Notícias

Zé de Abreu revela sofrimento ao lembrar de filho morto após cair da janela

Design sem nome 24
Comente!

O ator José de Abreu, de 75 anos, revelou que ainda sofre sempre que lembra de seu primeiro filho, Rodrigo, que morreu em 1992, aos 21 anos, ao cair de uma janela.

Em entrevista à Patrícia Kogut, de O Globo, o artista admitiu que foi difícil conseguir escrever sobre o primogênito em sua autobiografia, intitulada “Abreugrafia”, lançada recentemente, com prefácio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo contou, o curso natural da vida é o filho enterrar o pai, e não o contrário…

“A vida normal é você enterrar um pai. Um pai enterrar um filho é a inversão da vida. Você não está preparado. Eu hesitei, não queria escrever, mas depois vi que tinha obrigação de fazer. Foi uma das últimas coisas que escrevi. É bom escrever, você se sente diferente. O sofrimento persiste, toda vez que lembro sofro. Mas reviver tudo, escolhendo as palavras, foi libertador”, declarou.

Na biografia, José de Abreu também fala sobre a relação com a filha Bia, uma mulher transexual. O artista relata que a filha o autorizou a falar sobre a transição de gênero no livro, e conta que ela passou dois anos “estudando e lendo sobre o assunto” como forma de se entender, antes de falar sobre a transexualidade com ele.

“Meu livro é dedicado à Bia, e não ao Bernardo. Tenho recebido mensagens nas redes sociais. Tanto de pais quanto de pessoas que vivem a mesma coisa que ela. A Bia ficou dois anos estudando e lendo sobre o assunto para se entender primeiro. Quando veio a mim, já chegou com palavras de convencimento. E eu entendi. Ela tinha argumentos tão sólidos que só tive que aceitar, entender, apoiar e fazer o possível para que seja feliz”, disse.

Além do Rodrigo e a Bia, José de Abreu também é pai de Theo, Ana e Cristiano. Atualmente, o ator está no elenco da novela “Um Lugar ao Sol”, atual trama das 21h da TV Globo, mas o famoso pode deixar de lado a carreira artística por um tempo para se dedicar à política partidária.

Comente!

“Quem diria que aquele garoto que trabalhava de frentista desde seus 17 anos iria viver da arte?”

Artigo Anterior

Professor Girafales tinha outra família; Dona Florinda era amante

Próximo artigo