Você só tem a ganhar com um cérebro positivo!

Como saber se seu cérebro é mais positivo ou negativo? E o que isso importa? Qual a diferença de cérebros mais positivos ou mais negativos?

Bom, vamos parar com tantas perguntas não é mesmo? E vamos ao que interessa!

Afinal, o que interessa são as respostas!

Nosso cérebro é projetado para cuidar de nossa sobrevivência, ele evolui para procurar problemas, por isso exalta o lado negativo das situações.

Sempre foi uma questão de preservação, porém, agora precisamos que nosso cérebro gere química boa para não adoecermos frente ao nível de stress que encontramos na nossa rotina diária.

A negatividade vem tomando proporções gigantescas e os quadros de depressão, de síndromes como pânico e burnout, cresce assustadoramente.

E como reverter esse quadro?

Com a positividade, ativando a “química boa” no nosso cérebro. Isso é possível, necessário e não é tão difícil.

Mas, antes vamos listar quais os principais impactos de cérebros mais negativos:

  • Instabilidade de humor, com grande parte do tempo sendo concentrado em reclamações, vitimizações, que prejudicam as relações de forma geral.
  • Ciúme, paranóia, desconfiança, insegurança são os destaques dos cérebros mais negativos e responsáveis diretos pelas separações, pelos desgastes nas relações sociais, afetivas, familiares…
  • Acomodação e procrastinação, deixando de aproveitar oportunidades importantes de aprendizagem, de crescimento…
  • Frequentes doenças psicossomáticas como: enxaqueca, gastrite, pressão alta, distúrbios de sono… instalam-se  por causa da forma negativa de encarar as situações, da ansiedade alta gerada para tomar decisões, da crença limitante no controle de tudo.

E cérebros mais positivos? Qual o ganho das pessoas que cultivam a positividade?

Quando falo em positividade, não falo só de pensamento positivo, como, normalmente, pensam. Mas na gestão das emoções positivas, que é algo muito maior do que sair pensando negativo. Gestão das emoções positivas engloba mudar crenças, hábitos e valores para que o cérebro crie um caminho novo. Afinal, quando queremos ir para um novo destino, temos que tomar caminhos diferentes, certo?

Cérebros mais positivos:

  • Cultivam as emoções positivas o que amplia a percepção e visão de mundo, propiciando que as oportunidades sejam aproveitadas, vencendo o medo do novo, do desconhecido.
  • Repassam tudo o que aprendem para beneficiar mais pessoas, em relações do tipo ganha-ganha, cultivando a empatia, humildade…
  • São seguros, acreditam em si, afastando ciúme, rancor, desconfiança, preservando a energia emocional.
  • Assumem o palco de sua vida, com o princípio base de que sou o único responsável pela minha felicidade ou não.
  • Não reclamam, pois sabem que a reclamação só destrói neurônios. Ao invés disso, procuram soluções viáveis para todas as situações. Não esperam o ideal, mas fazem acontecer da melhor forma dentro do que se tem.

E como mudar o cérebro de negativo para positivo?

  • Primeiro, é necessário persistir na mudança, pois não é em um dia ou dois que se muda comportamento. Também não é em 21, como as pessoas normalmente pensam. A neurociência já mostrou que, dependendo do comportamento que a gente quer mudar, pode demorar muito mais, tem estudos que sugerem até 84 dias para comportamentos que nos sejam mais dolorosos, como dietas, ou exercício (para quem não gosta).
  • Listar todas as emoções positivas, propondo-se a fazer uma ou mais ações diariamente. Como exemplo: agradecer diariamente, dar ênfase às gentilezas no dia, escutar mais os outros exercitando a empatia…
  • Estimular ao máximo os sentidos, fazer meditações curtas direcionadas, desenvolver a respiração…

O mais importante é querer mudar, depois decidir que vai mudar, traçar um caminho, colocar metas e datas, revisar semanalmente e persistir até achar que já passou a ser automático em sua vida esse cuidado com você, com o outro, com a vida!

Abraço carinhoso!

Isabel

___________

Direitos autorais da imagem de capa: lightwise / 123RF Imagens



Deixe seu comentário