VOCÊ QUER SER UMA BENGALA DE APOIO OU UM PARCEIRO DE TIRAR O FÔLEGO?

Dizem que não há nada que aconteça em nossas vidas que não sejamos nós quem, de fato, tenhamos permitido. Se alguém te desvaloriza, provavelmente é porque você não se valorizou mesmo. Quem te usa como bengala para se apoiar, provavelmente viu que poderia lhe usar dessa forma, inconscientemente e acredite: nos primeiros cinco minutos de convivência! Afinal, também dizem que toda relação entre humanos é, na verdade, um teste de limites. Sempre estamos testando os limites das pessoas com quem nos relacionamos. É natural do ser humano, sabendo disso, que não deixe que testem seus limites até que chegue ao seu ‘’verdadeiro limite’’.

***

Nos últimos anos a sociedade está passando por um período meio obscuro com relação ao amor. São redes sociais, aplicativos de relacionamentos, telefones celulares, mensagens, tudo facilitando as relações descartáveis.

Ao que parece, nossos corações não evoluíram tão rápido quando os smartphones.

Nunca esteve tão clara a diferença entre a forma de pensar masculina e feminina. Homens são menos emotivos e mais racionais, por natureza. São mais movidos pela testosterona do que nós, mulheres, o que os faz ficar feito cachorros olhando mulheres, prontos para o sexo instintivo e, provavelmente estão se dando muito bem com a grande oferta de mulheres nas prateleiras dos aplicativos, esperando serem escolhidas por um bom parceiro em potencial.

“Tudo no mundo é sobre sexo. Menos o sexo, que é sobre poder.” Oscar Wilde

As mulheres estão tentando jogar o jogo masculino do “não se apegue”, mas sem muito sucesso. Tentam fingir que não se importam, mas depois de um mês ficando com o mesmo cara, se estiverem curtindo, já precisam de uma definição para a relação e acreditem, já sofrem mesmo, se estiverem gostando do cara.

Já os homens, tidos como aqueles que só amadurecem aos 50 anos de idade, querem mais é brincar no playground dos relacionamentos efêmeros. “Quanto mais, melhor”. Homens e mulheres possuem um ego forte, mas o do homem precisa ser manipulado com luvas e lupas. Por serem naturalmente caçadores e buscarem sempre serem os alfas do ambiente em que se encontram, os homens se aproveitam da situação de grande oferta feminina para partirem para o conceito de “quanto mais, melhor”. Tudo pelo ego, pelo sexo e pela virilidade…

Em Atena, o Obelisco foi criado para representar o fálico, o pênis, símbolo da virilidade masculina. Como se o pênis fosse mais importante do que toda a geração de nove meses que o corpo feminino transforma em vida… Que sociedade machista… Ainda vemos obeliscos em muitas cidades hoje em dia. O machismo se reflete em toda relação entre homem e mulher, queiram vocês concordarem ou não. Todo homem é machista, por questões culturais a que são inseridos desde que nascem. São criados para pensarem que tudo podem dominar, inclusive as mulheres a sua volta, através do sexo. Estamos vivendo um período de transformação desse conceito, mas vai demorar…

Mas no fundo, são bebezões que precisam do colo de alguém, desculpem se ofendo. A busca incessante por virilidade reconhecida socialmente os faz querer postergar ao máximo um envolvimento mais profundo. A necessidade de se mostrarem emocionalmente inabaláveis, dado que a sociedade “feminiza” homens sensíveis, os faz se bloquearem inevitavelmente, até por uma possível imposição cultural, para os relacionamentos, mas isso não significa que nada sintam. Isso, certamente traz um vazio interior a estes pobres seres mortais, eu ficam divididos entre sentir e ser “fracos” ou dominar e ser “fortes”.

Não permitindo a chegada da emoção, tentam prender a primeira pobrezinha que se demonstrar emocionalmente mais vulnerável a eles, mas sem assumir um relacionamento porque não podem se mostrar “fracos” – Eis aí um teste de limite entre dois seres – Esta se tornará a sua “bengala emocional”, alimentada por migalhas de atenção a cada 3 ou 4 dias, onde eles alternarão entre dar muita atenção ou dar nenhuma atenção. Isso fortalecerá seus egos e lhes dará força para partirem para outras caçadas. É claro que “a Senhorita Bengala” não saberá e, se por um acaso souber, eles lhe dirão que as amam ou que as respeitam e que foi só um erro, uma falha, um escorregão, pois sabem que uma migalhinha dessas a manterá por perto. Vejam o teste de limites agindo, onde a mulher é o ser mais vulnerável da relação e o homem, machista por criação, se aproveita disso, ainda que não perceba, ou admita que está fazendo isso…

E assim, como os dementadores do Harry Potter, estes homens vão  sugar toda a energia que as “Senhoritas Bengalas” estiverem dispostas a investir para fazer a relação dar certo. Desta forma, fica o aprendizado: Quando um homem quiser algo com as senhoritas, não haverá dúvidas, fiquem tranquilas e parem de desperdiçar energia numa luta sozinhas. Homens são seres de muito ego, mas quando querem, não têm nem orgulho ou amor próprio, acreditem. Se o pensamento de que, talvez ele possa estar lhes enrolando, é provavelmente que ele esteja mesmo. E se estiver mesmo e você não pular fora, é quase certo que você se esgote, se sabote, se mate, crie pânico, destrua sua auto estima e ainda tenha que passar pelo papelão de vê-lo dando mais atenção a outras do que para você. Pronto. É chegado o seu limite.

