Você vive de migalhas? preste atenção nas suas relações! não ultrapasse seus limites para agradar ninguém!

11min. de leitura

Em outras palavras, você é um mendigo afetivo? Preste atenção nas suas relações e veja se anda ultrapassando seus limites para agradar alguém.

Nós, seres humanos, necessitamos de afeto e essa necessidade pode nos colocar em verdadeiras armadilhas, se não pararmos para observar. Às vezes, nós nos sujeitamos a situações que vão contra nossa própria essência e vontade, pelo medo do abandono, de não ser amado.



Quando a gente ouve por aí sobre a importância do amor-próprio, parece clichê, mas é porque, de fato, é a maior importância. Quando aprendemos a reconhecer nosso valor, ficamos mais atentos ao auto boicote e a mendicância de afeto.

Preste atenção naquele carinha, ou mocinha, pelo qual você está apaixonado, mas vive jogando-o para escanteio, e mesmo assim você insiste.

A pessoa não liga, não manda mensagem, não demonstra qualquer interesse, a não ser num momento que não exija nenhum esforço da parte dela, como, por exemplo, quando o (a) encontra por acaso numa festa, num bar, ou num encontro de amigos em comum. Se você se coloca disponível a esse tipo de pessoa, que mensagem você acha que está emitindo?

Saiba que uma pessoa interessada, não mede esforços quando pretende conquistar o que quer. Sua vulnerabilidade, com falta de senso de amor-próprio, só pode acabar numa armadilha. Você pode acabar vítima de si mesmo, quando ignora os sinais óbvios que a vida dá, mas se deixa levar a uma situação catastrófica, pela obsessão de se conseguir o que quer. Se você está num relacionamento com uma pessoa que vive jogando você  para baixo, tratando mal, que não valoriza nada em você, culpa você por tudo, e ainda assim, você está com essa pessoa, pelo medo de ficar sozinho, ou porque acha que não vai encontrar nada melhor, ou porque quer compreender que a pessoa está passando por momentos difíceis, e ser o saco de pancadas dela, saiba que, além de, provavelmente, estar num relacionamento abusivo, você se trata como uma pessoa sem valor e se enxerga assim, praticamente como um “lixo”.


Caia fora de qualquer situação dessa, e procure ajuda se precisar, mas liberte-se. 

Se você acumula uma série de relacionamentos nesse nível, saiba que tudo isso parte da maneira como se enxerga e, então, acaba atraindo pessoas que o enxergam da mesma forma. O universo a sua volta é um espelho de como você se vê. Se você se trata como um “lixo”, saiba que, constantemente, vai atrair pessoas que o tratem assim, não só na vida afetiva, mas no geral.

Existem muitos estudos que abordam essa questão energética, de que atraímos as mesmas frequências que emitimos. Não basta só querer que alguém nos ame e nos trate bem, antes é preciso SER. A partir do momento que viramos essa chave, passamos  a reconhecer o nosso próprio valor e nos  amar, tenha certeza de que atrairemos pessoas que nos verão e tratarão dessa forma, ou seja, da forma que nos tratamos.

Não espere atitudes das pessoas que não condizem com as suas. Não espere ser amado, se você percebe que não se ama. Não espere ser valorizado, se você não se valoriza.  Se for necessário procure a ajuda de um profissional ou converse com alguém. Procure não guardar o sofrimento, pois pode haver soluções que, sozinho, talvez não enxergue.


Abra os caminhos para encontrar maneiras de se autovalorizar, retome as rédeas da sua vida e confie, porque quando você muda, tudo muda!

Um verdadeiro milagre acontece. Todos nós somos seres únicos, ímpares e ninguém é igual a você. Procure um amigo para ressaltar suas qualidades, seus talentos, caso você não os enxergue, ou ainda tenha dúvida e invista nisso.

