POR: Aline Elisângela Schulz



Saber parar pode ser um desafio, principalmente quando vivemos há bastante tempo na correria. Em vez de selecionar o que entra em nossa vida, achamos uma maneira de incluir mais coisas, mais compromissos… Até existe um chavão que diz, que quando você precisa que alguém te ajude, peça para aquele que é ocupado. Realmente, por fazer muitas coisas, é preciso se organizar melhor e dessa forma, se encontra brechas na agenda para ajudar um amigo. Mas, até que ponto isso não é uma armadilha? Armadilha para acharmos que conseguimos controlar tudo e todos que se encontram ao nosso redor, e assim, acumular mais e mais funções…

Porém, até quando é certo acumular funções? Quando que se torna demais o que viemos fazendo ao longo de anos e anos? Qual é o principal problema em assumir muitas responsabilidades? Acredito que seja dar conta de tudo, com a mesma eficiência e atenção. Por mais que sejamos organizados, somos seres humanos, portanto, falíveis. Nosso corpo cansa, nossa mente pede descanso. Será que estamos diante de um aprendizado nosso de saber dar limites, dizer não?

Como identificar se estamos em nosso limite? O stress é um dos sintomas de quando estamos extrapolando nosso limite, mas não somente ele. Sentir-se esgotado, sem a mesma vitalidade de sempre, o pensamento já não é mais tão criativo e coerente, a vontade de dormir surge e nem sempre o sono é reparador, a impaciência aparece em nossa fala e atitudes, nos tornamos mais irritados e ansiosos… Quando chegamos nesse ponto é chegada a hora de nós decidirmos, por nós mesmos, parar. Rever o que estamos fazendo e começar a descartar o que está demais em nossa vida.


Tudo tem limite. Não perceber qual é o seu é pedir para que o universo se intervenha e pare você. Seja através de um acidente, de ficar doente, de tantas formas diferentes e que são completamente eficazes em nos fazer parar.

É preciso estar em alerta constantemente, em estado de vigilância para perceber quando estamos deixando de lado a alegria em nosso dia a dia, quando estamos perdendo a paciência e começando a ficar pesados. A sensação é de que temos muito mais idade do que realmente temos.

Dicas: inclua na sua semana um dia do pijama, leia-se dormir mais, ficar em casa de pijama, almoçando mais tarde, olhando filme, comendo pipoca… Inclua momentos no seu dia a dia em que você sai da sua rotina: faça caminhos diferentes, passeie, conheça lugares e pessoas diferentes. Inclua no seu dia um momento para você se agradar, seja comendo um doce, seja, dar uma caminhada, seja, ir ao cinema (Nem que seja sozinho mesmo… Porque não?), seja ir na academia, seja, ficar em casa, de pernas para o ar, seja, receber uma sessão de Reiki, de massoterapia… Você decide. Mas, faça algo que lhe leve ao descanso da sua mente, que lhe faça sentir maravilhosamente bem, que lhe relaxe seu corpo físico, que faça você ficar em paz consigo mesmo e com tudo o que está ao seu redor. Desta forma, você se conhecerá ao ponto de saber até onde você pode ir no seu cotidiano, sem extrapolar seus limites. Parar é investir em si mesmo, na sua saúde, na harmonia familiar, no sucesso profissional

Então, pergunto: está na hora de você parar? Sim? Então não negligencie esse conhecimento e tome atitudes para realinhar-se e assim, equilibrar-se em todas as áreas da sua vida. Do contrário, prepare-se para ser parado pelo universo… Você decide.


Como mudar o (seu) mundo

Artigo Anterior

O dinheiro revela o que as pessoas são!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.