Você quer viver o amor verdadeiro? Então pare de se sabotar! Hora de se reinventar!



Não é nada fácil se reinventar! É preciso, acima de tudo, “coragem” para “viver” seu universo particular, “amar-se” muito e se permitir.  

Não há como falar de amor sem dizer que não sofreu um dia. Sim, porque o amor verdadeiro, é paciente e nos faz abrir mão de valores e pensamentos errados, que um dia pensamos ser corretos.

Se nos preparamos para converter a dor em amor e acreditamos que ele só faz bem, aí sim estamos no caminho certo! É impossível pular as fases e desfrutar do amor genuíno, sem experienciar transformações importantes como a paixão. Sim, porque a paixão ou admiração são os primeiros sintomas que existem, há uma química, mesmo inconsciente. Para os sábios, é a alquimia que supostamente pode ou não vir a se transformar em amor..

Somos humanos em evolução e por quantas vezes erramos, tentando acertar? Amamos sem ao menos ter retorno, sentimo-nos sabotados empurrando relações a qualquer esfera, debaixo do escopo de sentimentos rasos, que em pouco tempo se esfriam. Por outro lado, existem pessoas tão iluminadas e sábias, que conseguem passar por muitas adversidades sem pensar em desistir. E o amor resiste e transcende, dando-lhes  a oportunidade de vivê-lo na essência!

Precisamos aprender  de uma vez por todas, que ninguém  é responsável pelas nossas  carências ou dependências afetivas.

O maior desafio para nós seres humanos é olharmos para dentro e treinar o silêncio! É lá que começa a busca da libertação de valores que só bloqueiam o novo, o merecido, o que está na esteira do universo, vindo em nossa direção, e, cegos, perdemos a oportunidade de nos reinventar.  A chave que abre as portas para o amor, a paz e o equilíbrio é o  “autoconhecimento”, gerando novos ciclos.

A vida, vivida de maneira consciente, nos leva a um mundo de infinitas possibilidades e acontecimentos, e o mais importante disso tudo: é um direito nosso, que nos é dado por Deus! Está dentro de nós! É uma bela viagem!

É preciso coragem e determinação para sair da zona de conforto e dar a si mesmo esse presente. Limpar as janelas da alma, remover os lixos emocionais que tanto nos atormentam.

O primeiro amor vem de Deus, depois o amor-próprio e, finalmente, o amor pelos nossos companheiros na jornada mágica chamada vida!

Jamais esqueça daquela famosa frase da  lei da atração, que diz que atraímos o que pensamos ou desejamos. Na verdade, “só atraímos aquilo que somos”.

Este artigo, na verdade, é para reflexão. E é também um relato meu. Estamos em um tempo em que a humanidade necessita de amor!

Renunciar é preciso, até mesmo renunciar a quem achamos amar  verdadeiramente. O fato de crer em falsas promessas engatando em  relações tóxicas, já é um indício que a infelicidade e as insatisfações, em vários aspectos, batem à porta. Cuidado!

Foi o que aconteceu comigo por anos, até fazer meu caminho do meio e, aos poucos, me libertar de emoções ,convivências, de uma infância difícil e de relações com a vida e com o mundo,  onde atraia situações e circunstâncias sofredoras. Tudo por falta de conhecimento e crescimento, mas nunca  desisti de mim, apesar de passar longos períodos olhando para fora.



Citei o amor na versão “relacionamento”, mas a lição é válida também para uma  profissão que não nos faz felizes, lugares com baixas energias, religiões que escravizam mais do que ensinam, famílias carregadas nos ombros, porque achamos que só se sustentam se nos tornamos responsáveis por elas.

Estar consigo e amar sua companhia, buscar a meditação, a oração, qualquer canal que o eleve a ponto de ser livre na essência, exercitar sua respiração desobstruindo seus chacras, liberando as toxinas, dando espaço para o novo circular. Aquela faxina diária de dentro para fora!

Treinar seu eu a ser grato por todos os bons e maus momentos. Quando todas as energias se renovam e passamos a obedecer nossa  voz interior, aprendemos até a contemplar dias cinzentos!

Não é nada fácil se reinventar! É preciso, acima de tudo, “coragem” para “viver” seu universo particular, “amar-se” muito e se permitir.

Converse com o tempo. Reflita sobre os erros e acertos, peneirando o que vai continuar com você e o que vai embora de uma vez!

Vai se apaixonar com as descobertas, e vai querer mais e mais estar em sua companhia, para fazer das novas experiências fórmulas transformadoras! As mais belas possíveis! Vamos começar hoje?    

Namastê!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.