publicidade

Você é seu escravo?

Estamos sempre repetindo que somos livres, fazemos o que queremos, vamos para onde queremos ir, e assim por diante. Afinal, vivemos em outros tempos onde exercemos os nossos direitos de escolhas, o tal direito de ir e vir. Esta realidade se não para todos, mas é certo que para uma maioria, ela é verdadeira. Se posso, vou fazer ou ter o que desejo e tudo está certo.



Mas, até onde essa liberdade de escolha não te torna um escravo do que te querem fazer acreditar que é preciso ter ou fazer para ser, mais um modelo de sucesso e felicidade fabricada?

Atropelamo-nos diariamente, exigindo mil ações, como se fossemos um robô programado para provar que somos capazes, não para nós, mais para os modelos que nos intimam a ser. Nos entupimos de coisas para usar, comprar, que nem sabemos porque fazemos, não importando se até se exceda ao orçamento, mas fazemos, e depois, mergulhamos em um mar de angústias, para sanar problemas que não precisava existir. Sem perceber, nos tornamos escravos das nossas próprias ações, por vezes impensadas.

Impomo-nos escravidões de medos, de consumos desmedidos, de perfeições, do nosso Ego, de servilismo as ideias que não são nossas, e assim nos chicoteamos com cobranças, sentimentos de incapacidades, culpas e frustrações. Se não tivermos o domínio sobre nós, de agir e pensar dentro do que nos traz equilíbrio, não nos deixando levar pelas cobranças e aparências, estamos nos enganando com o sou livre, e nos tornando escravos de nós mesmos.

E como presente geramos em nossa mente a ansiedade e depressão, nos deixando escravizar talvez por coisas, que não traz a satisfação que queríamos.

Então, a escravidão não vai estar fora, e sim dentro de nós com pensamentos e sentimentos, fora dos que nos faz bem de fato.

Hannah Arendt, filósofa alemã, em trecho do livro Condição Humana diz:


“A suposição de que a identidade de uma pessoa transcende em grandeza e importância, tudo o que ela possa fazer ou produzir é um elemento indispensável da dignidade humana. Caso lhe reste algo mais que mera vaidade estulta, que ser escravo e prisioneiro de si mesmo é tão ou mais amargo e humilhante que ser escravo de outrem.”


Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.