5min. de leitura

VOCÊ SABER VIVER O AQUI E AGORA?

Quem nunca ouviu a afirmação “viva o aqui e agora”? Esta simples declaração de que a vida não acontece em outro momento a não ser no presente é uma constância nos caminhos de autoconhecimento. Muita gente acredita, inclusive, que esta verdade pode ser o remédio para todos os nossos males. Eu particularmente também acredito nisso, mas sinto (por viver também essa forte identificação com a mente) que saber viver na prática o momento presente é uma outra história, já que exige um árduo caminho de mergulho interno e de desenvolvimento do nosso observador.


Na verdade, o aqui e agora é tudo o que existe. É, inclusive, o mais simples, pois ele simplesmente é, não procura ser outra coisa se não sua própria e natural existência. Mas, como uma “ironia” da vida, sentir o presente, experienciá-lo e “retê-lo” exige de nós um grande trabalho interno. No momento em que conseguirmos viver essa experiência e nos mantermos nela, estaremos entrando no estado o qual os mestres iluminados chamam de “Nirvana” ou “Samadhi”.

Se existe um momento para amarmos, este é o agora. Se existe um tempo para mudarmos a nossa vida, este tempo é o presente!Se existe um momento para amarmos, este é o agora. Se existe um tempo para mudarmos a nossa vida, este tempo é o presente!

Mesmo quando sabemos disso e conseguimos compreender essa ideia mentalmente, por que é difícil colocá-la em prática? Você já percebeu como é muito mais comum estarmos o tempo todo perdidos em pensamentos sobre o futuro e o passado?


Pensando nisso, vale refletir e tentar responder internamente em você:

  • 1Você já refletiu sobre esse tema alguma vez?
  • 2Você consegue manter sua atenção sempre focada no momento presente?

 

PASSADO E FUTURO: O TEMPO PSICOLÓGICO

Vou afirmar uma verdade que pode ser um choque: passado e futuro não existem de verdade! Podemos concluir que quando o futuro vier a existir, este será o aqui e agora, concorda? E da mesma forma podemos afirmar que quando o passado existiu, naquele momento, ele estava sendo o presente também, certo? O passado e futuro só existem em nossas cabeças e, por isso, são denominados de “tempo psicológico”.


5265_LMas se eles não existem, como não conseguimos abrir mão deles? Muitos sábios afirmam que temos internamente uma criança ferida, a qual nós estamos identificados e presos em um passado dolorido. Esta prisão se deve ao fato de que não conseguimos perdoar grandes choques e dores que vivemos em nossa infância. Afinal, a criança é completamente dependente dos “pais” ou daqueles que a criaram. Sendo assim, ela procura naturalmente o que é impossível: receber amor exclusivo 24 horas por dia e, por mais que os pais tentem dar o seu melhor, a meta da criança nunca consegue ser alcançada.

Para reverter este padrão, precisamos buscar o silêncio mental, que virá baseado no despertar de nossa consciência e no ato de compreender e integrar nossa história. Tenho certeza de que muitos já experienciaram a totalidade na ação e já sabem o quanto isso é mágico e profundo. Torço para que consigamos permanecer cada vez mais neste estado real de ser.

 

EXERCÍCIO PARA VIVER O MOMENTO PRESENTE

Um ótimo exercício para começarmos a viver o aqui e agora é focar na respiração. Então, durante o dia, sempre que se perceber perdido em seus pensamentos, observe o ar entrando e saindo pelas narinas. Só o ato de focar a atenção na respiração já lhe ajuda a se desvincular dos pensamentos (tempo psicológico) e trazer a atenção para o momento presente, uma vez que a respiração está acontecendo aqui e agora. Faça um teste enquanto lê este parágrafo. Repita o exercício sempre que necessário, pois assim você estará fortalecendo seu Guerreiro Interno, seu observador.

Que a luz do amor nos guie e nos acompanhe sempre!

 

FERNANDO BELATTO

É professor de artes marciais e criador do método “O Despertar do Guerreiro Interno”, que ajuda as pessoas a se conectarem com o coração, por meio do desenvolvimento de suas virtudes.

 





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.