ColunistasComportamento

Você já ouviu falar em frequência ativa?

Você já ouviu falar em FREQUÊNCIA ATIVA

Respeite a frequência ativa do outro!



Resumidamente, é a presença online de alguém, buscando aceitar o que essa pessoa tem a oferecer de melhor e, principalmente, sua ausência contida sem nenhum tipo de cobrança.

O tempo não diminui a importância de uma relação afetiva, seja ela qual for: amizade, namoro ou família.

Por exemplo, temos aqueles amigos que priorizam o realismo, ao invés do virtual. Outros, que respondem, imediatamente, o WhatsApp e marcações do Facebook.


Aqueles que demoram para visualizar, porque estão ocupados com outras tarefas, embora estejam com o status “disponível”.

Em se  tratando de amor, podemos estar explodindo de paixão, mas optar por não gritarmos na internet o sentimento. Isso não é frieza, tampouco indiferença, são crenças e escolhas do casal.

Essa aceitação também vale para as relações familiares, que estabelecem pelo compromisso das datas comemorativas. Sair distribuindo likes ou comentários, não significa estar ou ser presente na vida de alguém.

A falta de obrigatoriedade não interfere na consideração ou no carinho.


A verdade, é que quanto mais tentarmos nos manter presentes e acumularmos funções internas para agradar o externo, mais teremos que disponibilizar os nossos interesses e fazer escolhas em prol delas.

Até que ponto você está disposto a investir para corresponder às expectativas do mundo?

Então, por favor, respeite a frequência ativa do outro!

Cobranças podem afastar ou interferir na espontaneidade das ações. Tenha boa vontade em tudo o que se propuser a fazer e, se ainda não foram colocadas em prática as teorias, acredite na espera do momento certo para essas realizações.


Metades não completam, entregue-se apenas por inteiro. Saiba que a recíproca é verdadeira e, que ainda que não mantenham contato como ontem, há um mês ou como no ano passado, nada mudou.

Não estar presente, como esteve em algum período, pode ser reflexo de uma situação e/ou circunstância que não estão bem. Não significa abandono, esquecimento ou substituição.

A saudade aperta o peito e o amor prevalece transbordando no olhar e no sorriso. Vocês continuam atentos um ao outro, como sempre puderam contar entre si.

Opte pelo calor da pele, ao invés da urgência de um “digitando”.


A frequência pode estar baixa, e isso não é pessoal. Às vezes, é preciso dizer e ouvir “não”, e isso não tem a ver com egoísmo ou demonstrações, são prioridades baseadas em fases. Passageiras ou não.

A SUA FREQUÊNCIA ATIVA ESTÁ ALTA OU BAIXA?

__________

Direitos autorais da imagem de capa: profile_IKO’>IKO / 123RF Imagens


“torna-te quem tu és…”

Artigo Anterior

Uma dose definitiva de amor: 6 passos para saúde emocional!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.