ColunistasComportamento

Você é professor (a) ou apenas está na função?

Posso apostar que depois de ler esse texto você vai descobrir se é um professor (a) ou se somente está na função. 



Observe as cinco principais características de um professor nato e outras cinco atitudes e pensamentos de quem só está no local errado e na hora errada todos os dias:

Ser professor (a) é:

1 – O professor nato sabe que é o exemplo a ser seguido.  Este tem a capacidade de ser pai e mãe de criança grande. E isto é bem mais complexo que passar atividades no quadro ou manusear as novas tecnologias.


2 – Ser professor é suportar barulho, indisciplina, chacotas é ainda acreditar que está ali para colocar ordem na bagunça, liderar a sala e ainda ensinar matemática.

3 – Professor que é professor não reclama ou menospreza a sua clientela (alunos).  Age como um predestinado, que mesmo nas piores condições de trabalho dá o seu melhor, pois sabe que possui uma meta e um objetivo maior.

4 – Ser professor é encarar uma sala lotada (sem ar condicionado ou ventilador) e não ver aquilo como uma amostra grátis do inferno.  Ao contrário, sente que ali é seu reduto inviolável, sabe que comanda o lugar e que por isso tudo dará certo.

5 – Ser professor é amar seu objeto de trabalho:  a mente e o coração humano. É compreender que está em suas mãos cuidar de meninos e meninas, até que se tornem homens e mulheres críticos e conscientes. E se isso não for possível pelas suas mãos, ter a certeza que fez a sua parte.



Você não é um professor (a) quando:

1 – Se você apenas está exercendo a função de professor (a), tudo lhe parecerá uma desgraça, algo sem futuro, desmotivante e tedioso.

2 – Os barulhos da hora do recreio, do sino ou mesmo de alguns alunos lhe dá a vontade de estrangular alguém.


3 – A dificuldade de aprendizagem incita-o, incontrolavelmente, a chamar os alunos (as) de: burro, idiota, Zé mané, Passa-quatro, imbecil, filho do capiroto, cabeção… entre outros apelidos. O Bullying começa por você e ainda acha que tais xingamentos não fazem mal.

4 – O salário é motivo de lamentação, e além disso você está convicto de que seu papel na escola é lidar somente com o conteúdo informativo. No processo de ensino-aprendizagem a mediação dos conflitos diários e a orientação de um professor pode ser mais importante que o conteúdo em si.

5 – Se reunião com os pais, PPP, sala dos professores, Grêmio Estudantil, projetos pedagógicos e todo o resto lhe parece uma tortura, pode admitir que escolheu a função errada.

Portanto, se você não ama gente (de todas as etnias, classe social e capacidade cognitiva distinta) e quer ganhar muito dinheiro, escolha outra ocupação. Afinal, não dá para ser feliz e fazer outros felizes atuando naquela área que não gosta.


Ser professor é mais que passar tarefas no quadro, é mais que ocupar-se apenas do conteúdo programático. Isso qualquer um faz. Ser professor é atuar com o propósito da transformação. É uma missão.

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: stockbroker / 123RF Imagens


Família: e quando chega hora de mudar?

Artigo Anterior

Escolha um cartão e revele o lado mais escuro de sua personalidade!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.