8min. de leitura

Você sabe o que é aromaterapia? Entenda como ela funciona!

Já imaginou respirar um aroma agradável enquanto alivia dores e sintomas como cansaço e estresse? Em uma época na qual o interesse pela medicina alternativa aumenta a cada dia, a aromaterapia surge como uma ótima aliada dos tratamentos tradicionais, ajudando na cura e na prevenção de diversas doenças. 



Se você não sabe do que se trata, não deixe de ler este post. A seguir, falaremos mais sobre essa prática terapêutica que utiliza óleos essenciais para restabelecer a harmonia e o equilíbrio do corpo humano. Vamos lá?

O que é aromaterapia?

Trata-se de um ramo da fitoterapia que utiliza óleos essenciais 100% puros e de plantas no tratamento de problemas físicos ou emocionais. O objetivo é melhorar o humor e a saúde do indivíduo.

As essências são extraídas de flores, raízes, caules, cascas e outras partes das plantas. Elas são utilizadas em diversas aplicações terapêuticas e, por isso, há uma variedade enorme de óleos essenciais disponíveis.


A aromaterapia é considerada uma terapia holística, ou seja, tem uma visão global (e não específica) de problemas e questões. 


Como e onde surgiu?

Tem-se notícia de que, há mais de 10 mil anos, as pessoas usavam os óleos essenciais no cotidiano, principalmente para fins estéticos, religiosos e terapêuticos. Gregos, chineses, indianos e egípcios acreditavam que era possível curar com os aromas.

No entanto, o termo aromaterapia é mais recente. Ele surgiu em 1928, quando René Maurice Gattefosse — químico francês — interessou-se pelo uso do óleo essencial de lavanda para tratar um ferimento causado por um acidente.



Como funciona?

A aromaterapia funciona por meio de uma estimulação natural ao toque e ao olfato. Quando inalado, o aroma age no sistema nervoso, estimulando o cérebro a produzir ou inibir a produção de hormônios e secreções.

Desse modo, é possível alterar a frequência cardíaca, o humor e a respiração, além de, até mesmo, ajudar na concentração e na redução do estresse.

De acordo com a aromaterapeuta Márcia Rissato, os aromas enviam mensagens ao sistema límbico, que é a parte do sistema nervoso que responde pelas emoções. É por esse motivo que a aromaterapia atua melhorando a qualidade de vida e promovendo efeitos mentais, emocionais e físicos nas pessoas.


Quais são suas principais indicações?

Os aromas podem auxiliar no tratamento de doenças tanto físicas quanto emocionais. Confira algumas delas a seguir:

Dor de cabeça

Os aromas extraídos de flores, plantas e cascas são muito úteis no tratamento de diversos tipos de dores de cabeça. Eles estimulam o sistema nervoso central, fazendo com que ocorra o alívio da dor e até sua cura por completo.

A lavanda é o aroma mais indicado nestes casos. Ela é ideal para dores de cabeça provenientes de:

  • problemas digestivos;
  • tensão pré-menstrual (TPM);
  • tensão muscular;
  • lesões;
  • rinite;
  • febre, dentre outras.

Depressão

A terapia com aromas ativa sensores cerebrais por meio do sistema límbico e faz com que as emoções do indivíduo interajam com esses sensores, gerando conforto e bem-estar. Dentre os óleos essenciais disponíveis, os três mais indicados nos casos de depressão são: lavanda, gerânio e bergamota.

A lavanda é um dos mais úteis nesses casos. Seu aroma traz alívio para diversas dores, problemas respiratórios, estresse, insônia e, claro, depressão. Já o gerânio, além de apresentar propriedades antidepressivas, também é analgésico, antisséptico e cicatrizante.

Por fim, a bergamota — popularmente conhecida como mexerica ou tangerina —, que melhora a ansiedade, eleva a autoconfiança e é bastante útil no tratamento da depressão. Mas fique de olho, pois seu óleo essencial não deve ser aplicado sobre a pele (há o risco de causar queimaduras com a exposição ao sol).


Cansaço excessivo

A aromaterapia afeta de forma positiva o estado de alerta do indivíduo. Além disso, promove uma melhora significativa em seu humor. Quem recebe pelo menos três minutos de aromaterapia, principalmente com os aromas de alecrim e lavanda, se sente mais disposto e alerta.

Os óleos essenciais citados estão fortemente ligados à sensação de relaxamento e ao aumento da sonolência. No entanto, tais reações não afetam o estado de alerta, uma vez que o organismo não se mostra cansado, apenas relaxado.


Processos inflamatórios

A combinação correta de aromas pode ajudar a relaxar músculos tensos, melhorando lesões inflamadas na musculatura e articulações doloridas.

Inclusive, é muito comum pessoas utilizarem a aromaterapia como auxiliar no tratamento da dor de artrite. Mirra, gengibre, laranja e açafrão são excelentes para essa finalidade — do mesmo modo que menta, olíbano, alecrim e hortelã são para dores de cabeça.


Insônia

Outro problema que a aromaterapia trata com muita eficácia é a insônia. Os óleos essenciais fazem com que as pessoas se sintam menos estressadas e mais relaxadas. Por isso, fazer uso deles antes de dormir traz muitos benefícios.

Portanto, quem sofre de ansiedade, de insônia e até da síndrome das pernas inquietas pode se beneficiar da aromaterapia, combinando os aromas que induzem ao sono. São eles:

  • ylang-ylang;
  • lavanda;
  • rosa;
  • vetiver;

Problemas respiratórios

Os cheiros liberados pelos óleos essenciais de flores, plantas e cascas também podem ajudar bastante quem tem problemas respiratórios. Alguns aromas têm propriedades expectorantes e antiespasmódicas.

Além disso, há aqueles que são antivirais, antissépticos e imunoestimulantes. Ao inalá-los, é possível não só aliviar os sintomas de bronquite, asma, tosse e alergias, mas também prevenir o aparecimento desses problemas.


Qual a relação entre estresse e aromaterapia?

O estresse é um dos problemas emocionais que mais atingem a população. No que se refere a isso, a aromaterapia pode ser bastante útil, uma vez que reduz os níveis de ansiedade e estresse.

Em um estudo feito com alunos de graduação que se submeteram ao tratamento com óleos essenciais, houve uma redução de 24% no nível de estresse dos participantes.

E um dos aromas mais eficazes para diminuir o estresse é o de bergamota. Ao inalá-lo, a pessoa consegue relaxar, acalmando a mente e o coração. Sem contar que esse cheiro reduz a ansiedade, uma emoção bastante comum nos quadros de estresse.


Outros aromas indicados para diminuir o estresse e a ansiedade são:

  • angélica;
  • rosa-chá;
  • alfazema;
  • ylang-ylang.

Como você pode perceber, a aromaterapia é uma grande aliada da medicina tradicional. Se for utilizada com seriedade, pode ajudar a eliminar diversos problemas físicos e emocionais, levando as pessoas a terem mais qualidade de vida e saúde.

Gostou de nosso post? Então, aproveite para curtir nossa página no Facebook e receber nossas atualizações todos os dias!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: deagreez / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

* Matéria atualizada em 10/04/2018 às 6:30





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.