6min. de leitura

VOCÊ TEM QUE ENTENDER A UNIDADE PARA VIVER A INDIVIDUALIDADE!

De acordo com o livro de Gênesis, quando Deus criou o mundo e as coisas que nele há, as mesmas matérias-primas foram usadas, desde as algas marinhas até os humanos; tudo vem da mesma fonte. É sabido cientificamente que nós (humanos, seres terrestres e todo o sistema solar) somos compostos pelos mesmos elementos (químicos) das estrelas. Porque estrelas morreram e eventos caóticos aconteceram, nós nascemos. No berço do universo, estas estrelas, por sua vez, nasceram do hélio e do hidrogênio. De onde e como vem o hidrogênio, embora interessante, não é relevante para este texto, mas podemos dizer que toda a matéria que existia no universo estava concentrada em um só ponto; que se expandiu e tornou-se em tudo o que conhecemos (e desconhecemos).


Quer você escolha o Éden ou o Big Bang, seja lá qual for a interpretação que você dá a Deus, é possível chegar à conclusão de que todas as coisas são uma coisa só. E, se você chamar a fonte (o ponto no qual toda a matéria estava concentrada) de Deus, então, Deus é a origem de tudo, logo, nós somos parte de Deus, da fonte, do todo, do uno.

voce-tem-que-entender-a-unidade-capa-e-dentro

Eu tenho muitas perguntas sobre estas coisas, especialmente sobre a história do Éden, mas vamos fazer uma pergunta mais coerente para transformar nossas vidas: Se somos todos, parte da mesma coisa, por que uma parte é mais (valiosa) do que a outra? Não faz o menor sentido!


Eu estava olhando para a minha gata, Marie, e pensando “cara, nós somos a mesma coisa. Só estamos em corpos com características diferentes, mas quando morrermos, em questão de décadas, seremos exatamente a mesma coisa. Terra.”. E me assustei! Porque se isto é verdade, então eu sou a mesma coisa do que este notebook, esta cadeira, os blocos na parede… A minha maneira de me relacionar com as coisas deve ser diferente!

Seja lá como tenha acontecido, ao longo do tempo, aconteceu que nós nos tornamos em dois corpos: físico e (para fins de melhor entendimento, chamaremos de) espírito.

Um corpo sem espírito é apenas um cadáver, e, um espírito sem corpo é uma alma penada. Enquanto nossos corpos têm espírito (consciência), podemos – e devemos – viver. Enquanto vivemos, podemos – e devemos – ter uma vida agradável, uma vida que vale a pena ser vivida.


Existe vida após a morte? Por favor, não faça esta pergunta! Ela é sem sentido. A vida é a vida! A vida é viva. Basta voltar ao início do texto e entender que sempre houve alguma coisa, sempre houve um tipo de vida, porque a vida não pode morrer! A parte desta vida que existe em você, algumas pessoas chamam de alma. A alma não morre, apenas deixa o corpo. E algo magnifico acontece: o corpo volta para a terra e a alma volta ao todo – chame isto de paraíso ou inferno.

Se o corpo saiu do todo (terra), formou-se individualmente, se decompôs e voltou ao todo, é um egoísmo quase doentio achar que a alma veio do todo e será individual para sempre. É mais provável que ela também volte ao todo.

E uma vez que a alma volta ao todo, me parece lógico e coerente pensar que o todo quer que esta alma, que este seu pedaço, tenha felicidade/sucesso/qualidade na vida terrestre. Assim como nós queremos que nossos filhos, nossos pedaços, tenham sucesso na vida!

A frase “o universo conspira a meu favor” não é só uma frase de efeito para motivar as pessoas a terem uma vida melhor, é uma verdade. Somos todos farinha do mesmo saco, somos elementos da mesma fonte, se uma porção é digna de sucesso, felicidade, abundância, etc., todas as outras são. Cuidado! Não confunda as coisas e espere as coisas caírem do céu milagrosamente. Para ser digno de sucesso é preciso fazer algo para ser digno!

Você merece ser abundante tanto quanto o Bill Gates, na vida financeira; tanto quanto ao Buda, na vida espiritual; tanto quanto ao Sr. José Miguel Lucio e Sra. Rita Josefa de Jesus (juntos há 80 anos), na vida amorosa… Você merece!

Ter mais do que se merece é generosidade; é fundamental ter gratidão por isto.
Ter exatamente o que se merece é justiça; não necessariamente precisa de gratidão.
Ter mais do que se precisa é prosperidade; a questão da prosperidade é: para quê?

Quando a sua individualidade faz a unidade ser algo melhor, você está vivendo a melhor vida possível!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.