ColunistasDesenvolvimento PessoalO Segredo

Você está sempre sem tempo? qual a diferença entre as pessoas produtivas e as pessoas ocupadas?

“Tempo é o que nós mais desejamos, mas é o que pior usamos.” —William Penn



Uma das maiores queixas que as pessoas costumam fazer é de que não conseguem ter tempo. Não conseguem ter tempo de qualidade para estar com a família, tempo para fazer atividade física, não conseguem tempo para ler um livro, nem para dar início aquele projeto tão importante, pois o vivem adiando para “quando tiver tempo”.

O dia tem 24 horas e essa verdade é Universal para todos. Mas quando bem usadas elas são mais do que suficientes. O fato é que muitas pessoas gastam muito tempo no trabalho, mas geralmente o tempo não é realmente bem gasto. E o que isso quer dizer? Isso quer dizer que estar ocupado não é o mesmo que estar sendo produtivo. E ser produtivo é o segredo de quem consegue realizar, aprender, desfrutar e ter qualidade de vida.



Descubra quais as diferença entre pessoas produtivas e pessoas ocupadas.

  1. Pessoas ocupadas não sabem para onde estão indo. Pessoas produtivas têm objetivos claros.


Pessoas ocupadas estão a fazer mil coisas ao mesmo tempo porque não sabem para qual direção estão indo. Não têm claros objetivos ou metas a serem atinigidas, logo ocupam-se de tudo que aparece.

Pessoas produtivas têm uma missão para suas vidas. Têm claro objetivos e metas e ocupam-se apenas delas. Elas podem até ter dúvidas sobre seus passos, mas sabem claramente o seu destino.



  1. Pessoas ocupadas têm muitas prioridades. Pessoas produtivas têm poucas prioridades


Ninguém está sempre muito ocupado. Se você se preocupa e estabelece prioridades, você vai criar tempo para elas. A vida é uma questão de prioridades. Se você tem três prioridades, você tem prioridades. Se você tem 25 prioridades, você tem uma confusão. O prinicipio de Pareto diz que 80% dos seus resultados desejados vêm de 20% de sua atividade.



  1. Pessoas ocupadas dizem sim rapidamente. Pessoas produtivas dizem sim lentamente


Se você não diz “não” a maioria das coisas, você está mergulhando até o pescoço nas prioridades das outras pessoas. Integridade é sobre o quanto seus valores são claros e o quanto do seu tempo está indo para servir esses valores.



  1. As pessoas muito ocupadas se concentram em ação. Pessoas produtivas se concentram na clareza antes da ação


Para focar nos 20% das atividades, você deve ter clareza sobre o que essas atividades são para si mesmo. O maior recurso de que você dispõe e que pode lhe orientar a viver uma vida melhor é sua própria experiência pessoal – se bem documentados. Infelizmente, a maioria das pessoas só documentam a sua vida em atualizações de status do Facebook. Mantenha um diário e tire cinco minutos todos os dias para refletir sobre o dia passado, sobre o que funcionou, o que não funcionou; e algum tempo sobre o que te inspira.


  1. Pessoas ocupadas mantêm todas as portas abertas. Pessoas produtivas fecham portas

Quando se é mais jovem é bom abrir-se às opções. É bom querer viajar, aprender línguas, escalar montanhas, ir para a universidade, trabalhar em tecnologia, viver em outro país. No entanto, chega um momento na vida onde se deve excluir a maioria das opções e focar na mais importante. Se meu objetivo este ano é aprender espanhol: vou falar espanhol no final do ano. Se meu objetivo este ano é de falar espanhol, ganhar 30% a mais, viajar para 10 países, entrar em forma, encontrar uma namorada(o), ir a todos os shows … Eu não vou falar espanhol no final deste ano.


  1. Pessoas ocupadas falam sobre o pouco tempo que elas têm. Pessoas produtivas dão tempo para o que é importante

Qualquer tempo que gastamos em desculpas é tempo não gasto em criação. Se você se permite praticar desculpas, você vai ficar melhor e melhor em desculpas. Pessoas produtivas não usam o tempo como desculpa. É uma ação que apoia os seus mais altos valores e missão, ou não. Sem a ação eles não acontecem, mesmo com um dia inteiro disponível lá fora.

Há um ditado irlandês que diz: “É melhor fazer algo do que nada”.

Isso é uma mentira! É melhor não fazer nada do que fazer uma ação que não se conecta com seus valores mais elevados.


  1. Pessoas ocupadas são multitarefas. Pessoas produtivas focam. Elas sabem sobre como ter foco.

Você sabe sobre a técnica Pomodoro? É brutal, mas é eficaz. Identifique uma tarefa a ser feita (por exemplo, escrever este post). Definir um temporizador para 20 minutos. Trabalhe na tarefa até que o tempo acabe. Qualquer distração (Tipo: verificar e-mail, tenho que pegar água, eu tenho que ir ao casa de banho) e você deve zerar o cronômetro para 20. Quantos pomodoros você acha que pode completar em um dia?


  1. Pessoas ocupadas querem que as outras pessoas estejam ocupadas. Pessoas produtivas querem que os outros sejam eficazes

Alguns gestores medem a quantidade de atividades, os gestores produtivos medem a produção. Gerentes ocupados estão frustrados com os outros que parecem relaxados, porque têm tempo e parecem que estão desfrutando de seu trabalho. Gerentes produtivas adoram ver os outros gostarem de seu trabalho.

Pessoas ocupadas são frustradas. Elas querem ser valorizadas pelo seu esforço, não pelos seus resultados.


  1. Pessoas ocupadas falam sobre como elas vão mudar. Pessoas produtivas estão fazendo essas alterações.

Gaste menos tempo falando sobre o que você vai fazer e dedique esse tempo para criar o primeiro passo. O que você pode fazer agora requer a aprovação de mais alguém? O que você pode fazer com os recursos, conhecimento e apoio que você tem agora? Faça isso. É incrível como o universo recompensa a pessoa que pára de falar e começa.

Nós nascemos com um potencial incrível. Aos 20, o melhor elogio que pode receber é que você tem um grande potencial. Por volta dos 30, ainda dá. Aos 40 anos, você ter um grande potencial está se tornando um insulto. A partir daí alguém dizer que você tem um grande potencial é provavelmente o mais cruel insulto que pode lhe ser feito na sua vida. Não deixe o seu potencial ir para o lixo.

_________

Este texto foi traduzido e adaptado de: LIfe Hack 

Esteja no presente: saboreie o momento!

Artigo Anterior

ADeus, crítico interno – olá, treinador interno!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.