5min. de leitura

Você consegue elaborar criativamente sua rotina e crescer com ela?

Há alguns dias li uma matéria jornalística sobre o prejuízo da rotina na vida das pessoas. Tal matéria afirmava que rotina é algo que nos limita, que impede crescimento pessoal e profissional e nos mantém atrelados a certos estados mentais repetitivos, quando não decadentes.


Não posso afirmar cientificamente e nem me atrevo a desmentir a matéria, mas simplesmente opinar.

O que é rotina? Rotina, termo que vem do francês ‘route’- rota, que significa seguir o caminho já trilhado; conhecido. Resumidamente, é o hábito de se fazer a mesma coisa repetidamente.

Há rotinas que sigo – desfrutar um bom café da manhã; escovar os dentes várias vezes ao dia; tomar banho diariamente e leitura antes de dormir. Outras, abomino, mas fazem parte do mundo civilizado. Estacionar sempre na mesma vaga da garagem; usar a mesma sala e mesa no escritório, por exemplo.

Podemos escovar os dentes mais ou menos que três vezes ao dia? Claro que sim. Podemos deixar de escovar de vez em quando? Certamente! É necessário banho todos os dias? Alguns povos dirão que não. Minha filha, indignada, dirá que, ao menos, dois por dia. Um ao levantar, para despertar o corpo e outro ao deitar, relaxando e fazendo com que a noite fique ainda mais gostosa. E, assim vai.



O ponto relevante aqui é: é necessário ter rotina?

Continuo a acreditar que algumas vezes sim, outras vezes não. Determinadas rotinas podem ser modificadas desde que não afetem o resultado final esperado. Posso ficar sem café da manhã? Lógico que sim, todavia, também posso modificá-lo e, com isso, colorir a repetição do chá com torradas diário. Um dia pode ser suco de frutas com omelete. Outro dia café com leite, pão francês e manteiga; no outro uma tapioca com queijo e chá. E, o que é rotina – café da manhã – vira uma aventura, mas continua sendo a manutenção do hábito de comer pela manhã.

O que dizer da repetição de atividades com horário marcado? Haja rotina! Compromissos de trabalho, estudo e outros tanto mais são, na maioria das vezes, definidos – para não dizer definitivos. Não adianta nada a pretensão de modificá-los a nosso bel-prazer.  Arriscamos receber a carta de demissão no fim do mês. Rotina é também adaptação.


Se rotina não fosse necessária em determinados casos, não haveria protocolos médicos, administrativos, certificações agraciando e reconhecendo a padronização de determinados produtos e serviços.


Por outro lado, precisamos ver que dentro de um modo rotineiro de vida podemos ser criativos, expansivos, originais. Jornalistas têm rotinas definidas e cada dia tratam os assuntos da pauta de modo diverso. Advogados, médicos, engenheiros, programadores visuais, aviadores, entre tantos, trabalham especificamente dentro de protocolos definidos (rotinas) e buscam originalidade a cada novo trabalho, atendendo especificamente as necessidades de seus clientes. Mesmo bailarinos, para apresentação de um espetáculo, dependem de ensaio. Ficam sujeitos à repetição exaustiva dos movimentos; da rotina física, mental e alimentar, para alcançarem a perfeição.


Difícil mesmo, em minha opinião, é a rotina de trabalhos de dobrar, cortar, tapar, fechar, apertar parafusos, verificar, carimbar. Oito horas numa mesma posição “ecoando movimentos”, com o máximo de atenção. Algo totalmente burocrático e pouco criativo. Infelizmente, muitas ocasiões, sem interação com outros colegas. Mecanicamente repetindo movimentos e comportamentos. Mas nada impede que a pessoa ao sair deste trabalho pratique atividades estranhas à atividade profissional. De trabalho voluntário a escalar montanhas –  que termine sem sentir, diariamente, o peso do que para mim parece cansativo.

A sorte é que inúmeros estudos estabelecem que quanto mais consigamos variar nossa rotina – usar por caminhos diferentes para o mesmo destino; ler diferentes tipos de literatura; aprender novos passatempos, línguas, jogos mentais, trabalhos manuais, evitaremos o desenvolvimento de doenças (como Alzheimer, dentre outras tantas); conheceremos novas pessoas e veremos o mundo por outros olhos.

Atletas, artistas, grandes gênios da humanidade, todos seguiram rotinas, sejam elas de horas de estudo, aperfeiçoamento físico/mental, dedicação. Não importa se de uma hora ou de um dia inteiro. Todos nós seguimos uma rotina em algum instante do dia.

E você está na turma bitolada ou consegue elaborar criativamente sua rotina e crescer com ela?


Direitos autorais da imagem de capa: The 5th Pexels





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.