem isso.

As pessoas não entendiam a escolha dela, algumas diziam que devia ser muito solitária na imensidão azul; outras, que ela havia se esquecido das raízes; e outras ainda admiravam sua coragem. Mas a vida é assim mesmo, quanto mais crescemos, mais nos afastamos daqueles que vivem limitados em suas crenças e críticas.


É, menina, a liberdade ofende quem está preso a preconceitos limitantes, e esse é apenas um dos preços a pagar quem escolhe ser livre: alçar voo e conquistar o mundo.

Não é fácil, mas vale cada minuto, por isso, menina, solte as amarras que a prendem. Lembre-se: medo, incompreensão, reprovação e julgamento são armas usadas pelos que não se atrevem a ter a coragem que você tem!

Faça tudo o que quiser. Quer viajar sozinha ou na companhia de alguém? Ficar de pernas pro ar ou sentar-se de pernas cruzadas? Cortar o cabelo bem curto, pintá-lo de loiro platinado, preto-azulado ou bordô? Pintar as unhas e a boca de vermelho, azul, rosa ou preto? Ficar solteira pra vida toda ou casar-se com Maria, Joaquina, João ou José? Não ter filhos ou ter uma prole gigante? Fazer luta, pole sensual ou balé? Dirigir um carro ou uma empresa? Faça! Faça tudo isso e tudo o mais o que quiser fazer, desde que sua escolha (para você) seja a certa, não prejudique ninguém e a faça feliz!

Não deixe que as pessoas manipulem sua felicidade, com falsos argumentos, porque felicidade, menina, é a gente mesmo quem faz! Há quem seja feliz tendo raízes e quem tenha asas. Mas isso só aprendemos com o tempo, a despeito de o tempo ser diferente para cada ser, de acordo com o nível de evolução em que se encontra. Entendendo isso, aprendemos a respeitar o tempo de cada um. Sempre vai existir o tempo de ficar e o tempo de partir, para todas as pessoas do mundo.


O que importa mesmo é perceber a hora de saltar, porque as oportunidades nem sempre voltam, e há quem, por falta de coragem, fica a vida toda no mesmo lugar, como uma árvore presa pela raiz, com uma baita inveja do pássaro que voa livre no céu. Mas se esquecem de que eles também tiveram de abandonar o conforto do ninho na hora que escolheram voar. São as escolhas: perder o chão ou ganhar as estrelas!

Abrir mão do porto seguro ou velejar pelos sete mares? Com o voo, a menina aprendeu que o medo do desconhecido faz mais pesada a vida, e pesos desnecessários só atrasam a viagem. E foi levando só levezas que ela chegou ao seu destino, realizou os seus sonhos e percebeu que, no fim das contas, só damos sentido ao que vivemos, sentindo-o. Por isso, menina, use suas asas para se libertar daquilo que a aprisiona por dentro, permitia-se sentir, amplie seus horizontes, viva seus sentimentos, não os reprima, e espalhe amor, não guarde para você o bem que pode e deve fazer para melhorar o mundo.

Enquanto você tiver o livre-arbítrio, será eternamente livre para voar e pousar onde quiser!

 

Direitos autorais da imagem de capa: Letícia Pelissari/Unsplash.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.