5min. de leitura

Você acaba com o meu psicológico…

Em tempos de amores fracos, fortes são aqueles que ainda assumem e afrontam os impulsos que mais latejam dentro de si…


Em cada esquina, o que mais podemos encontrar são pessoas que se orgulham por estarem vivendo um relacionamento conturbado.  Não estou julgando, eu também já assumi minha atração por sentimentos mal resolvidos. E você, provavelmente, também deve se enquadrar em alguma dessas opções. É óbvio que todo mundo almeja um amor tranquilo, alguns com sabor de fruta mordida, outros, no embalo da rede matando a sede com o sabor da saliva.

O problema é que entre querer, merecer e fazer acontecer, existe uma grande distância. A realidade é que existe a crise aqui, o ciúmes ali e o revanchismo lá. O que era para ser uma das coisas mais lindas do mundo, acaba sendo um peso por muitas vezes, insustentável por algum dos lados.

Bom, você também já deve ter enfrentado um término de relacionamento. Sofremos litros, choramos litros e bebemos litros. E quem disser que não faz essas três coisas, está sendo um tanto quanto, hipócrita. Achamos que vamos morrer e assim descobrimos, que a vida sempre continua e que ninguém morre de amor. Percebemos então, que ficamos mais leves. E nesse instante o momento é de reconhecer e aceitar, que não somos diferentes de ninguém.

Sobre a vida ser feita de escolhas, todo mundo já está careca de saber: estar em um relacionamento destrutivo, também faz parte de uma escolha absoluta e exclusiva sua. Um dia você descobre, que o amor sozinho não sustenta absolutamente nada. Cumplicidade, lealdade, companheirismo e uma boa relação, são apenas alguns dos primordiais elementos que podem fazer dar certo o relacionamento. Mas lembre-se, são apenas alguns elementos, ainda faltam muitos. Por uma incerteza qualquer, o término sempre será dolorido.

Foi, então, que eu te conheci e me encontrei.


Acordar e começar algo novo é desesperador, porque envolve o comodismo. Nunca sabemos o que nos espera. Talvez, teremos um encontro marcado com a solidão. Nesse caso, tente manter o equilíbrio e o controle a ponto de querer voar para bem longe, e não voltar mais. Conseguindo enxergar, dessa forma, que a vida é muito curta para perdermos tempo com essa enrolação de morde e assopra, de tapas e beijos.

Amor não se pede, não se implora e talvez, não se conquiste.

Amor é um sentimento primordial de qualquer ser humano. Ele simplesmente acontece. Não existem motivos ou razões, e ele ainda proporciona o fogo da intensidade. E mesmo, que eu insista em ter você, nada vai adiantar se você não quiser. É uma pena eu não poder roubar o seu amor, mas ainda assim, nada me impede de declarar o meu por você. Fecho os meus olhos e revivo o nosso filme na minha memória, aquele mesmo filme que eu assisto todas as noites, antes de dormir. Ele me faz ter insônia, ao contrário de tédio, ele me desperta por inteiro.

Essa sensação de procurar e acabar encontrando você em todos os lugares que eu olho, me tira do sério. O amor é delicado, nem sempre sabemos como lidar com ele. Procuro fazer tudo o que estiver ao meu alcance, mas se for preciso, vou além disso para estar com você. Em meio a dúvida da reciprocidade, espero que esse sentimento tão frágil, sobreviva aos contratempos da vida.

Eu que sempre fui medrosa, agora estou lidando com o temido talvez…

É difícil segurar sozinha esse elástico, quando um dos lados está frouxo. Mas eu não vou mais te pedir para segurar forte: segure se quiser, segure se amar.

E não solte mais, se o meu amor te bastar.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.