Seja lá em que você for bom, mesmo que outras pessoas também o façam, ninguém faz como você. Valorize até as pequenas coisas, pois uma coisa que pode ser simples para você, pode conquistar o mundo. Nunca se subestime, muito menos o potencial que você tem. Portanto esqueça a ideia de se comparar com os outros, partindo da premissa de que ninguém é igual a ninguém e é isso que faz de cada ser especial, a diferença!
Temos também o exemplo de quando um parente, que pode incluir pai e mãe, ou amigo próximo, faz chantagens emocionais para que você faça o que ele quer. E você faz, porque a pessoa é muito amada e não deseja desapontá-la, a pessoa anda cheia de problemas e você não quer ser mais um, mas a pergunta é: por que você precisa estar sempre em segundo plano? E você nisso tudo? E os seus problemas? Seus sonhos, suas vontades ficam onde?

Ponha-se sempre em primeiro lugar, independente de quem seja. Cada um tem uma vida pra cuidar, e vive as consequências de seus pensamentos, atos e emoções. Não se sinta responsável pelos problemas, tristezas e frustrações dos outros! Sabe aquela coisa de “cada um colhe o que planta”? Pois, bem!

As pessoas fazem escolhas durante a vida e, às vezes, colhem consequências não muito agradáveis, e muitas vezes se colocam numa posição de vítima, deixando-nos com uma sensação de culpa, caso não façamos o que ela quer.

A culpa não é sua, e não se sinta mal por ter seus limites. Você não precisa deixar de amar, dar atenção, ou ajudar dentro do possível, do seu possível, mas lembre-se de que precisa viver e estas pessoas têm de aceitar, por mais doloroso que isso seja, e por mais difícil que fique a relação, quando priorizar suas decisões. Tome cuidado se você deixa de aceitar uma proposta de emprego, uma oportunidade de viajar, ou realizar qualquer coisa que tenha vontade, porque você fica com dó de deixar uma pessoa sozinha, porque você acha que só tem aquela pessoa no mundo, porque essa pessoa acha que só tem você no mundo ou porque a sua escolha vai contra o que esta pessoa amada considera correto ou digno, por exemplo, abrir mão de fazer uma tatuagem, pintar o cabelo de roxo, mudar de religião  ou o que quer que seja.

Jamais deixe suas escolhas com medo do que os outros vão pensar, com medo de ser repreendido ou não compreendido por pessoas que não aceitam suas decisões.

Viver escravo das opiniões alheias, só vai te trazer tristeza e solidão, e o amor que espera dessas pessoas, deve ser justamente por quem você é, porque quem ama, respeita e, principalmente, o deixa livre para ser feliz.

Então, cuidado se você deixa de aceitar um cargo porque se sente culpado em ganhar mais que alguém da sua família. Cuidado com o autoboicote pela culpa do emocional de alguém. O autboicote pode estar relacionado ao outro, como também a você mesmo, quando inclui barreiras por medo de alcançar o que deseja. Quando, por exemplo, deixa de falar em público, quando isso pode alavancar oportunidades, mas você arruma desculpas por medo de acontecer o pior. Medo de ser criticado, não ser bem aceito, rejeitado ou seja lá o que for.

Já está mais do que na hora de pararmos de nos preocupar com o que os outros pensam e dizem. Confie em você, e espere sempre o melhor, porque existe também a possibilidade do melhor acontecer. Caso o pior aconteça, será uma excelente experiência e uma oportunidade de se preparar melhor, preparar também a autoconfiança e alimentar a esperança de que sim, há espaço para você, cedo ou tarde isso vai acontecer, se você acreditar que sim, tenha certeza disso.

Tome cuidado se o receio relacionado às suas decisões, vem de alguma religião. A religião de Deus ou do Universo, é a do coração. Ouça seu coração, seja você mesmo, sem medo de ser feliz. Apenas lembre-se de que, toda decisão tem consequências, às vezes boas, às vezes ruins, e não há como controlar isso.

Mas seja lá o que vier, responsabilize-se, aceite, corrija ou leve adiante, está tudo certo. Tudo serve de experiência, aprendizado e crescimento. Não deixe de fazer nada com medo de errar, porque o erro faz parte de vida, e a vida está aí para ser vivida. Para rir e para chorar, em seus altos e baixos, tudo passa e toma seu lugar.

No final, tudo dá certo. O certo da vida. Somos todos falhos, mas perfeitos, e a beleza da vida mora aí.

______________

Direitos autorais da imagem de capa: inspirestock / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.