AtitudeAutoconhecimentoMensagem de Reflexão

Você tem ciúme? quer saber o que é?

Você é uma pessoa ciumenta? Sofre muito com isso? Realmente, o ciúme mexe muito com a gente. Me lembro de uma época da minha vida em que eu era ciumento, e hoje consigo enxergar muito do que vou escrever para vocês agora.



Somos muito apegados às pessoas que gostamos de conviver, sejam elas nossos filhos, cônjuges, pais, amigos. É muito bom ter a ilusão em pensar que temos algo, isso faz nos sentir seguros, acreditando que temos o controle das pessoas, que elas são nossas como um objeto, que eu me relaciono quando eu quiser, e da forma que me agradar. O fato é que não temos nada, não controlamos nada, da mesma maneira que eu hoje posso conviver com alguém, amanhã eu posso não poder ter a oportunidade de encontrar essa pessoa novamente, seja pelo motivo que for. Então aproveitem a cada dia essa chance de se relacionar com as pessoas, gostem ou não delas, pois elas são a oportunidade de nos tornamos seres melhores.

Agora, existe uma diferença quando falamos do ciúmes de um amigo, pais, irmãos, em comparação às pessoas que temos uma relação amorosa, ou seja, nas relações que tenham sexo e paixão. Esse ponto a mais, é a poligamia que todos nós temos.

Você vai pensar novamente “lá vem o Paulo com essa da poligamia de novo!”. Então, fazer o que se somos seres poligâmicos! Você pode não aceitar isso, mas todas as vezes que você olha uma pessoa que te chama atenção na rua, e tem algum desejo em relação à ela, você acha que isso é o que?


Tá, o que tem a ver a poligamia com o meu, o seu ciúme?

Já ouviu falar, que quando julgamos alguém por alguma coisa que ela fez, que na verdade estamos apontando nela algo que precisamos melhorar em nós? Existe uma frase de Freud que fala assim “Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo.”. Então, quando nós temos o sentimento de ciúme, que alguém possa fazer algo comigo, gerando uma insegurança ligada à traição (beijos, abraços, transar, etc), a grande verdade é que nós é que gostaríamos de estar com essa possibilidade nas mãos, mas como trair alguém é errado (para a maioria das pessoas), e eu não posso assumir essa minha vontade (isso quando eu não estou pensando em trair alguém conscientemente), eu acabo projetando no parceiro ou parceira algo que quero fazer mas não posso assumir. Em psicanálise isso se chama transferência por projeção. E essa “transferência” ocorre também (muito comum com as mulheres), quando condenamos uma pessoa com um corpo bonito, que esteja vestindo uma roupa que chame atenção das pessoas (decotada, justa, curta…), a verdade é que aquela pessoa que condena gostaria de ter o mesmo corpo daquela outra pessoa, e usar as mesmas roupas para chamar atenção dos homens, principalmente, e gerar inveja nas mulheres também, não é?

Sempre vou dizer isso, assuma suas vontades, não as recalque, porém use a sua razão para chegar à uma conclusão, se vai compensar ou não fazer o que está pensando. Precisamos ser mais racionais, e deixar a nossa emoção rolar livremente entre quatro paredes, com a pessoa que escolhemos amar, transar.

Da próxima vez quando tiver ciúme, preste atenção no quanto você realmente não gostaria de estar no lugar dele ou dela, com a faca e o queijo na mão, para fazer aquilo que tanto acusa que o outro “possivelmente” (na sua cabeça) fará com você.


Por Paulo Jacob

O segredo da felicidade

Artigo Anterior

Palavra da moda: resiliência. Você sabe o que significa?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.