4min. de leitura

VOCÊ É MEDIUM?

Mediunidade é um termo que se propagou através da doutrina espírita.



Muita gente já ouviu falar e também já foi surpreendida por uma consulta espiritual em que lhe foi revelado:

Você é médium!

Porém, é hora de desmistificarmos algo que por muito tempo se manteve restrito ao âmbito religioso.


Somos seres constituídos de energia e nos movimentamos além da esfera física. Como espíritos vivendo no mundo terreno, continuamos a transitar pela dimensão astral. Essa dimensão é o mundo dos espíritos desencarnados, ou seja, sem carne.

São mundos que se entrelaçam em dimensões diferentes.


A mediunidade é o sexto sentido que nos permite receber as sensações sutis.

Todos somos médiuns e interagimos com os espíritos.


A maioria das pessoas tem a mediunidade intuitiva, que funciona como um toque sutil que lhe chega aos sentidos como uma orientação de um mentor. Isso acontece porque estamos todos ligados energeticamente.

Podemos sentir a energia emanada nos ambientes e das pessoas à nossa volta. Sentir um leve mal-estar quando entramos em algum lugar ou quando alguém que amamos não está bem.

Perceber além dos cinco sentidos, isto é mediunidade.

Convencionou-se no espiritismo que o médium é um intermediário entre os mundos físico e espiritual, podendo transmitir comunicações de outros espíritos, entre outras manifestações mediúnicas.

Cura, psicografia, clarividência, clariaudiência, pictografia, pisicofonia e incorporação são algumas das modalidades.


A mediunidade é classificada em duas categorias distintas:

  • Mediunidade natural
  • Mediunidade ostensiva

O médium natural possui seu sexto sentido como todos os outros sentidos e pode desenvolvê-lo naturalmente.

“Perceber além dos cinco sentidos, isto é mediunidade.”

MAOS


Vejamos alguns sintomas de mediunidade: 
O médium ostensivo é aquele que tem uma grande sensibilidade mediúnica e nasceu com essa aparelhagem parafisiológica apropriada para o intercâmbio. Tem facilidade para captar as emanações sutis e se não desenvolver seu dom, fica a mercê das influências alheias.

  • Alterações repentinas de humor;
  • Crises de pânico;
  • Sonambulismo;
  • Passar mal em locais aglomerados;
  • Zumbidos no ouvido sem diagnóstico;
  • Sensação de vertigem e de sair do corpo;
  • Acordar e não conseguir mexer o corpo;
  • Bocejar demais;
  • Medo exagerado do escuro;
  • Sentir-se bem em contato com a natureza;
  • Sentir arrepios frequentes pelo corpo;
  • Ter sempre aparelhos eletrônicos com problemas e quebrados;
  • Quebrar copos com frequência;
  • Arrebentar  correntes de pulseiras e colares quando está usando sem que tenha tocado;
  • Fechar os olhos e ver imagens de pessoas;
  • Sonhar sempre com pessoas que já morreram;
  • Muitos pesadelos e dificuldade para dormir.

Estes são alguns sintomas típicos, porém devemos esclarecer que não podemos generalizar.


Uma prática para você entrar em contato com sua mediunidade:

  • Feche os olhos e coloque sua atenção no ambiente;
  • Visualize mentalmente esse ambiente em cada detalhe;
  • Sinta a energia dominante no local;
  • Visualize a energia da luz azul envolvendo as paredes, o teto e o piso;
  • Após alguns instantes procure sentir novamente a energia do ambiente e perceba se está mais calma.

Seja Amor!

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.