Você precisa de uma faxina emocional?

6min. de leitura

Todos os habitantes deste planeta estão aqui para aprender a lidar com sua energia emocional. Religiões, doutrinas, literaturas apontam que o equilíbrio está na administração de nossas emoções. Inclusive, o ser humano é o único ser que possui energia emocional. Você ouviu falar em um cachorro suicida? Claro que não, pois cachorros possuem instintos e emanações de frequências emocionais de seus donos. Logo, como somos vulneráveis emocionalmente, sugiro que de 3 em 3 meses se faça uma faxina emocional para evitar somatizações emocionais e dissolver possíveis focos de energias, antes que se condense no físico e se configure em uma doença sintomática e diagnosticada.



O choro é uma forma de expurgo da alma. Expurgo é uma limpeza energética. Logo o choro é uma forma de esvaziar uma sensação ruim na alma, é como se fosse uma válvula de escape que precisa soltar um pouco a pressão para se suportar a situação. O choro alivia, mas não limpa as emoções. Tudo que está guardado na alma, lá fica registrado e, sozinhos, não conseguiremos nos livrar de um sentimento agonizante, pois seria como se mover em uma areia movediça, assim, precisamos buscar ajuda.

Hoje em dia, existem várias técnicas, práticas, procedimentos, exercícios, métodos para se fazer uma faxina emocional. Enquanto terapeuta, ajudo meus pacientes, fazendo uma avaliação radiestésica. É uma prática que pesquisa o campo vibracional de pessoas e de ambientes. Prática muito utilizada na Europa e que utilizo aqui no Brasil com objetivo de detectar focos de energias de baixa vibração, não só na energia emocional, mas também na energia mental e física. Através desta pesquisa radiestésica, podemos identificar a origem de tais focos de energias e como dissolvê-los indicando práticas da medicina complementar e tratamentos radiônicos. Para complementar, faço assessoria terapêutica e acompanho os resultados e ajudar a pessoa a recondicionar seus pensamentos e sentimentos.

Venho percebendo uma procura muito intensa em práticas que aliviem a alma das pessoas, mas, nos últimos 3 anos, percebo que as pessoas estão como se estivessem perdidas, sem rumo, desesperadas, sem saber o que pensar e sentir, desanimadas. E isto me preocupa, pois caso não busquem ajuda para fazer uma faxina emocional, podem ficar dependentes de medicamentos químicos para suportarem viver e eu não chamo isto de vida. Vemos na TV, nas ruas, no trabalho, nas famílias, muitos estímulos que podem resultar em focos de energias de baixa vibração; é como se fosse um vírus que invade a alma das pessoas e uma faxina emocional profunda evitaria consequências doentias futuras.


Não acredito na culpa no outro e em nós, mas acredito no autoconhecimento. Acredito que temos como escolher situações boas ou ruins, acredito que tudo que vivemos é uma opção nossa, pois sempre temos opções a escolher. Se escolhi uma opção, logo é este o caminho certo, mesmo que as consequências não sejam as esperadas, mas são resultados de um aprendizado. Dessa forma, não acredito na culpa, mas no aprendizado. Se eu aprendi, através de um autoconhecimento, que sentir raiva me trará problemas no fígado e vesícula, então, por que irei repetir este erro? Se aprendi que guardar uma mágoa e negar o perdão a alguém me trará células com neoplasias, então, por que continuarei inflexível diante do outro com risco de ter uma metástase?

A Fé é uma condição essencial para nos mantermos em equilíbrio e imunes a interferências de energias de baixa vibração, porém, uma vez “infectados”, por tais energias, temos que buscar ajuda. Somos portadores da fagulha Divina que alimenta energética e espiritualmente nosso corpo físico. Acreditando ou não, tendo fé ou não, existe uma sincronicidade entre esta fagulha Divina e Deus, entre nosso eu-interior e nosso Eu-superior. Basta-nos estar com uma sintonia sem interferências entre estes dois “eus”. A fé é contrária ao medo. A fé é uma sintonia que fortalece nossa sincronicidade e, com isto, aumenta nossa luz interior, livrando-nos de muitas interferências negativas em nossas mentes e consequentemente em nossa energia emocional, mantendo nossa alma saudável.

Só posso dizer que ao entregarmos tudo nas mãos de Deus, como a maioria faz, e cruzarmos nossos braços: a doença não vai embora, o dinheiro não aparece na conta, um emprego não vai bater em sua porta, um relacionamento não vai ficar harmonioso, enfim. O que quero deixar de mensagem aqui é que tudo na vida acontece com a ajuda de muita coisa e de muita gente, mas principalmente de três energias: energia divina (Deus); energias ajudadoras (terapeutas, médicos, psicólogos, outros…); mas sem a sua energia, a sua vontade, a sua atitude em buscar ajuda, em se mexer para mudar as situações e, principalmente, sem você estar a seu próprio favor e promover uma reforma íntima, nada vai mudar.


por Eliana Kruschewsky

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.