Mas digamos que você não se dê mesmo ao valor e não enxergue nada disso e, ainda assim, ele vier a lhe escolher como namorada, depois de demorar 2 anos para lhe pedir em namoro. Muito provável que tenha sido porque não apareceu nada melhor. Desculpe. Mas pensem bem: O cara deixou que você estivesse livre para conhecer outra pessoa, te dando desculpas todos os finais de semana, te encontrando só à noite e na casa dele, sem te mostrar para a família e amigos, só te mandando mensagens de vez em quando, te colocando sempre no time reserva… Realmente amiga, ele tinha muito medo de te perder. Não vai ser agora que você se tornará o centro da vida dele. Prepare-se para ser figurante na vida de alguém. O chifre lhe espera. Homens costumam buscar mulheres para lhes servirem de mães e cuidarem da casa e etc, e mulheres para servirem de boas amantes. Não escolha ser a mãe. Busque ajuda sempre nos afazeres de casa e não se descuide só porque casou. Eis o segredo de um equilíbrio no teste de limites.

Certa vez li que existem erros que não cometemos duas vezes… Ah, se cometemos… Cometemos uma vez e dizemos que nunca mais iremos cometer. Cometemos a segunda, para reafirmar que nunca mais devemos nos colocar em tal enrascada e vem aí vem a terceira para nos dar uma rasteira tão grande, que ficaremos sem chão e aí sim, aprenderemos.

Aprenderemos que não devemos ficar com quem diz que não está preparado para um relacionamento, por mais que demonstre sorrisos ao nos ver e que converse conosco de vez em quando (migalhas…).

Aprenderemos que quem diz isso, não é que não esteja preparado para namorar, mas não quer namorar É COM A GENTE! Por mais que doa, essa é a verdade…

Aprenderemos que, se o cara não se esforça, é porque ELE NÃO QUER e aprenderemos a ver isso na primeira vez e não, depois de meses.

Aprenderemos que não devemos tentar curar nenhum coração partido, pois estes se curam sozinhos.

Aprenderemos que, entre um grande amor e outro, sempre terá alguém que se doará demais e nunca será valorizado de verdade… infelizmente.

Vou descrever agora o que eu já observei que acontece repetidas vezes em relacionamentos, mas olha… é muito mais comum que os homens tentem manter “bengalas” do que mulheres. Mulheres não costumam querer homens pela metade. Geralmente procuram alguém que elas realmente sintam algo profundo e que tenham orgulho de apresentarem às pessoas.

Eu, particularmente, nunca vi um homem dizer que foi “enrolado” por uma mulher, nunca vi um homem ficar esperando que o mundo gire mais rápido até chegar uma “mensagem-migalha” de uma mulher. Nunca vi um homem ficar a disposição de uma mulher que só o procura a cada 3 ou 4 dias ou esperarem para serem pedidos em namoro… por seis meses, por dois anos. Mas como é feio generalizar como estou fazendo até agora, passarei a escrever aqui, admitindo que é normal que ambas as partes façam do outro “uma bengala da cura”, ok? Vamos entender o que é uma “bengala da cura”, que eu até, carinhosamente chamarei ao longo do texto de “bengalinha”.

O normal é que as pessoas busquem algo, alguém ou alguma coisa para se sustentarem após seus términos de relacionamentos. Então, quando terminam um relacionamento, vão buscar na primeira pessoa que aparecer, qualidades de namorada ou namorado na tentativa de preencherem um certo vazio emocional, mas não conseguirão assumir após a decepção que tiveram com a pessoa anterior. Esta mulher ou homem escolhidos nesta situação, provavelmente serão os “companheiros da cura”, que lhes farão sorrir de novo, se sentir queridos de novo e tudo mais. Levantarão os egos dos amantes que, incansavelmente repetirão que “não estão preparados” ou que “não estão conseguindo se abrir para o novo” enquanto ficam repetindo traumas da última relação. Quando estas “bengalas da cura” já tiverem levantado bem a moral do cara ou da mulher, serão postas de lado, por mera desculpa de que “não houve química” e então, os amados, novinhos em folha, partirão em busca de uma nova mulher ou novo homem, forte em potencial, que os deixará caidinhos e incrivelmente dispostos a se relacionar. Por quê? Porque as pessoas buscam pessoas fortes e que andam ao lado delas, e não, degraus para serem pisados até que elas se elevem. Fica a dica.

Portanto, preocupem-se em se tornarem as mulheres ou os homens que deixarão muitos apaixonados, e não, “bengalinhas da cura” para os corações partidos. Estes, precisam ser curados com a solidão, precedente ao aprendizado gerado pelo autoconhecimento, vindo do sofrimento. Se não houver esse tempo, erros se repetirão…

Invistam em se tornarem os donos de suas vidas! Sejam quem sempre quiseram ser e tenham em mente que vocês NÃO PRECISAM MESMO DE ALGUÉM PARA SE SENTIREM FORTES E FELIZES!

Afinal, se sentirem que precisam, algo está errado. Vocês acabarão namorando por medo de serem sozinhos e não, porque amam de verdade. Pensarão que amam, mas na verdade, estarão dependentes de uma pessoa que lhes servirá de “bengalinha”, a machucarão os sentimentos de alguém.

Acreditem: ficar sozinho dói cada dia menos. A cada dia que conseguir, pode comemorar, porque o dia seguinte será melhor. É melhor enfrentar este monstro do que sentir eternamente que a vida é um vazio que será preenchido sempre por alguém que não seja você.



Deixe seu comentário