publicidade

Você sente tremor nas pálpebras? de acordo com médicos, esse é um sinal de que você precisa desacelerar

Você sofre com os tremores na pálpebra? É uma sensação muito desagradável que pode durar dias, com pequenos intervalos.

Os tremores nas pálpebras são uma indicação de que você vai com muita pressa na vida, e que precisa tirar um tempo para relaxar e desacelerar de toda a correria do dia a dia.



De acordo com a oftalmologista Andrea Lima Barbosa, diretora médica da Clínica dos Olhos São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro, muitas pessoas a procuram sentindo esses sintomas.

“É sempre preocupante para a pessoa e o correto é procurar um especialista, mesmo. Esse tremor palpebral em episódios é uma luz vermelha avisando que algo não vai bem não só no seu corpo, mas em sua vida”.

Andrea confirma que os tremores são uma consequência do estresse: “Pode ser fadiga, ansiedade, resultado de noites mal dormidas ou problemas pessoais, por exemplo”.


Se você ou alguém que conhece sente os tremores, é muito importante procurar um médico para encontrar o tratamento adequado. Mas nunca é demais se prevenir. Portanto, mostramos abaixo as causas dos tremores e medidas preventivas.

Causas

As causas dos tremores nas pálpebras podem ser muitas, mas é importante estar ciente das mais importantes:

  • Fadiga: na grande maioria das vezes é causada pelas muitas horas em aparelhos como computadores ou monitores. Nestes casos é importante tirar um tempinho para descansar os olhos antes de voltar ao trabalho, 15 minutos é um bom intervalo;
  • Estresse: quando decorrente de problemas no trabalho ou família, é preciso buscar uma alternativa para resolvê-los. Se necessário, fazer utilização de medicação relaxante muscular leve, sob indicação médica;
  • Secura nos olhos: este sintoma também pode ser decorrente do uso contínuo de computadores. Nesse caso, os colírios podem ser de grande ajuda, bem como uma alternativa para aumentar a umidificação do ambiente de trabalho;
  • Cafeína: se essa for a causa mais provável de seu tremor, o indicado é moderar ou suspender o consumo, dependendo do seu caso
  • Causa não identificada: sugere-se a consulta oftalmológica completa com objetivo de se avaliar a função muscular das pálpebras, a superfície ocular, erros refracionais ou fundo de olho.

Fonte: Norma Allemann, Professora Adjunta do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de Medicina – UNIFESP.



Estresse

Andrea Barbosa explica que o tremor, que na grande maioria das vezes é unilateral, é causado pela liberação de hormônios ligados ao estresse, que caminham em direção ao sistema nervoso autônomo. Os hormônios levam estímulos para as pálpebras, que passam a ter contrações involuntárias, não sendo possível controlar.

Luiz Carlos Portes, ex-presidente e membro do conselho consultivo da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, acrescenta às informações de Andrea alguns outros fatores que podem, em algum momento, causar os tremores: ingestão excessiva de cafeína, carência de vitaminas, idade avançada, excesso de horas em frente ao computador etc.

Os dois profissionais reforçam a importância de procurar um profissional oftalmologista para descartar doenças, ainda que quase sempre a causa seja apenas estresse.

Barbosa diz: “Você tem de se perguntar o que vai fazer da sua vida, como anda o trabalho e os relacionamentos. Eu indico relaxamento, ioga, meditação, algo para acalmar mesmo. E, na medida do possível, evitar se estressar”.

E também acrescenta que o autocuidado é essencial para evitar o desenvolvimento de outras condições, como doenças cardíacas, depressão, ansiedade ou hipertensão, por exemplo.

“É preciso mesmo repensar a vida”, e fala sobre sua experiência pessoal: “Quando eu fazia plantão médico, eu mesma tinha isso com frequência. Era uma época bem estressante para mim”.


Como prevenir os tremores

Andrea recomenda gelo, porque anestesia a musculatura. Já Portes indica relaxante muscular, além de aconselhar seus pacientes a fazerem atividades relaxantes, como ir ao cinema, praticar exercícios e descansar, pois os tremores são mais propensos a parar quando estamos relaxados. No entanto, enfatiza: “Se notamos que é algo de ordem pessoal ou depressão mesmo, o correto é encaminhar a um psicólogo ou psiquiatra”.


Quando a condição é mais rara

Em algumas ocasiões, pode-se experimentar os tremores cronicamente, o que indica que é algo mais grave, diz Andrea:

“Existe a doença do espasmo essencial, blefarospasmo, que é rara. É o famoso tique nervoso, a pálpebra fica tremendo o tempo todo. Daí é preciso tratamento com um neuro-oftalmologista que usará injeções de Botox”.

A professora adjunta do Departamento de Oftalmologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Norma Allemann, explica que, em alguns dos casos crônicos, depois de ter sido feito o diagnóstico diferencial adequado, com doenças neurológicas que podem estar associadas, a toxina botulínica é aplicada no paciente em injeções e os efeitos podem variar entre três e seis meses.

“O blefarospasmo é uma condição rara, um tipo de distonia facial, geralmente bilateral e associado a contraturas de outros músculos da face e caracterizado pela impossibilidade de controle voluntário. Pode ser um sintoma de doenças neurológicas e deve ser acompanhado de consulta especializada para diagnóstico”, complementa.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Shao-Chun Wang / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.